PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

29 de julho de 2013

♫ Voltaire - Flut ♫

Essa música eu conheci ainda no Brasil estudando alemão. Adoro, ouvi repetidas vezes.

É sempre bom encontrar músicas em alemão para estar sempre em contato com a língua.

Espero que gostem. O nome da banda é "Voltaire" e o nome da música é "Flut".



Wir schauen uns schweigend beide an 
Die Hände in den Schoß gelegt 
Unsere Klauen im Fleisch des ander'n 
Um zu nehmen was noch geht

Und als ich geh', schließ' ich 
langsam und ganz leise deine Tür 
Und innerlich zucken wir zusammen 
Und sag so still "auf Wiedersehen"
"Auf Wiedersehen"

Ja 
Komm schon her 
Reiß alle Städte in mir nieder 
Fort mit dir 
Ja 
Ich seh dich hinter mir 
Du sagst, die Flut kommt mit dir

Fortgewaschen, leere Straßen 
Zerbrochene Fenster schrei'n mich an 
Der Himmel verhangen von grauen Worten 
Fragen, was hast du getan

Dabei sollte ich Fliegen explodieren 
Doch es raubt mir jede Luft 
Und dabei geh ich taumelnd unter 
Und fühl mich schuldig ohne sie 
Für jeden Herzschlag ohne sie

Ja..

27 de julho de 2013

Dica de livro para estudantes das Engenharias

Hoje encontrei na Internet um livro para estudantes das Engenharias que fazem faculdade em alemão. A maioria dos estudantes de intercâmbio do CsF acabam fazendo seus cursos em inglês. Mas qualquer estudante estrangeiro que está fazendo alguma faculdade de Engenharia em alemão e precisa melhorar o seu vocabulário de produção científica da área, esse livro poderá ser de grande ajuda.

O livro se chama "Deutsch als Fremdsprache in den Ingenieurwissenschaften: Formulierungshilfen für schriftliche Arbeiten" da Editora Cornelsen.

Qual é a função do livro? Dar exemplos para alunos da área de engenharia de trabalhos científicos (desses que universitários têm que fazer todo semestre para a faculdade) e ajudar a formular melhor suas frases, explicar seus experimentos e seus resultados. O livro é direcionado para o estrangeiro que JÁ FALA alemão e JÁ ESTUDA na universidade e que precisa de ajuda para escrever seu trabalho em alemão. O livro não ensina gramática nem é um manual do uso correto de preposições ou de acusativo ou dativo.

O livro dá vários exemplos de frases reais/fictícias de trabalhos desta área para que os alunos tomem como modelo. Eles sublinham os verbos mais importantes de cada parágrafo para ajudar os estudantes a usarem esses verbos em seus próprios trabalhos. Ou seja, eles não dizem "Use o verbo na voz passiva com o sujeito no nominativo".. eles dizem o verbo e dão um exemplo completo de como este verbo ou expressão aparece em trabalhos científicos.

Também há várias tabelas e listas com espaço para fazer anotações.

Achei o livro bem organizado. Pode ser uma ajuda prática para quem já está em fase de escrita de monografia ou dissertação.

Atenção mais uma vez: o livro não ensina alemão propriamente dito. O livro é para quem já fala alemão, já está na universidade e quer aprender como escrever um artigo ou um trabalho acadêmico em alemão, usando o estilo correto de escrita acadêmica.

Onde comprar? Aqui ou aqui.

Existem livros para outras áreas ou livros sobre alemão para a universidade em geral?
Sim.

Existe uma gramática do alemão científico muito boa. Você pode comprá-la aqui. É uma gramática cheia de exercícios, mas tenta tratar da linguagem de trabalhos acadêmicos. Tem muitas listas boas. Recomendo.

Tem um outro que eu estou a fim de comprar ou pelo menos curioso para ver e fazer um resenha aqui para o blog. Chama-se "Wissenschaftssprache Deutsch: lesen - verstehen - schreiben: Ein Lehr- und Arbeitsbuch" da Editora Peter Lang. Eu li uma resenha dele, mas não vi ainda. Portanto não tenho ainda uma opinião formada. Mas me parece se tratar de um livro para ensinar estrangeiros a escrevem trabalhos acadêmicos, mas também a ler e entender trabalhos científicos. Este livro você encontra aqui.

Para mais dicas/resenhas de livros e gramáticas, em geral, clique aqui e aqui.
Para dicas de dicionários, clique aqui.
Para um vocabulário alemão-português de alemão jurídico, clique aqui.

24 de julho de 2013

Como se diz "reclamar" em alemão?

Essa onda de pessoas no Facebook reclamando do frio (no Brasil) e do calor (na Europa ... e no Brasil tb heheheh) me fez lembrar de uma coisa. Gente, reclamar não é "reklamieren" hehehe ..ou melhor, é mais ou menos.

