PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

6 de junho de 2019

Dá para ser fluente em um idioma sem saber sobre a cultura?

Diferente de muita gente que estuda idiomas, eu gosto de matemática. Sempre gostei. Na minha área de estudo existe essa ideia de pessoas que estudam Letras por não gostarem de matemática. Comigo nunca foi assim. Eu adorava matemática e sempre tive notas ótimas na escola. Eu até achava que fosse trabalhar na área de Ciências Exatas, provavelmente, na área de informática.

Tudo mudou quando eu tinha uns 15 anos e uma família dos EUA visitou minha família lá no interior do Ceará (contei esse causo aqui). Aquele dia foi um divisor de águas na minha vida, pois consegui pela primeira vez notar que entendia tudo o que estava sendo dito em inglês. Não só isso, eu me aventurei a FALAR inglês nesse dia. Aquela experiência foi tão fantástica pra mim que tive certeza de que queria continuar a aprender inglês. Eu queria ter aquela sensação maravilhosa de conversar com estrangeiros, de entendê-los, de falar uma língua nova. Bem, depois disso estudei espanhol e logo depois comecei a estudar alemão.

Por ser essa pessoa que gosta de matemática, meu estudo de idiomas era muito baseado em 2+2. Explico: para mim línguas funcionavam como regras da matemática. Eu só precisava aprender as regras e aplicá-las, tal como uma tabuada. Eu também sabia que também precisava memorizar as exceções. Sempre gostei de decorar tabelas, fazer declinações e conjugações. Depois disso, PRONTO, era só falar o idioma. E sempre funcionou. Memorizar as palavras principais, aprender as regras de construção de frases e as principais regras de gramática já eram suficientes para falar um idioma fluentemente.

Com a maturidade eu fui mudando o meu conceito de fluência ao longo dos anos. Já expliquei o que é fluência aqui. Mas confesso que demorei muito a considerar a parte cultural no aprendizado de línguas.

Uma das perguntas que me fizeram durante a minha entrevista para ser professor de português na Universidade de Hamburgo foi sobre a importância da Landeskunde (palavra alemã que, resumidamente, se refere a informações gerais,  históricas e culturais de um país) na minha aula de português. É claro que sempre tentei passar o máximo de informações possíveis sobre o Brasil (e sobre os países lusófonos em geral) em minhas aulas, mas nunca tinha parado para refletir sobre isso.

E aí, querid@ leitor@, gostaria de fazer a seguinte reflexão com vocês. Leiam as frases abaixo.

A apresentadora Sônia Abrão publica foto de Sílvio Santos com a Rainha dos Baixinhos. 
Políticos envolvidos no mensalão são amigos de réus da Lava-Jato. 

As frases acima estão escritas em português.

Imagine um estrangeiro que estuda português tentando entender esta frase. Provavelmente ele entenderá que uma apresentadora de TV publicou uma foto com duas pessoas. Uma destas pessoas é uma rainha, mas rainha de quê? Quem são os baixinhos? Na segunda frase é provável que ele entenda que se trata de um tema político. Mas o que políticos têm a ver com um lugar para lavar carros? Certamente ele não encontrará "mensalão" no Houaiss ou no Aurélio.

Você percebe o quanto de informação cultural é necessária para entender as duas frases acima? Quase todo brasileiro que vê TV já ouviu falar de Sônia Abrão, sabe quem é Sílvio Santos e certamente saberá quem é a Rainha dos Baixinhos. Nem todo brasileiro saberá explicar com detalhes o que é a Lava Jato e o que foi o mensalão, mas certamente entende que por trás dos dois termos estão envolvidas denúncias de corrupção. Estes foram apenas exemplos, mas claro que há muitos temas que vão muito além do vocabulário internacional: sistema escolar, gastronomia, festas populares, momentos históricos, regionalismos, músicas etc. para citar apenas alguns.

É isso que acontece quando sabemos muitas regras da línguas, temos um vasto vocabulário, mas nos falta a experiência real com as pessoas daquele país. Com o exemplo anterior quero dizer quão importante é a imersão na cultura de um país para alcançar esta fluência que muitos almejam. É óbvio que ainda é possível aprender muito sobre a língua alemã focando apenas nas regras sobre o acusativo ou dativo e formando frases com palavras de interesse geral. Mas vivendo na Alemanha (ou na Áustria, na Suíça etc.) você esbarrará com conversas como essas... sobre os Sílvios Santos daqui, sobre os escândalos políticos daqui etc. E talvez fique boiando. Mas não por falta de dativos e acusativos.
Na foto: Eu sentado num Strandkorb em Sylt.
Você sabe o que é um Strandkorb? E sabe onde fica Sylt?

Existem algumas estratégias para não ficar perdido em conversas com elementos históricos e culturais, mas Landeskunde abrange muitos temas, então não se cobrem tanto. É difícil saber tudo. A primeira coisa é tentar buscar informações gerais e dividir por temas:
- Política: Como funciona a política na Alemanha? Quais são os principais partidos?
- Gastronomia: Quais são alguns pratos principais da culinária alemã?
- Sistema Escolar: Como são as escolas? Que tipo de provas existem?
- Música: Cantores/Bandas/Canções que marcaram várias gerações?
- Regionalismo: Como as regiões da Alemanha se diferenciam? etc.

