PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

19 de agosto de 2017

Como acelerar o aprendizado de alemão

1) Você já está fazendo cursos de língua alemã há um tempo, se mata tentando entender acusativo e dativo, mas não consegue manter uma conversa?
2) Você queria poder melhorar a sua capacidade de conversar em alemão?
3) Você queria conseguir tudo isso de forma natural, sem fazer muito esforço?

Se você respondeu SIM às duas primeiras perguntas, continue lendo este texto. Se você também respondeu SIM à última pergunta, sinto muito, o texto a seguir refere-se somente ao aprendizado COM esforço. Fico devendo essa!

Se ficar com preguiça de ler, tem resumo no fim do tópico.

As perguntas a que vou tentar responder aqui é:
a) Por que o aprendizado de línguas em através de cursos presenciais (não-intensivos) demora tanto?
b) Como posso acelerar esse processo, especialmente na área de conversação?

Pergunta A: Por que aprender línguas num curso normalmente demora?

95% dos livros didáticos de alemão são baseados no Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (QECR), o mesmo que definiu os níveis A1, A2, B1 etc. Em Fortaleza, onde eu morava, a maioria dos cursos de alemão promete um nível B1 depois de 3 anos (ou seis semestres). Alguns até mais. Ou seja, são três anos até chegar a entrar no nível intermediário (ou pré-intermediário). Só a partir do B2 é que o nível intermediário se consolida e só a partir do nível C1 é que a pessoa chega ao nível avançado. O mesmo tempo valia para outros cursos de línguas. Ou seja, até mesmo inglês é oferecido lentamente dividido em vários semestres.

Será que não tem como acelerar isso? Vou tentar explicar por que os cursos de línguas normalmente não são tão acelerados.

As pessoas estudam línguas pelas mais diversas razões. Uns querem só ler, outros querem falar, outros querem viajar ao país, outros querem ver filmes, outros querem ocupar o tempo, outros aprendem por obrigação etc. Quando uma pessoa procura um curso ou um professor, a maioria não sabe bem como e o que exatamente ela tem que aprender (n)o idioma. A única coisa que a maioria sabe é que ela quer sair de lá sendo capaz de "tagarelar" naquela língua (ou de entender um filme, ou de escrever uma dissertação, ou de dar uma palestra etc.), em outras palavras, as pessoas querem ser capazes de usar aquele idioma, cada um com seu objetivo.
Como profissionais na área de línguas, imagine que você tenha que criar um curso que atenda as necessidades de QUALQUER uma dessas pessoas. Como é muito difícil atender a todos os gostos e oferecer uma aula particular pra cada aprendiz, parte-se do princípio que todo mundo que se matricula num curso de alemão queira dominar a língua em seus mais diversos usos.
Ou seja, num curso ideal as pessoas aprendem a LER, a INTERAGIR (de forma oral e escrita), a OUVIR e a DISCURSAR (de forma oral e escrita) numa língua. Além disso os cursos partem também do princípio que TODOS estão aprendendo a língua para usar numa ida ao país onde a língua é falada (por isso os materiais são quase sempre com situações de visitantes em outro país).

Sendo assim, os cursos de línguas tentam formar o aprendiz em TODOS os aspectos da língua, mesmo aqueles que não sejam relevantes para a sua vida naquele momento.

Por exemplo, digamos que você more no Brasil, não tenha planos concretos de visitar a Alemanha ainda, mas entre num curso para conseguir manter uma conversa com seu amigo/namorado alemão que mora no Brasil. Mas em vez de aprender a conversar com seu amigo, você passa semanas do seu curso aprendendo lista de comidas e bebidas, a dizer para um funcionário do supermercado que você quer 200 gramas de queijo ou a dizer para um funcionário de uma loja que você quer a mesa marrom, não a preta. Num curso não há como satisfazer apenas o seu interesse em manter a conversa sobre assuntos pessoais com o seu amigo, também é necessário preparar aqueles que querem usar a língua numa viagem ao país ou que pretendam morar lá e que precisarão usar a língua também no supermercado ou numa loja. É por essa razão que não dá pra acelerar seu desejo de conversar com seu amigo. Já já eu explico melhor como acelerar a capacidade de conversar com seu amigo.

Além disso, as escolas tentam treinar todas as habilidades. Digamos que um aluno queira aprender alemão apenas pra usar numa viagem. Talvez ele nunca precise escrever um e-mail formal. Provavelmente nunca precisará ir ao Departamento de Estrangeiros para tirar um visto de trabalho. Talvez nunca precise se comunicar com o seu chefe em alemão por escrito. Talvez nunca precise fazer seu currículo em alemão. Mas os cursos acabam ensinando e treinando essas habilidades, pois sempre haverá aqueles que precisarão disso. E sempre haverá aqueles que gostam de aprender bem a escrita, apesar de quererem aprender mais a comunicação oral.