O verbo "reklamieren" tem mais sentido jurídico.

1) "Reklamieren" é ir (a algum lugar) exigir algum direito seu: por exemplo, trocar um produto porque estava com defeito ou enviar uma carta para uma empresa dizendo que fizeram uma cobrança indevida. De certa forma é "reclamar".. mas não é "reclamar" só de resmungar.. é ir exigir algum direito.

Tem uma música do grupo "Wir Sind Helden" cujo título é "Guten Tag", do disco "Reklamation". Na letra da música, eles fazem várias queixas sobre o consumismo desenfreado. A letra é como se eles tivessem numa loja trazendo o produto que eles compraram de volta, por isso dá pra usar o substantivo "Reklamation". A letra é muito legal. Num momento eles dizem:

"Ich hatte es kaum zu Hause ausprobiert, da wusste ich schon,
an dem Produkt ist was kaputt - das ist die Reklamation "
(Eu mal tinha testado em casa e já sabia
que o produto está com defeito - esta é a reclamação)

No refrão eles dizem
"Ich tausch' nicht mehr, ich will mein Leben zurück" 
(Eu não troco mais, eu quero minha vida de volta)

Fica aqui a dica (aqui vai o vídeo)




2) Ainda no sentido jurídico "reklamieren" pode significar "reivindicar", como por exemplo "reclamar a autoria de uma música" :-) Em outras palavras, dizer que algo é seu.

Há muitos verbos para "reclamar" no sentido de "queixar-se".
Os principais são: "sich beschweren", "klagen", "(sich) beklagen"..

Atentem à estrutura mais comum:

Ich beschwere mich / Ich beklage mich / Ich klage...

Usa-se ÜBER + acusativo para dizer o motivo da reclamação, seja alguém ou alguma coisa.
Usa-se BEI + dativo para dizer para quem você faz a reclamação, seja uma pessoa ou uma instituição.


Ich habe mich bei der Schulleiterin über die Lehrerin beschwert/beklagt.
(Eu reclamei da professora para a diretora (da escola)).

Quando a pessoa passa o tempo todo reclamando, resmungando (como é o caso do Facebook heheheh) o verbo que é mais usado por aqui (na linguagem coloquial) é "meckern" ou "rummeckern".. mas há várias outras formas. 

Er meckert nur rum. (Ele fica só reclamando).

E vocês? Andam reclamando muito por aí? Worüber (sobre o quê?) :-)Ainda reclamando que alemão é difícil? Gente, até quando? :-) rsrsrsrs


22 de julho de 2013

Você se importa se ...?


Entschuldigung, stört's dich, wenn ich hier rauche?
O verbo modal usado para pedir permissão é o verbo DÜRFEN. Lembre-se dele sempre que for perguntar se você pode fazer algo em algum lugar.

Entschuldigung, darf ich... (Com licença, posso...)
... hier rauchen? (fumar aqui)
... mich hier hinsetzen? (me sentar aqui)

Mas quanto mais educado você queira soar, mais complexas vão ficando as construções:

Uma maneira educada de pedir permissão para fazer algo sem usar o verbo "dürfen" é usar o verbo "stören" (incomodar). Atente para a estrutura do verbo stören: es + stört + acusativo

Stört's dich, wenn ich...? :-) (Você se incomoda se eu...?)
Stört's euch, wenn ich...? .-) (Vocês se incomodam se eu...?)
Stört es Sie, wenn ich...? :-) (O sr./ A sra. se incomoda se eu...? (Tratamento formal)

... hier rauche? (fumar aqui) (o verbo deve ser conjugado!)
... mich hier hinsetze? (me sentar aqui)

Para responder, você sempre pode usar expressões simples como: "Kein Problem" (Sem problema) ou "Meinetwegen" (Por mim), ou usar frases completas "Nein, es stört mich nicht" (Não, não me incomoda), "Ich habe nichts dagegen" (Não tenho nada contra) ou "Mir wäre es lieber, wenn du hier nicht rauchen würdest". (Eu preferiria que você não fumasse aqui).

Existe também o verbo ausmachen no sentido de "importar-se" (em inglês: to mind). Atente para a estrutura da construção com este verbo (es + macht + dativo + (et)was + aus)

Macht's dir/euch was aus, wenn ich...? (Você(s) se importa(m)/incomoda(m) se eu...?)
Macht es Ihnen etwas aus, wenn ich...? (O sr./ A sra. se importa se eu ...?) - Tratamento formal

As respostas curtas como "Kein Problem" sempre podem ser usadas. Se quiser usar o mesmo verbo na resposta, é só negar o "etwas" (a negação de etwas é nichts). Assim poderá dizer coisas como "Nein, es macht mir nichts aus"

Quando se quer ser educado, é muito comum o uso do Konjunktiv II, isso para qualquer pergunta, mas esse uso não é obrigatório.
Würde es Ihnen etwas ausmachen, wenn ich...? (O sr./A sra. se importaria se eu...?)