Um site que têm muitas informações sobre a Alemanha é este aqui. Também dá para baixar o conteúdo em forma de PDF aqui. O conteúdo também pode ser baixado em alemão aqui.

Para concluir: Semana passada estava com uns amigos alemães que estavam conversando que iam acabam com a Lindenstraße. Um estrangeiro desavisado pensaria que uma rua da cidade seria fechada. Aí o alemão  me perguntou: "Você conhece a Lindenstraße?". Naquele momento me lembrei: "Ah, du meinst die Telenovela?" (Ah, você quer dizer a telenovela?). Ele ficou muito feliz por eu já ter ouvido falar dessa novela alemã que está no ar desde 1985 e que vai acabar ano que vem. Eu nunca vi nenhum episódio/capítulo, mas eu conheço os nomes de alguns dos principais programas de TV da Alemanha. Mesmo um alemão que não vê mais TV sabe o nome dessa novela.

Não deixem de lado essa busca por informações sobre o país cuja língua vocês querem aprender. Você vai ver que vai ajudar bastante a entender as conversas do dia-a-dia e a entender melhor os seus falantes :-)

25 de abril de 2019

Pergunta do leitor: Declinação de "ein paar"

Vamos à dúvida de um leitor do blog. 

Olá, Fábio, tudo bem?


Gosto muito de acompanhar o seu blog e me salvou muitas vezes em diversas dúvidas! Nunca me esqueço mais da sua técnica de lembrar a declinação dos adjetivos 😊 Parabéns!

Bom, estou aqui estudando alemão (A2) e me deparo com uma situação gramatical que me deixou com dúvidas.

Aprendi que as preposições Vor e Seit são preposições seguidas sempre de Dativ, havendo declinação nas palavras adiante, como em:

a) Jens lernt seit einem Monat Deutsch
b) Sie wohnen seit drei Jahren in der WG

Observei, inclusive, que o Jahren adquiriu o -n da declinação de dativo para substantivos masculinos ou no plural. Porém, fiquei com dúvidas nessas frases aqui (app de aprendizado de alemão da DW):
c) Jens ist vor ein paar Wochen nach Deutschland gekommen.
d) Heute ist der 25. April. Vor einem Monat war der 25. März. 

"Ein paar", embora venha depois do "vor" e do "seit" nas frases acima, não declinou aqui (seria, imagino, einem paar, se isso acontecesse). Por que não houve essa declinação? Qual a explicação para esse fenômeno? Acho que vale um post no seu blog!

Outra observação na frase: "Heute ist der 25. April. Vor einem Monat war der 25. März". Por que a palavra masculina "Monat" não declinou aqui no dativo, com um -n ao fim? Tem a ver com a primeira observação minha? Na lógica que entendi, viria um "Monaten" ali.

Espero que tenha dado uma dúvida digna de um post. 

Obrigado, um grande abraço!


Oi, Oliver, sim sua dúvida é digna de um post aqui no blog. Primeiro obrigado pelas palavras de agradecimento. Fico feliz que o blog tenha sido útil. 

Dúvida 1: Como se declina "ein paar"

Pela lógica você tem razão. Se o artigo ein vira einem no dativo, por que ele não declinou depois da preposição vor (no exemplo C)? A resposta é simples: "ein paar" é considerado uma expressão indefinida invariável, ou seja, ela não se declina. 

Nominativo: Ein paar Leute wohnen in diesem Haus. (Algumas pessoas moram nesta casa). 
Acusativo: Ich kenne ein paar Leute in diesem Stadtteil. (Conheço algumas pessoas neste bairro).
Dativo: Vor ein paar Wochen war ich in Saarland. (Há algumas semanas estive em Sarre)

Não se pode confudir com o substantivo (das) Paar (Plural: Paare) que quer dizer "par" ou "casal". Este sim se declina. 

Acusativo: Meine Cousine hat ein Paar Schuhe gekauft. (Minha prima comprou um par de sapatos)
Dativo: Ich bin als Einzelperson mit einem Paar befreundet. (Eu sozinho sou amigo de um casal) 

Resumo: Quando significar "alguns/algumas" não se declina. Quando significar "par" ou "casal", escreve-se com letra maiúscula e se declina normalmente. 

Dúvida 2: Substantivos masculinos recebem um -n no dativo singular?
Não. 
O -n só é acrescentado no dativo nos substantivos do plural, independente do gênero. Ele não aparece em palavras com plural estrangeiro (palavras do italiano, latim, inglês etc. por exemplo as que fazem plural em -s). Se a palavra no plural já terminar em -n, também não é preciso acrescentar mais um. 