Então se você quiser aprender a língua por completo, sem pressa, aprender línguas num curso pode ser um bom negócio. Mas lembre-se do que sempre disse aqui no blog. O curso tem que ser apenas UMA das ferramentas que você pra aprender idiomas. O curso não pode ser JAMAIS a sua única fonte de contato com o idioma e não há como aprender idiomas apenas dentro de uma sala de aula. Seu contato com o idioma FORA da sala de aula é que fará a grande diferença.

Obs.: Sobre cursos intensivos. É claro que também você poderá acelerar seu aprendizado fazendo cursos intensivos. Mas como falei antes. Frequentar um curso não garante aprendizado. O curso é apenas UMA ferramenta. Mesmo que você passe mais horas por semana na sala de aula, a diferença será feita no tempo que você passará em contato com a língua FORA de sala de aula. E o que acontece muitas vezes é que depois de 4, 6, 8 horas de alemão num dia só, as pessoas não têm mais saco pra fazer nada em casa.

Pergunta B: Como aumentar e acelerar a sua capacidade de conversação

1) A pressa é a inimiga da perfeição
Muita gente acha que saber um idioma é
saber um dicionário ou uma gramática de cor.
Ninguém precisa saber esses livros 
de cor para se comunicar. 

Tenha em mente uma coisa. Quanto mais perfeito você quiser se expressar num idioma, mais tempo vai ser necessário. Então quanto mais gramática você estuda e quanto mais o seu único foco é não dizer nada errado, mais lentamente você vai aprender aquele idioma.

Se você quiser acelerar sua capacidade de comunicação, mais erros você vai cometer. E cometer erros não precisa ser algo ruim. Se você aceitar os erros como parte do seu processo de aprendizado, conseguirá conversar com pessoas mais rapidamente. Sempre que alguém disser pra você que aprendeu um idioma rápido, tenha consciência de que a pessoa se expôs rapidamente a conversar com pessoas apesar de cometerem vários erros. E à medida que os erros iam sendo corrigidos, a pessoa foi aprendendo cada vez mais. Todo mundo que aprende idiomas rápido USA o idioma com mais frequência.

Não há nada errado em ser perfeccionista e querer dominar um idioma perfeitamente. Mas saiba que isto consumirá mais tempo. Você tem que decidir: saber conversar em alemão em menos tempo cometendo erros e ir aprendendo com os erros ou saber conversar em alemão em muito mais tempo e sem nenhuma garantia de que não cometerá erros (porque afinal quem não erra, não é mesmo?) :-) Você escolhe!

2) Faça e memorize uma lista de expressões para usar como emergência

Se você quiser aumentar sua capacidade de conversar sobre assuntos diversos com um(a) amigo(a) alemã(o), o ideal é focar no vocabulário que você usa durante essas suas conversas. Faça primeiro a lista de coisas a dizer caso a conversa não flua como você espera.

Entschuldigung, meine Aussprache ist nicht so gut.
Desculpa, a minha pronúncia não é muito boa.

Entschuldigung, aber was heißt dieses Wort / was bedeutet das? 
Desculpa, mas o que quer dizer esta palavra / o que significa?

Lass mich bitte ausreden. Danach kannst du mich korrigieren. 
Deixe-me terminar, por favor. Depois você pode me corrigir.

Verstehst du, was ich sage? 
Você está entendendo o que eu digo?

Wie bitte? 
Como? (Pode repetir?)

Faça a sua lista de coisas que gostaria dizer durante a conversa e que podem ajudar a conversa a fluir.

3) Faça e memorize uma lista de palavras comuns nas conversas
Só você sabe sobre quais temas você costuma conversar. É bom não tentar dar um passo maior que as pernas. Se você ainda está começando, não adianta muito tentar explicar a situação política no Brasil em alemão. Tente fazer uma lista de coisas da sua vida pessoal.

No nível A1/A2, eu faço com meus alunos uma lista quase completa de atividades rotineiras. Desde o momento em que eles acordam até o momento de ir dormir. Na lista há atividades como "escovar os dentes, tomar o café da manhã, maquiar-se, ir ao trabalho, pegar o metrô, almoçar, assistir TV, ler os e-mails etc.". Comece você mesmo fazendo uma lista assim com coisas do seu dia-a-dia. Escreva na lista as respostas típicas das conversas.

A lista pode ser simples, feita no Word ou num caderno
Por exemplo... se seu amigo sempre pergunta como foi o seu dia, escreva as diversas respostas que você costuma dar. Não precisa aprender todas as respostas possíveis. Tente focar naquilo que você costuma dizer e ouvir nas conversas.