Até na resposta, o uso do Konjunktiv II faz com que sua resposta soe um pouco mais suave:
Mir wäre es lieber, wenn du hier nicht rauchen würdest. (Eu preferiria que você não fumasse aqui).

Existem também outras fórmulas educadas de fazer pedidos, sem necessariamente ser muito formal. Eu ouço com bastante frequência: "Seien Sie so nett" + Imperativo ou (informal) "Sei bitte so nett und..." + Imperativo. É algo como "Faça-me a gentileza de...". Em geral é bastante usando por pessoas mais velhas ou no trabalho antes de fazer um pedido. Existem

Seien Sie bitte so nett und machen Sie (bitte) das Fenster zu.
Faça-me a gentileza de fechar a janela, por favor.

Da mesma forma como todos os pedidos, o Konjuktiv II também pode ser usado:
Wären Sie so nett + Infinitiv mit ZU ou  und + Pergunta no Konjuktiv II.

Wären Sie so nett, mir zu erklären, was Sie damit meinen?
Würden Sie so nett sein und mir erklären, was Sie damit meinen?
O sr. poderia me fazer a gentileza de me explicar o que o sr. quer dizer?

Herr Wau-Wau, könnten Sie bitte Ihren Kot entfernen?
Não menosprezem formalidades em alemão. Em determinados círculos de convivência (no trabalho ou em situações formais, por exemplo, numa "Behörde") eles adoram essa linguagem cheia de "bitte" e Konjunktiv II. O que percebi é que os alemães, apesar de serem diretos, não gostam muito de pedidos diretos. Acho que estava acostumado com a cara-de-pau que tinha no Brasil em fazer pedidos entre amigos como se a pessoa já tivesse dito "sim", até o dia em que uma amiga (jovem, por sinal) alemã me chamou a atenção que isso lhe incomodava. Ela esperava que, mesmo para coisas bem fúteis, eu perguntasse se ela podia fazer aquilo. Acho que isso varia de pessoa para pessoa, mas dizer "obrigado" e perguntar algo sempre com um "por favor" parece ser extremamente necessário por aqui e nunca é demais.

Wären Sie so nett, meinen Blog weiterzuempfehlen? Ich bedanke mich.


Helgoland - um pontinho esquecido no meio do oceano


Hoje decidi fazer um post sobre um lugar da Alemanha e não sobre a língua. 

Durante minha estadia aqui na Alemanha gostaria de conhecer ao máximo este país que me acolheu. Mas pra não ficar sempre no circuito das cidades grandes (Berlim, Hamburgo, Munique, Colônia), que, apesar de serem lindas, eu já visitei diversas vezes, queria conhecer alguns lugares menos badalados, mas não menos interessantes.

Ano passado, um amigo alemão, sabendo que agora moro em Bremen, me deu a ideia de visitar Helgoland. Eu nunca tinha ouvido falar da ilha. E se você procurar no mapa verá que é apenas um pontinho perdido no meio do Mar do Norte. 

Apenas agora vim concretizar o meu desejo de conhecer esta ilha, sem ter muitas expectativas do que ver lá, apenas com o desejo de ir e ver com meus próprios olhos.

Antes da viagem eu dei uma buscadinha no tio Google para saber um pouco mais da ilha (clique aqui). A primeira coisa que se encontra na Wikipedia é que o acordo de Schengen não vigora por lá. Muita gente pensa que brasileiros ficam impedidos de entrar... Não é bem isso. O acordo de Schengen é um acordo para controle de fronteiras, apenas. A ilha faz parte da Alemanha, portanto, você não está saindo do país. Qualquer pessoa com autorização para visitar a Alemanha pode, portanto, visitar Helgoland. Isso significa apenas que o controle da entrada na ilha pode acontecer. De fato, ao viajar para lá, você preenche um papelzinho com seus dados. Mas não pedem nenhum documento, nem mesmo o passaporte. Além disso quem disse que brasileiro só pode viajar dentro da área de Schengen? Quer saber mais sobre vistos para brasileiros na Europa? Então clique aqui.

Outra informação é que esta ilha não cobra ICMS (Mehrwertsteuer), o que faz com que a ilha pareça um grande "Duty Free Shop". Muitos turistas vêm para a ilha apenas com o objetivo de fazer compras. A meu ver, a menos que você fume ou seja alcoólatra, não vale muito a pena. Os produtos que se vendem lá são praticamente os mesmos de um Duty Free de aeroporto: álcool, doces em embalagens tamanho família, cigarros e perfumes. Em outras palavras, nada demais. Comparei os preços de alguns produtos e realmente são mais baratos que num supermercado alemão, por exemplo. Mas esse esforço só vale se você comprar muito ou comprar produtos mais caros. Só assim é que dá pra economizar bastante.