Exemplos: 










Resumo da ópera: Não se deve acrescentar um -n ao substantivo no singular. 
Singular: vor einem Monat
Plural: vor ein paar Monaten

Talvez essa confusão do -n no singular tenha sido causada por substantivos da famosa Declinação N, que afeta sobretudo substantivos masculinos. Estes sim, recebem um -N em todos os casos com exceção do nominativo singular. Aqui no blog há um texto sobre a N-Deklination (dá uma olhada aqui). 

Exemplos.: 
Nominativo: Der Biologe arbeitet in dieser Firma. (O biólogo trabalha nessa empresa). 
Dativo: Ich wohne mit einem Biologen. (Moro com um biólogo). 

Espero que todas as perguntas tenham sido esclarecidas. 

4 de abril de 2019

Dúvida da leitora: "dieses eine" + Pronome Relativo no Genitivo

"O ano é 2019 e seu blog continua salvando vidas.
Acompanho no insta também e é excelente!
Muito obrigada pelas publicações!!!!
A dúvida se originou com este exercício do livro Deutsch für Besserwisser B1

Kennst du dieses eine Mädchen...?
Meinst du das, deren Eltern wie Großeltern aussehen?


Pq deren? E pq dieses eine?

Quando vc acha que está bom com um tema... vem umas dessas.... :(

Muito obrigada!
Ariana"


Oi Ariana, muito obrigado por sua mensagem.

Pergunta 1: Por que "deren"?
A frase está escrita assim no livro? Você tem razão. Não deveria ser "deren", mas "dessen". 
Conforme expliquei no tópico sobre Orações Relativas aqui, para se referir a substantivos masculinos e neutros o pronome deve ser "dessen". Para femininos e plural o pronome deve ser "deren. Como "Mädchen" é um substantivo neutro, deve-se usar o pronome "dessen". 

Meinst du das, dessen Eltern wie Großeltern aussehen? 
Você se refere àquela cujos pais parecem avós? 

Pode ter sido um erro do livro, mas também pode ter sido um outro fenômeno que já comentei aqui no blog. O fato de Mädchen ser do gênero gramatical neutro, mas se referir a uma pessoa do sexo feminino, pode talvez ter causado essa confusão. Comentei sobre isso aqui. Isso é muito comum na língua falada, mas é de se estranhar um pouco com o caso genitivo, já que é mais usado na língua culta. 

Pergunta 2: Por que "dieses eine"?
O numeral e artigo ein/eine etc. e todas as suas formas podem assumir um valor adjetivo (ou seja, se declina tal como um adjetivo) para reforçar a ideia de que se trata exatamente de algo/alguém e não de outra coisa/pessoa (é este/esse aqui, não aquele lá). Às vezes em português pode se traduzir como "único(a)", às vezes com palavras de reforço "só/somente", "aqui/aí",  "mesmo(a)", às vezes não tem tradução nenhuma. 

Exemplos: 
Vielleicht dieses eine Mal - Talvez só dessa vez. 
Entweder das eine oder das andere -  Ou esse (aqui) ou o outro. 
Ihr Arzt implantiert gewöhnlich die Zylinder, die Pumpe und das Reservoir durch diese eine Inzision. -  O seu médico implantará os cilindros, a bomba de enchimento/esvaziamento e o reservatório através desta incisão única. 

Voltando à sua oração: 
Kennst du dieses eine Mädchen, dessen Eltern wie Großeltern aussehen?
Você conhece essa menina (essa em específico!) cujos pais parecem seus avós?

Só para completar que eu gosto muito da coleção "Deutsch für Besserwisser" da Editora Hueber. 


10 de novembro de 2018

V tem som de F em alemão?

Está um calor dos infernos na Alemanha agora e eu fiz uma postagem no Instagram sobre a palavra "Ventilator" e o seu plural "Ventilatoren" (você pode ver aqui). Aí surgiu a pergunta sobre a pronúncia da letra V. 
A imagem pode conter: texto

A letra V alemã pode ter tanto som de [f] quanto som de [v]. 


Não há como saber 100%, mas via de regra, palavras de origem germânica têm som de [f] e palavras de origem estrangeira têm som de [v].

E como vou saber se uma palavra tem origem germânica?
Bem - se a palavra for parecida com uma palavra portuguesa (Ventilator, Vakuum, Variante, variabel, Vegetation etc.), é provável que tenha origem do latim ou do grego e não seja de origem germânica. As palavras de origem germânica muitas vezes se parecem com palavras do inglês (Vater - father, voll - full, Volk - folk). Os prefixos ver- e vor- também têm sempre som de [f].


Palavras de origem estrangeira com som de [v]
Verb  - [v]erb (lembre-se do B com som de [p]) - 
Vision - 
Visum - 

Palavras de origem germânica com som de [f]

viel -  [f]iel - 
voll - 
Vater - 

Quando a letra V estiver em fim de palavra (especialmente em palavras de origem estrangeira que terminam em -iv), lê-se também como [f]. Ex.: aktiv, Motiv. Mas quando são seguidas de vogal, lê-se com som de [v]. Ex.: aktive, aktivieren, Motive, Motivation


Para saber a pronúncia de outras consoantes do alemão, clique aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...