Wie war dein Tag? Soweit gut. Und deiner? 
Como foi o seu dia? Bom até agora. E o seu?

Se seu amigo perguntar o que você fez durante o dia, faça uma lista de coisas que você costuma responder.

Nichts Besonderes. Ich war auf/bei der Arbeit. Danach war ich im Fitnessstudio und jetzt muss ich noch einkaufen gehen. Und du? 
Nada demais. Eu fui pro trabalho. Depois eu fui pra academia e agora tenho que fazer compras. E você?

A frequência com a qual você realiza determinadas atividades pode ser relevante na conversa.

Achso! Bist du oft im Fitnessstudio? 
Ah, tá! Você vai muito pra academia?

Naja, zwei- oder dreimal pro Woche. 
Bem, duas ou três vezes por semana.

E é assim que a gente vai se preparando para manter conversas. Sobre o que eu costumo conversar? O que eu costumo dizer?

Eu já escrevi um tópico completo com várias dicas para falar alemão mesmo ainda no nível A1 e A2. Você pode ler aqui.

Só a partir do nível B1 é que a gente começa a se preparar melhor para falar sobre outros assuntos que não tenham a ver com assuntos pessoais. Mesmo assim, tente não dar passos maiores que a perna. Lembre-se de que só nos níveis avançados é que conseguiremos nos expressar de forma mais complexa sobre assuntos.

Resumo!
Para acelerar seu aprendizado, você tem que deixar o perfeccionismo de lado e falar, falar, falar sem medo de errar. Quanto mais você quiser dominar a gramática sem errar nada, mais tempo você vai precisar. E mesmo se você passar meses estudando gramática, nada garante que você não vai errar. Para ajudar a conversar, você tem que se preparar com o vocabulário suficiente dos temas sobre os quais você quer conversar. Mantenha os temas de acordo com o seu nível para não se frustrar tentando explicar coisas difíceis além do que você consegue dizer. Assim, você poderá continuar aprendendo a listinha de compras no seu curso de alemão, mas isso não te impedirá de sair do curso e conversar.

Se você não tem com quem falar alemão, uma boa ideia é fazer aulas ou praticar conversação pelo site italki. Você poderá marcar sua aula aqui. Ou pode ler sobre a minha experiência no italki aqui.

Sobre o que é falar um idioma fluentemente, tem um textão aqui.

15 de agosto de 2017

Conjugação do Alemão III: Perfekt

Como conjugar um verbo no tempo verbal Perfekt.

O Perfekt é formado com a ajuda de um verbo auxiliar (haben ou sein) e do Partizip II.

Para conjugar o Perfekt, é necessário que os verbos auxiliares sein e haben estejam conjugados no Präsens. Eles aparecem na posição II da oração principal ou coordenada ou como última palavra da oração em orações subordinadas iniciadas por conjunção.

sein
ich bin
du bist
er/sie/es ist
wir sind
ihr seid
sie/Sie sind

haben
ich habe
du hast
er/sie/es hat
wir haben
ihr habt
sie/Sie haben

Para saber quando escolher haben ou sein, clique aqui.

O Partizip II aparece como a última palavra da oração em orações principais ou coordenadas ou antes do verbo auxiliar em orações subordinadas iniciadas por conjunção.

Regras gerais para formar o Partizip II:
1) Usa-se o prefixo ge- quando a primeira sílaba do verbo for tônica. Quando o verbo tiver um prefixo separável, coloca-se o -ge- entre a raiz e o prefixo.

abmachen - abgemacht

frühstücken - gefrühstückt

2) Verbos regulares recebem o sufixo -(e)t. Verbos irregulares recebem o sufixo -(e)n, mas também sofrem alterações na raiz verbal.

fahren - gefahren
gehen - gegangen
machen - gemacht

3) Há um pequeno grupo de verbos mistos, ou seja, que sofrem alteração na raiz verbal, mas recebem o sufixo -t.

bringen - gebracht
nennen - genannt

4) Verbos terminados em -ieren nunca recebem o prefixo ge-, nem mesmo quando se unem a prefixos separáveis.

studieren - studiert

einstudieren - einstudiert

Para saber mais como se forma o Partizip II, clique aqui.

O Perfekt é usado para falar sobre ações ou acontecimentos no passado. É o tempo do passado mais usado na linguagem falada. É também bastante usado na linguagem escrita tanto formal quanto informal, mas na literatura o Präteritum aparece em situações onde as pessoas normalmente usam o Perfekt na fala cotidiana. Portanto, como é bastante usado, é um dos tempos mais importantes da língua alemã junto com o Präsens.

Alguns exemplos do uso do Perfekt.

Was hast du am Wochenende gemacht
(O que você fez no fim de semana?)