Como chegar à ilha?
Kristallkrares Wasser, água cristalina
Seehunde, focas
Existem duas formas de ir até lá: via marítima ou aérea. Helgoland tem um miniaeroporto onde pousam minijatinhos, desses que transportam umas 8 pessoas no máximo. Eles decolam geralmente de um aeroporto pequeno não longe de Hamburgo e esse é o trajeto mais caro. Me falaram que um trecho custa em torno de 90 Euros.

A outra forma é através de balsas (barcos) que saem de Bremerhaven, Cuxhaven, Wilhelmshaven e Büsum. Eu fui a partir de Bremerhaven que é o mais perto de Bremen. (Tickets eu comprei aqui.) Na alta estação a balsa sai todos os dias às 9:30 e volta de Helgoland às 16:00. Como a viagem dura três horas, quem quiser ir e voltar no mesmo dia terá apenas um pouco mais de 3 horas à disposição para ver tudo. Apesar de as ilhas serem pequenas, 3 horas é muito pouco para ver a ilha com calma. Eu aconselho dormir pelo menos uma noite lá. 

DICA VALIOSA: Meu conselho é tomar algum remédio para enjoo, pois no oceano a balsa balança muito (e a viagem demora 3 horas, das quais mais da metade é em alto mar). Remédio para enjoo são vendidos sem receita médica em qualquer farmácia alemã. É só dizer que quer um remédio contra "Seekrankheit" ou "Übelkeit". Eles chamam os comprimidos de "Reisetabletten". 

Praia do Norte - Düne
O que tem para ver e fazer?
A ilha não é um lugar para badalações. É um destino de férias. É mais para relaxar e/ou fazer compras. No verão dá para aproveitar bastante as praias. Esse fim de semana fez muito sol e calor. Também não ventou muito. Então foi perfeito. Além disso, no meu primeiro dia houve música ao vivo ao ar livre com bebidas e comida (churrasquinho!) à venda. Na alta estação as lojas e supermercados também abrem aos domingos.

Um dos passeios que se pode fazer na ilha é visitar um antigo "Bunker" nazista. Isso mesmo, a ilha esteve nos planos estratégicos de Hitler dada a sua localização. Lá ele mandou construir um "Bunker" para salvar a população local (e soldados) dos bombardeios. O mais impressionante é que os aliados jogaram um altíssimo número de bombas sobre a ilha. Cada avião que passava por lá soltava bombas, até mesmo aviões que já estavam voltando das batalhas soltavam bombas lá só mesmo para se livrar delas. Ou seja, a ilha foi bombardeada dezenas de vezes. O Bunker ajudou a salvar todos os moradores e está aberto à visitação (mas só dá pra visitar se dormir na ilha, pois as visitas acontecem depois que a balsa retorna). 
Seehunde

A ilha principal é onde ficam os hotéis e pousadas, bem como as lojas e restaurantes. Nessa ilha dá também para ver as montanhas rochosas (em especial a chamada "Lange Anne") que se formaram durantes o tempo através da erosão. Tem também uma pequena praia, mas é pouco usada por ficar perto de onde os barcos menores atracam.

A outra ilha (chamada de Düne) é mais de veraneio. Há duas praias, uma do Norte e outra do Sul. Na praia do Sul se veem as focas, leões marinhos ou outros animais desta espécie. (Em alemão são chamados de "Seehunde" e/ou "Robben", mas também há Seelöwen). O meio da praia do Sul também é usada para banho (a água do Mar do Norte é geladíssima... mesmo assim, ainda há gente que se banha lá). A praia do Norte é usada para o nudismo e para banho, mas o nudismo (chamado em alemão de FKK) não é obrigatório em nenhuma parte da praia. Quem se interessa por pedras ficará encantado com a enorme quantidade de pedras num dos lados da ilha. Lá se veem muitos colecionadores de pedras buscando alguma interessante. Nesta ilha também dá para acampar. Tem várias pessoas que trazem barracas e acampam na ilha (em vez de pagar por hospedagem em hotel).


Lange Anna
É basicamente isso... Como veem, não é uma viagem cheia de aventuras nem de badalações, mas passar um fim de semana lá foi ótimo. O que eu mais gostei da viagem foi ter visto as focas assim bem de pertinho. Mas a natureza em si é magnífica e eu voltaria outra vez lá, com certeza. Fiquei mais curioso para conhecer outros lugares menos conhecidos na Alemanha. Nas minhas férias de verão, com certeza quero fazer alguma outra viagem a lugares da Alemanha que ainda não visitei. De preferência a um lugar menor, longe das badalações das grandes cidades.

Não fiz este post para querer me mostrar, mas sim para mostrar uma Alemanha que talvez poucos conheçam.Se um dia estiverem visitando o norte da Alemanha e o clima estiver bom, pensem com carinho em visitar Helgoland. E se passarem em Bremen, dê um toque. Quem sabe a gente não sai para tomar um café?

Quais lugares pequenos da Alemanha vocês recomendam para uma visita (um fim de semana, por exemplo)?

Tschüss, Helgoland. Bis demnächst!

18 de julho de 2013

Jogo da Memória


No dia 14 de julho, aniversário do blog, fiz um JOGO DA MEMÓRIA... A pergunta era: de todas as capas do blog, desde que começamos a postar fotos de cidades alemãs, quais cidades já foram escolhidas para ilustrarem o nosso cabeçalho?

Foram 10 cidades: Munique, Hamburgo, Nurembergue, Wuppertal, Heidelberg, Stuttgart, Berlim, Dresden, Bremen e a capa atual Braunschweig :-)

Houve 163 participantes:
4 pessoas marcaram mais de 10 alternativas (portanto foram eliminadas)
1 pessoa acertou apenas 2 cidades
3 pessoas acertaram 3 cidades
10 pessoas acertaram 4 cidades
41 pessoas acertaram 5 cidades
60 pessoas acertaram 6 cidades
32 pessoas acertaram 7 cidades
11 pessoas acertaram 8 cidades
1 pessoa acertou 9 cidades... e essa pessoa foi a Ju Martins de Curitiba :-) Parabéns!

Os prêmios foram decididos de acordo com o nível da pessoa. Como a Ju está no nível A2 as opções eram: um livro paradidático do nível A2 ou uma aula particular de 60 minutos por Skype (tendo livre escolha para o conteúdo da aula, sendo para tirar dúvidas, conversar em alemão ou para ter uma aula completa) E se você tivesse sido o(a) ganhador(a), qual prêmio teria escolhido? :-) A Ju já escolheu o prêmio dela.

Fiquem atentos ao nosso blog que ano que vem com certeza tem mais :-)

Muito obrigado por todos que apoiam, divulgam, comentam, participam do blog :-) DANKE SCHÖN!

17 de julho de 2013

Berlin


Atenção, galera do Sul/Sudeste brasileiro... o nome da cidade "Berlin" é pronunciada em alemão com som de É aberto :-) Nada de bêr-lin... é bér-lin :-) (Transcrição fonética: [bɛɐ̯ˈliːn])

O símbolo da cidade de Berlim é um urso (em alemão BÄR), por isso, há pessoas que escrevem "Bärlin" fazendo um jogo de palavras entre o mascote e o nome da cidade.

Um tempo atrás houve um comercial de cerveja cujo jingle era literalmente um Ohrwurm ("Ohrwurm" é o termo em alemão para uma música que gruda no ouvido ou para uma música que fica na cabeça por muito tempo).

"BERLIN, DU BIST SO WUNDERBAR" - vejam o comercial abaixo.


E o que vocês acham de Berlim? :-)

14 de julho de 2013

História do blog

Primeira postagem do blog e antigo cabeçalho
É big! É big! É big, é big, é big...
É hora! É hora! É hora, é hora, é hora...

Rá-Tim-Bum!!!

14 de julho: aniversário de 5 anos do blog!

♫ tudo começou há um tempo atrás na ilha do sooooooool ♫

Brincadeira! :-)

No dia 14 de julho de 2008, sentado no meu quarto, escrevendo do primeiro computador comprado com dinheiro do meu próprio trabalho, em Fortaleza, Ceará, Brasil, tive a ideia de fazer um blog.

E assim foi a primeira postagem: CLIQUE AQUI!

Na época, o blog se chamava (acreditem!!!!) "Alemoa na Alemanha". Hahahaha ideia de girico. "Alemoa" era como os gaúchos (mas também outros brasileiros, só que eu ouvi essa palavra bem mais no Rio Grande do Sul) chamavam um mulher descendente de alemães. Na época eu já postava bastante nas comunidades do Orkut e percebia que as perguntas sempre voltavam, sendo que algumas respostas que eu dava eram bastante completas. Queria ter um local pra eu poder dizer apenas "a resposta você encontra aqui". Assim surgiu o blog. Criei sob o pseudônimo de "Frau Schmidt", já que eu queria separar o blog da pessoa que estava por trás do blog. O nome era um menção a um nome que aparecia na primeira lição do livro da Wizard.

Só depois que mudei o nome para "Quero aprender alemão", quando o blog já tinha mais leitores. Mas só em 2010 é que contei minha história no blog (que continua sendo um dos tópicos mais lidos do blog).

Divulguei o blog entre alguns amigos, alunos e ex-alunos e logo comecei a CTRL + C, CTRL + V tudo o que eu tinha postado no Orkut (daí surgiram quase todas as postagens do mês de setembro de 2008).