Gestern Vormittag bin ich zu Hause geblieben. Danach bin ich mit meiner Freundin zur Mensa gegangen. Dort haben wir Nudeln gegessen. Später haben wir zusammen einen Kaffee getrunken
(Ontem de manhã fiquei em casa. Depois fui para o R.U. com a minha namorada. Lá comemos macarrão. Mais tarde tomamos um café juntos).

Erro comum: verbo auxiliar no passado
Um erro bastante comum de falantes de português é colocar o verbo auxiliar no passado (ich war, ich hatte). Lembrem-se de que, mesmo sendo um acontecimento no passado, o verbo auxiliar do Perfekt fica no PRESENTE. Quando se colocar o verbo auxiliar no passado, você na verdade está conjugando o Plusquamperfekt (Mais-Que-Perfeito). 

No fim de semana passado vi a minha série favorita.
Letztes Wochenende hatte ich meine Lieblingsserie gesehen. (Errado! "hatte... gesehen" = tinha visto... é o passado do passado. Se você quiser dizer que "viu", use o verbo "haben" no presente "habe... gesehen"). 


Ontem eu estava em casa. 
Gestern war ich zu Hause gewesen. (Errado: ou você usa o Präteritum "ich war" ou você usa o Perfekt "ich bin... gewesen". "Ich war... gewesen" é o Plusquamperfekt). 

Para saber a diferença entre Präteritum e Perfekt, clique aqui.

Outros tópicos sobre conjugação:
Präsens
Futur I

Konjunktiv I

Conjugação do Alemão II: Präteritum

Aviso: o texto é um pouco longo. Se já souber conjugar, pode pular para o fim do tópico para ler sobre o seu uso. 

O Präteritum é um tempo do passado cujo significado é exatamente igual ao do Perfekt. Ou seja, ele é usado para contar (acontecimentos!) ou descrever (estado, aparência etc.) no passado. Como ele é usado com mais frequência na escrita, é importante dominar primeiro o Perfekt para a comunicação oral, antes de tentar dominar o Präteritum


Obs.: Em gramáticas antigas do alemão ele era chamado de Imperfekt, mas essa nomenclatura não tem correlação com o tempo Pret. Imperfeito do português (nem de outras línguas latinas) e hoje em dia é pouco usada. Portanto, neste texto chamaremos este tempo verbal de Präteritum

Para entender a conjugação do Perfekt, clique aqui.

Antes de explicar a diferença prática entre o Präteritum e o Perfekt, vamos aprender a conjugá-lo. 


Verbos regulares: Todas as pessoas têm a terminação -TE-


Todas as pessoas recebem a terminação -te- seguida das terminações normais do Präsens. A primeira e terceira pessoas do singular não recebem nenhuma terminação extra além do -te. Assim como no Präsens, alguns verbos recebem um -e- antes da terminação -te- para facilitar a pronúncia. Os verbos que mantêm o -e- antes da terminação são verbos cuja raiz verbal termina em -d/-t (arbeiten, baden) ou consoante + -m/-n (atmen, leugnen) mantêm a letra -e- em todas as pessoas para facilitar a pronúncia. 

Exceção: se a consoante antes do -m/-n for (ex.: warnen) a regra não se aplica.
warnen - warnte

Verbos irregulares: Memorização

Os verbos irregulares não têm a terminação -te- no Präteritum. A raiz verbal normalmente sofre alguma alteração vocálica (nehmen - ich nahm; schreiben - ich schrieb) ou sofrem outras alterações (sitzen - ich saß; gehen - ich ging). Infelizmente não há como prever quais alterações os verbos irregulares podem sofrer. Isso requer memorização. 

Alguns verbos podem ter uma alteração vocálica igual a do Partizip II. Portanto, se você já sabe o Partizip II de alguns verbos, estes poderão ser de ajuda às vezes. 

schreiben - schrieb - geschrieben
leiden - litt - gelitten 

Atenção, quando o verbo irregular tiver uma forma que termine num som sibilante (-s, -ß, por exemplo), a segunda pessoa do singular também ganha um -e-

heißen - ich hieß, du hießest etc. 
lesen - ich las, du lasest etc. 

A mesma regra também vale para os verbos cuja raiz verbal termina em -d/-t  ou consoante + -m/-n, na segunda pessoa do singular e do plural. 

treten - ich trat, du tratest, ihr tratet
leiden - ich litt, du littest, ihr littet

Se você quiser ver uma lista dos principais verbos irregulares alemães categorizados por nível (A1, A2, B1 etc. ), basta clicar aqui

Verbos mistos
Existe uma pequena categoria de verbos mistos em alemão, ou seja, verbos que sofrem alteração na raiz, mas que recebem as mesmas terminações dos verbos regulares. São os mesmos verbos dos quais já falamos no tópico sobre Partizip II. Estes são os principais. 

wissen (saber) - wusste 
bringen (trazer, levar) - brachte
denken (pensar)- dachte
brennen (queimar) - brannte
kennen (conhecer)- kannte
nennen (nomear, chamar de)- nannte
rennen (correr)- rannte

Quando se usa o Präteritum?

a) Narrativas escritas
O Präteritum é usado quase que exclusivamente em narrativas (histórias, contos, reportagens etc.) ou relatos da linguagem escrita formal. Ou seja, se você é um(a) escritor(a) e/ou jornalista e decide narrar fatos no passado de forma escrita para serem publicados num jornal, revista ou livro, é quase certo que você use bastante o Präteritum na sua narrativa. 

Então caso você queira ler um romance em alemão ou decida abrir uma revista alemã com uma reportagem onde haja narrativas, você vai encontrar o Präteritum a todo instante. 

Muda alguma coisa no significado? Não. 
As orações: "Gestern habe ich ein Buch gelesen" (Perfekt) e "Gestern las ich ein Buch" (Präteritum) têm o mesmo significado (Ontem eu li um livro). Só que o Präteritum seria usado num texto narrativo formal escrito (ou seja, caso você esteja escrevendo uma reportagem, um romance etc.), enquanto oralmente e na escrita informal (e-mails, chats, Facebook, comunicação entre amigos/colegas etc.) usa-se sobretudo o Perfekt. Mesmo que você escreva um e-mail para o seu chefe contando algo do passado, prefira usar o Perfekt

Neste caso, é um tempo verbal que é bom saber para ler, mas a maioria das pessoas não vai precisar usar o Präteritum de forma ativa. 

Se você quiser ler o Pequeno Príncipe em alemão, verá que o Präteritum aparece com bastante frequência. Quer ler? Clique aqui.

b) Usado na oralidade com verbos auxiliares e modais
Apesar de o Präteritum ser usado quase que exclusivamente na linguagem escrita, ele também pode ser ouvido com frequência na linguagem oral com alguns verbos. 

Os três verbos auxiliares (sein, haben e werden) são ouvidos com frequência no Präteritum, mesmo em situações informais. 


Atenção! Perceba que as formas não têm trema (Umlaut). Não confundir ich hatte com ich hätte, ich wurde com ich würde

Ontem ela estava em casa. 
Gestern war sie zu Hause. (Präteritum)
Gestern ist sie zu Hause gewesen. (Perfekt)

Na semana passada eu estava com febre. 
Letzte Woche hatte ich Fieber. (Präteritum)
Letzte Woche habe ich Fieber gehabt. (Perfekt)

Além dos verbos auxiliares, os verbos modais também são bastante usados no Präteritum na linguagem oral. Observe que no Präteritum todos os verbos modais perdem o trema (Umlaut). 


Atenção redobrada para não confundir a pronúncia dos verbos no Präteritum (sem Umlaut) e no Konjunktiv II (com Umlaut)
Por exemplo: mochte  vs. möchte ; musste vs. müsste 

Você podia ver filmes de terror quando era criança?
Durftest du Horrorfilme sehen, als du klein warst? (Präteritum)

Eu não gostei muito da sua jaqueta. 
Deine Jacke mochte ich nicht so sehr. (Präteritum)

Naquela época eu ainda não sabia falar alemão.
Damals konnte ich noch kein Deutsch (sprechen). (Präteritum)

c) Usado na oralidade com alguns verbos de uso comum

Além dos verbos auxiliares e modais, alguns outros verbos costumam ser ouvidos com frequência também na linguagem oral. São verbos de uso frequente, geralmente curtos. Alguns deles: 

lassen - ließ (deixar)
gehen - ging (ir)
kommen - kam (vir)
sehen - sah (ver)
es gibt - es gab (há/havia - no sentido de existir)
heißen - hieß (chamar-se)
fragen - fragte (perguntar)
sagen - sagte (dizer)

Apesar de esses verbos serem ouvidos também na linguagem oral, eles NUNCA são usados oralmente na segunda pessoa (du, ihr). Ou seja, a mesma pessoa que talvez use "Er kam spät nach Hause", sempre usa o Perfekt ao fazer a pergunta diretamente a alguém: 

Er kam gestern spät nach Hause. (O Präteritum do verbo kommen também se ouve na oralidade)
Er ist gestern spät nach Hause gekommen. (Perfekt - na oralidade é o tempo mais comum para se falar sobre o passado).
Kamst du gestern spät nach Hause? (gramaticalmente correto, mas não se ouve esta forma na oralidade. Melhor usar o Perfekt ao falar).
Bist du gestern spät nach Hause gekommen? (mesmo em regiões onde se usa o Präteritum de alguns verbos na fala informal, o Perfekt deve ser usado na segunda pessoa do singular - du- ou do plural - ihr). 