Em outubro de 2008 eu voltei pra Alemanha (e ainda estou por aqui!) e fui postando esporadicamente.

O resultado depois de 5 anos é:

1) Uma página do Facebook com atuais 24.800 seguidores (e que ficou, diga-se de passagem, em 3° lugar no concurso de páginas do Facebook voltado pra idiomas) e entre 150.000 a 200.000 visitas por mês. (ano passado nesta data tínhamos aprox. 5.000 seguidores e tínhamos ficado em 8° lugar na competição) e
2) Um dos sites sobre a língua alemã em língua portuguesa mais lidos.
3) Propostas de parcerias com outros sites (o que ainda não se concretizou).
4) Centenas de mensagens de agradecimento de várias partes do planeta.

O que ainda falta acontecer:
5) A publicação de um livro :-) (bem, eu venho adiando esse projeto, desculpa... )

6) Dinheiro (fazer blog de besteiras dá mais dinheiro do que fazer blog de línguas... acho que vou mudar de ramo). Ali à esquerda do blog tem um botão de doações pra ajudar esse professor que faz esse blog sozinho... :-) Além de ser um grande incentivo, para alguns é uma forma de agradecer pela contribuição gratuita que o site oferece. Mas quem não tiver dinheiro ou achar que é muita cara-de-pau minha pedir para fazer doações para o site, deem uma olhadinha nos comerciais que aparecem no site de vez em quando. Um clique nos banners que aparecem aqui podem ser de grande ajuda também e não lhe custará nenhum centavo.

Como forma de agradecimento pelas pessoas que já doaram, a partir de agora (valendo também para quem já doou) gostaria de enviar um cartão de agradecimento a todo mundo que fizer qualquer doação nem que seja bem pequena. É o mínimo que posso fazer para as pessoas que já contribuíram com o site.

Obrigado a todos que têm sempre divulgado o blog. Obrigado a todos o que me dão motivação para continuar a fazê-lo. Obrigado às inúmeras mensagens de agradecimento, de elogios etc. :-) Eu faço o blog com o maior prazer. Agradeço também às críticas, correções etc. pois sou humano e erro bastante.

E agora um pequeno jogo (da memória) :-)



E lembrem-se SEMPRE: alemão não é tão complicado assim.









Feliz Aniversário a todos vocês, leitores do blog!

11 de julho de 2013

Pronúncia do R em alemão: Parte II


Já fiz uma áudio-aula completa sobre a pronúncia do R. Vale a pena ouvi-la antes de ler esse tópico aqui.

Clique aqui.

Hoje vamos falar sobre a segunda pronúncia do "R" em alemão: o chamado "R" vocálico. Só lembrando que aqui não há todas as regras com detalhes sobre o assunto. Os detalhes a gente deixa pros professores de alemão. É apenas uma introdução para sensibilizar o estudante de alemão para esta pronúncia da letra R.

Clique no sinal de play abaixo:



Exemplos dados no arquivo de áudio que não estão na foto:

ein schöner Mann
ein schönerer Mann

Antes de vir aqui dizer "Na minha região se fala diferente", lembrem-se de que a pronúncia ensinada aqui é a do Hochdeutsch, que é mais ou menos a pronúncia do Norte da Alemanha. Dependendo da região onde você está, essa pronúncia pode ser influenciada por dialetos. Só que nos cursos de alemão e nos telejornais tenta-se falar usando essa pronúncia padronizada do Hochdeutsch. Mais infos sobre Hochdeutsch aqui.

Ah, cabe lembrar que um alemão também pode pronunciar o R nos casos acima quando ele quer reforçar o entendimento. Ou seja, pode ser que um "Peter" pronuncie "Petééérrr" na recepção de um hotel pra demonstrar que o nome dele se escreve com "ER" e não com A (caso alguém ainda tenha dúvidas de como se soletra). Isso pode acontecer com qualquer palavra acima. Mas isso só vale nesses casos onde a pessoa está tentando pronunciar tudo de forma lenta e clara por alguma razão.

Se você ainda quer ouvir as primeiras aulas sobre a pronúncia do R, pode clicar aqui.
Para dicas gerais de pronúncia alemã, clique aqui

7 de julho de 2013

Como se diz "copo" em alemão?

Plastikbecher
Muita gente aprende rapidinho que "copo" se diz "(das) Glas" e que "Glas" também significa vidro. Só que um belo dia, você está numa festinha e alguém está distribuindo Coca-Cola em copinhos de plástico. De repente, você se pergunta... e como se diz "copos" que não sejam de vidro? :-)

Na verdade, "copo" em alemão se diz "(der) Becher"  e eles podem ser de qualquer material. Se você quiser dizer o material, basta colocá-lo junto à palavra Becher para formar um substantivo composto.