Exemplo: 
Eu fiz uma pergunta e ela disse... 
Ich stellte eine Frage und sie sagte...
Ich habe eine Frage gestellt und sie sagte... 
Ich habe eine Frage gestellt und sie hat gesagt...

O Präteritum de stellen não se ouve muito em conversas informais, por isso é melhor usar o Perfekt na oralidade. Já o Präteritum de sagen se ouve às vezes informalmente. Neste caso dá á pra usar tanto o Präteritum quanto o Perfekt ao conversar informalmente. 

Não há uma lista completa de verbos cujo Präteritum se ouve com frequência. O ideal é conversar usando sempre o Perfekt com o tempo você vai pegando o jeito ouvindo alguns verbos no Präteritum. Além disso, no Norte da Alemanha (eu moro em Hamburgo, mas já morei em Bremen) se ouve o Präteritum desses verbos com mais frequência que no Sul da Alemanha. Então vai depender também um pouco de onde você vai morar. 

Resumo:
O Perfekt é o tempo mais usado na linguagem falada quando se quer falar sobre o passado. Portanto, este é o tempo verbal que os estudantes de alemão devem dominar para usar na conversação. O Präteritum é um tempo de uso quase exclusivo da escrita. Na linguagem falada informal também se ouve o Präteritum dos verbos auxiliares (sein, haben, werden), do verbos modais (wollen, mögen, können, dürfen, müssen, sollen). Alguns outros verbos de uso frequente podem ser ouvidos na linguagem falada no Präteritum, mas normalmente não na segunda pessoa (du/ihr).  Além disso, na linguagem falada ele é mais comum no Norte da Alemanha que no Sul. 

Outros tópicos sobre conjugação:
Präsens

Futur I
Konjunktiv I 

11 de agosto de 2017

Verbos com o prefixo vor-

Dando continuação à série de postagens sobre os prefixos verbais separáveis e inseparáveis nas quais falarei um pouco sobre o tipo de alteração de significado ou de função que os verbos sofrem ao se unirem aos prefixos.

Nota inicial: Por favor, não confundam prefixo com preposição!

Preposição é uma palavra funcional independente. Ela normalmente acompanha substantivos ou pronomes e rege um caso (normalmente acusativo ou dativo). Por exemplo.:

Vor zwei Stunden - Duas horas atrás

Um prefixo forma uma nova palavra e pode ser separável ou inseparável. Ele é parte da palavra.

Was hast du heute vor- Quais são os seus planos para hoje? (parte do verbo vorhaben). 

O prefixo vor- é sempre separável. 

Vamos falar agora sobre o prefixo VOR- e dar exemplos.

1) Dá a ideia de anterioridade. Semelhante ao prefixo português pré-/pre- (por exemplo, em prever).

vorbereiten - o verbo bereiten vem de bereit (pronto) e traz na sua base a ideia de deixar algo pronto, ou seja, aprontar (apesar de também significar preparar). O prefixo vor- reforça a ideia de fazer ANTES os arranjamentos necessários para que fique pronto, ou seja, preparar.

Outros exemplos: vorfeiern (fazer uma pré-comemoração, festejar antecipadamente); vorbestellen (fazer um pré-pedido, em inglês pre-order)

2) Com verbos de deslocamento, dá a ideia de que o deslocamento começa antes e, portanto, estarão à frente.

vorgehen - o verbo gehen quer dizer "ir", mas vorgehen dá a ideia de ir na frente. Com horários no relógio o mesmo verbo pode indicar que o relógio está adiantado (ou seja, indo na frente do horário real).

Meine Uhr geht vor. - Meu relógio está adiantado.
Du kannst gern vorgehen. Você pode ir na frente.

Outros exemplos: vorfahren, vorlaufen 
3) Existem alguns verbos que dão ideia de se apresentar perante/diante de alguém.

vorlesen - o verbo lesen quer dizer "ler", mas vorlesen dá a ideia de ler em voz alta para alguém ouvir. Ou seja, o verbo reforça que alguém está lendo para alguém. Imagine a cena de uma pessoa em pé na frente lendo o discurso de um papel.

Outros exemplos: vorführen - o verbo führen quer dizer "guiar", já o prefixo vor- dá a ideia de exibir algo para alguém. Imagine a cena de alguém puxando um cavalo pelas rédeas para mostrar aos futuros compradores para entender de onde vem essa junção dos dois verbos "guiar + exibir". Atualmente é muito usado no sentido de exibir filmes ou peças ou também quando um vendedor está demonstrando um produto para venda.

vorzeigen - normalmente usado quando se apresenta documentos (passaportes, papelada etc.) para as autoridades competentes.
Sie müssen Ihren Ausweis vorzeigen. O sr. precisa apresentar/mostrar o seu documento de identidade.

4) Alguns verbos têm o sentido figurado, às vezes a língua portuguesa também usa verbos com prefixos.

vorschreiben - o verbo schreiben quer dizer "escrever". Já vorschreiben quer dizer "prescrever". Ou seja, exigir que algo seja feito ou que alguém se comporte de uma forma, normalmente em forma de lei ou de outro tipo de norma.

vorgehen - o mesmo verbo que tem o sentido de "ir à frente", também ganha o sentido figurado de "proceder, agir". Em português também temos um verbo composto: pro + ceder.
Wie soll ich vorgehen? Como devo proceder?

vorstellen - o verbo stellen quer dizer "pôr, colocar". Ou seja, literalmente quer dizer "pôr à frente". Mas um dos sentidos de vorstellen é "apresentar". Metaforicamente, colocar-se à frente de alguém faz parte de uma apresentação (nas apresentações da escola, por exemplo, as pessoas colocam-se à frente). Não pense que é coincidência que o verbo português tenha também um "pre" e um "sentar" em sua composição.

Darf ich mich vorstellen? Posso me apresentar?

Como verbo reflexivo (sich etwas vorstellen) ele ganha o sentido de "imaginar". Aqui fica bem difícil entender como o sentido mudou tanto. Mas em português também há alguns verbos do mesmo campo semântico com o prefixo pre-, como "pressupor" (que também tem o verbo "pôr" como raiz) ou "presumir". Não são a mesma coisa, mas pressuposições também são ideias imaginadas, concebidas na mente.

Vamos agora à lista de todos os verbos com o prefixo vor- que um estudante de alemão deve saber até o nível B1.

- (sich) vorbereiten - preparar - (acusativo)
Er soll sich für die Präsentation vorbereiten. Ele deve ser preparar para a apresentação.
Er soll seine Präsentation vorbereiten. Ele deve preparar a sua apresentação.

- vorhaben - ter planejado, tencionar, ter a intenção de
Was hast du heute Abend vor? Quais são os seus planos para hoje à noite?
Normalmente usado com Infinitivo + zu.
Ich habe heute vor, nach Berlin zu fahren. O meu plano hoje é ir para Berlim.

- vorkommen - ocorrer, acontecer (faz o Perfekt com o verbo sein)
Das kommt häufig vor. Isso acontece com frequência.
Também pode significar "ir para a frente", mas é menos usado.
Die Schülerin kam an die Tafel vor. (A aluna foi para a lousa).

- vorlesen - ler em voz alta (+ acusativo)
Sie liest den ganzen Text vor. (Ela lê em voz alta o texto inteiro).

- vorschlagen - sugerir, propor (algo [Akk] a alguém [Dat])
Was hast du mir gestern vorgeschlagen? - O que você me sugeriu ontem?
Também pode ser usado com Infinitivo + zu ou Oração Subordinada com dass.
Ich schlage vor, dass wir nach Hause gehen. - Sugiro que vamos para casa.

- vorstellen 
a) apresentar  (algo/alguém [Akk] a alguém [Dat])
Ich möchte Ihnen meine Eltern vorstellen. 
Gostaria de lhe apresentar os meus pais.

b) imaginar (reflexivo: sich [Dat.] etwas [Akk.] vorstellen). Também pode ser usado com com Oração Subordinada com dass.
Stell dir vor, dass du in Norwegen bist. 
Imagine que você esteja na Noruega.

Das kann ich mir nicht vorstellen. 
Não consigo imaginar isso.

Para ler sobre o prefixo ab- clique aqui.
Para ler sobre o prefixo ver- clique aqui.
Para ler sobre o prefixo zer- clique aqui

30 de julho de 2017

Dicas para diminuir o sotaque estrangeiro e melhorar a pronúncia

Você gostaria de ouvir de um alemão "Wow.. du sprichst akzentfrei" (Nossa, você fala sem sotaque)"? Acha que é impossível? Já ouviu dizer que depois de uma certa idade ninguém mais consegue perder o sotaque? Pois saiba que é possível, sim. Se você não falar 100% sem sotaque, pode falar de forma bem próxima, de forma que o sotaque só apareça de vez em quando, mesmo tendo aprendido a língua depois de adulto. E aqui vou dar algumas dicas preciosas de como diminuir o sotaque estrangeiro.