Plastikbecher - copo de plástico
Pappbecher - copo de papelão

Mas por alguma razão, nenhum alemão diz "Glasbecher" (copo de vidro)... quando o copo é de vidro, ele é chamado apenas de "Glas".

Também dá pra formar outros compostos com a palavra Becher.

Eisbecher - copo de sorvete
Joghurtbecher - copo de iogurte
Würfelbecher - copo para dados

P.S. Um Aschenbecher (ao pé da letra "copo para cinzas") é o famoso "cinzeiro" :-)

Uma palavra que confunde bastante é a palavra "(die) Tasse".

"Tassen" são xícaras/chávenas, não são taças.
Ein Sektglas

Eine Tasse Kaffe - uma xícara de café

Para dizer "taça" o normal é formar um composto: bebida + Glas.

Weinglas - taça (de vinho)
Sektglas - taça (de Sekt) - Sekt é um termo usado na Alemanha para um tipo de espumante.
Champagnerglas - taça (de champanha)



4 de julho de 2013

Livros paradidáticos / Leitura fácil em alemão


No meu primeiro semestre da faculdade de Letras (Português - Alemão), a professora nos deu um livro (na verdade, a gente tirou cópia) de um livrinho paradidático fácil em alemão... Era uma história que usava somente o Präsens. Pense bem, estávamos no primeiro semestre. Eu fiquei logo fascinado. Nossa! Era meu primeiro livrinho todo em alemão... Lembro-me de que devorei o livro rapidinho, animadíssimo para utilizar todo o alemão que eu sabia para ler.

Para minha surpresa, várias pessoas da minha turma reclamaram... nos corredores diziam que a professora era LOUCA de passar um livro no primeiro semestre, que eles não entendiam nada... na época, eu achava que era o único que tinha adorado o livro. Eu queria muito aprender alemão, então pra mim qualquer material era bem-vindo. Além disso, eu estudava alemão feito louco em casa.. eu queria muito aprender.

À medida que os semestres foram passando, percebi o quanto pode ser frustrante ter que ler um livro sem entendê-lo. O principal obstáculo do alemão é o vocabulário. E o mais engraçado é que a leitura é justamente um dos remédios para se aprender vocabulário. Então nada mais justo do que leituras fáceis para quem está começando a aprender alemão.

Há inúmeras coleções de livros paradidáticos de leitura fácil para os diferentes níveis de alemão. Mas muita gente tem uma ideia errônea de que leitura fácil quer dizer leitura sem esforço. Lembre-se de que será uma história com começo, meio e fim. Para contar uma história, é necessário que o leitor tenha o mínimo de conhecimento de vocabulário. Não dá pra se contar uma história, mesmo bem simples, sem saber verbos básicos como "acontecer", "aparecer", "ir", "dizer" ou palavras como "então", "de repente", "depois disso" etc.

Aprenda vocabulário
Minha primeira dica para se ler um livrinho paradidático em alemão é APRENDER VOCABULÁRIO, ou seja, se a única coisa que você sabe falar em alemão é se apresentar, dizer de onde vem, algumas cores e membros da família, não dá pra ler um livrinho ainda. Tente aprender mais verbos e expressões básicas: entrar, sair, andar de carro, voltar para casa, pois toda historinha que se preze terá personagens fazendo coisas básicas. Sem vocabulário não dá pra ler e nenhuma leitura será prazerosa caso se tenha que olhar no dicionário a todo instante.

Tempos atrás eu sorteei no blog um livro paradidático chamado "Kaltes Blut". Na capa eles dizem que o nível é A1/A2, ou seja, para iniciantes. Mas o tema é sobre neve, montanhas etc. Ou seja, ter o nível A1 ou A2 não garante que você conheça diversas palavras relacionada à neve, montanha, roupas de frio etc. Ou seja, aprender vocabulário é fundamental. Talvez a leitura do livro possa ser um meio para aprender determinado vocabulário também.

Quer dicas de como aumentar seu vocabulário? Clique aqui.

Escolha o livro no nível correto
Hoje em dia muitos livros paradidáticos já vêm com o nível estampado na capa. O nível serve apenas como referência. Outras editoras classificam seus livros em níveis de dificuldades (fácil - médio - difícil). Então o ideal é que se procure um livro de acordo com o nível atual. Como no exemplo anterior, o livro é para A1 e A2. Neste caso, o ideal é que você leia o livro quando estiver terminando o nível A2, mas nada impede que você comece o leia ainda no A1. Mas não dá pra começar o curso A1 e hoje e já querer ler. Tem que adquirir vocabulário primeiro.

Digamos que você já tenha vocabulário, já tenha terminado o curso B1 ou até mesmo o B2. Não adianta então pegar um livro do A2 e dizer "Nossa, foi fácil.. entendi tudinho sem olhar no dicionário" :-) Se um texto ou um livro é tão fácil que você entende 100% de todas as palavras, é sinal de que o texto está muito abaixo do seu nível. Leitura fácil demais é bom para o ego, mas pode ser que seu nível se mantenha sempre estagnado se você sempre ler coisas fáceis demais.

A fórmula ideal para se aprender um idioma com leitura é (seu nível) + 1.
Esse "1" é difícil de definir. O texto tem que ser fácil o suficiente para que você o entenda sem ter que olhar no dicionário o tempo inteiro, mas é bom que esteja um pouquiiiiinho acima do seu nível para que você possa aprender também palavras novas e, assim, ir aumentando seu nível aos poucos. É bem difícil de saber isso antes de comprar o livro, mas dá pra você ter uma ideia se o livro está no nível ideal de leitura. Ou seja, é sempre bom que haja palavras que você não conhece, mas não pode ter tantas palavras a ponto de você precisar consultar várias vezes um dicionário num único parágrafo.

Dicas de livros
Os livros que eu indico para os níveis iniciais são:

a) qualquer livro da série Lextra - DaF Lernkrimis da editora Cornelsen. Os livros são baratos e vêm com CD para ouvir a história também.

Vou dar aqui alguns exemplos (cliquem nos títulos para links de compra):

Nível A1-A2: Die Skorpion-Frau.
Nível A2-B1: Liebe bis in den Tod

Os livros do "Felix & Theo" marcaram
meu aprendizado de alemão. 
b) Qualquer livro dos autores Felix e Theo. Foram com eles que comecei. Lembram-se do livro que a professora pediu pra ler no primeiro semestre? :-) Pois é... Também são historinhas policiais, os livros atuais vêm também com CD. Cada história se passa numa cidade diferente da Alemanha, trazendo informações culturais de cada cidade. Tenho certeza de que vocês nunca mais vão esquecer do Privatdetektiv Helmut Müller e da sua secretária Bea Braun. Aqui vão alguns exemplos:

Nível 1 (fácil): Elvis in Köln; querem ler o começo da história? Então clique aqui.
Nível 1 (fácil): Ein Mann zu viel (Esse foi o primeiro livro que eu li... é o tal livro todo escrito no presente que a professora passou no primeiro semestre... aqui eu não posto links para download ilegal, mas esse livro é fácil de encontrar para download em PDF com uma busca no Google.. fica a dica)
Nível 2 (médio): Tödlicher Schnee
Nível 3 (difícil): Leipziger Allerlei (só lembrando que "difícil" aqui não significa nível C2... é apenas o nível mais altos das leituras fáceis.. deve ser pra nível B1)

Esses livros também estão à venda no Brasil, provavelmente sem o áudio. Por exemplo, se você clicar aqui, aqui ou aqui verá um link para livraria brasileira.

Esses dois exemplos que dei são os que conheço, mas como falei, existem MUUUUITOS, quase sempre com histórias policiais. Hoje em dia, cada grande editora alemã tem sua coleção de livros paradidáticos para aprendizes de alemão.

Querem mais exemplos:
Nível A1: Eine Liebesgeschichte, Editora Langenscheidt, livro com CD
Nível A2-B1: Toda a coleção Tatort DaF da Editora Klett. Se vocês forem no site da Amazon e clicarem na foto da capa do livro, dá pra ter visualizar várias páginas do livro. Exemplo aqui.

Existe até textos facilitados de obras clássicas da literatura, como "A Metamorfose" de Kafka facilitado para o nível B1. Clique aqui.

Ou seja, ideias não faltam. Basta procurar, comprar um livro e começar a ler.

O que eu não aconselho?
Para iniciantes, eu não aconselho comprar livros infantis ou ler contos de fada. Por quê?
Nem sempre o vocabulário das histórias infantis é fácil para estrangeiros. É que nas historinhas para crianças podem aparecer jacarés falantes que moram em pântanos, porquinhos que constroem casas de palha, órfãs que tecem numa velha máquina de fiar e aí fica faltando exatamente o vocabulário. Você sabe dizer "pântano", "palha", "tecer", "máquina de fiar" em alemão? :-)

Além disso as versões "originais" de muitos contos de fadas dos irmãos Grimm são escritas em um alemão muito antigo, o que pode dar bastante trabalho para entender. Além disso, nesses contos o tempo verbal mais usado é o Präteritum, um tempo verbal que se aprende mais tarde e, mesmo assim, é bem pouco usado na fala, fazendo com que seu aprendizado demore mais. É melhor esperar um pouco mais até ter um alemão melhor para começar a ler os contos de fadas.



Quer tentar ler a história dos músicos de Bremen em alemão? Clique aqui.
Quer dicas de onde comprar livros? Clique aqui.

E você? Tem dicas de livros paradidáticos? Já leu algum? Comente aqui no blog. 

2 de julho de 2013

Cores em alemão


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...