1) Apurar o ouvido
Bem, esse ponto aqui é  complicado de se exigir de alguém, pois uma boa audição é algo com que se nasce. Mas a questão aqui é que sempre dá pra melhorar a sua capacidade auditiva.
Há pessoas que são desafinadas ao cantarem, por exemplo. Na maioria dos casos, o problema talvez comece na audição. Ao não notar a diferença entre duas notas musicais muito próximas, a pessoa mesma não consegue notar que está cantando fora do tom.
O mesmo se dá com idiomas. Quantas vezes você já tentou ensinar a diferença entre o ö de köstlich e o ö de Österreich, ou a diferença entre o a de Bahn e o a de Lamm e as pessoas dizem "Nossa. Mas não é a mesma coisa? Pra mim soam iguais".

Ouça aqui os exemplos que dei (mantenha o foco só nas vogais Ö e A marcadas):
Österreich () e köstlich ()

Bahn () e dann ()

Se você não consegue ouvir a diferença, pode ser que não consiga também falá-las de forma diferente. Então é necessário fazer alguns exercícios para se sensibilizar aos sons diferentes antes de tentar reproduzi-los.
SEM DESESPERO! Com exercícios é possível aprender a diferenciar sons.

E nem adianta dizer que é culpa do alemão. Meus alunos de português também acham superdifícil de início reproduzir a diferença entre avó e avô. É uma questão de se sensibilizar pra ouvir a diferença e só depois tentar reproduzi-la.

2) Conseguir noções de Fonética e Fonologia
Ninguém precisa estudar Letras para ter uma boa pronúncia. Mas assim como um bom domínio de um idioma requer também um certo conhecimento de gramática, uma boa pronúncia pressupõe certas noções de Fonética. O Alfabeto Fonético Internacional (conhecido como IPA - são aqueles símbolos que aparecem como pronúncia do dicionário) é uma ÓTIMA forma de entender melhor a pronúncia. Entender melhor como os sons se formam, onde pôr a língua, a abertura da boca, o arredondamento dos lábios etc. ajuda bastante a pronunciar o som corretamente.
Ter uma noção básica do alfabeto ajuda você a fugir de explicações como "É quaaaaase o som da letra X da palavra Y". Uma pessoa que tem o mínimo de noção de fonética procura o símbolo no alfabeto fonético e sabe exatamente como o som é produzido. Depois de entender o mecanismo de produção é apenas uma questão de ouvido e muito treino. Um das coisas que mais gostei de ter aprendido na faculdade foi o Alfabeto Fonético Internacional. Eu nunca mais olho para a pronúncia do dicionário da mesma forma que eu via antes de aprendê-lo.
Então nada de comprar dicionário com pronúncias "como se fosse em português", hein?
Para quem quiser saber mais sobre o Alfabeto Fonético, clique aqui.
Para saber mais sobre os fonemas da língua alemã representado por símbolos do Alfabeto Fonético, clique aqui.

3) Falar naturalmente requer atentar para a linguagem coloquial/regional
Depois de dominar a pronúncia da linguagem culta, para que você não pareça um apresentador de telejornal, é necessário ter mais contatos com alemães no dia-a-dia para ouvir como eles falam. Nos cursos de alemão normalmente se aprende Hochdeutsch, uma variedade padrão ensinada nas escolas e usada especialmente em situações formais (como em telejornais, discursos de políticos, linguagem acadêmica etc.) Mas pra falar "sem sotaque" é necessário também saber ouvir as pessoas ao seu redor. Dependendo da região, da idade, do sexo, da profissão etc. das pessoas com quem você fala, você terá que adaptar o alemão aprendido no curso.

Por exemplo, vejamos a frase: Ich habe einen guten Deutschlehrer. Escutem agora as duas pronúncias abaixo.



No primeiro exemplo, a frase é pronunciada tal como está escrita, palavra por palavra. Só que na fala natural dos alemães quase ninguém fala assim tão "explicadinho". O -e da primeira pessoa dos verbos quase nunca é dito (já falei sobre isso aqui), a sílaba ei- dos artigos indefinidos (eine, einen, einem etc. ) também não, o -e- das terminações dos adjetivos é muitas vezes engolido quando seguido de -m ou -n (gut'n, gut'm) ou mesmo acontecendo com os infinitivos verbais (sag'n, geh'n) . O segredo é:  mesmo que você pronuncie cada palavra corretamente, é necessário ouvir mais alemães falando naturalmente para tentar imitá-los. Ouça mais quem fala alemão com você ou com quem você queira falar alemão. E lembre-se, o alemão usado numa mesa de bar não será o mesmo usado por professores na faculdade. Portanto, sempre esteja atento ao modo como as pessoas falam em cada situação. Se você morar numa região de dialeto, é importante também abrir bem os ouvidos para perceber essas diferenças.

Já mencionei aqui no blog algumas diferenças do alemão da rua e dos cursos. Clique aqui.

4) Fingir que você é uma outra pessoa quando fala outra língua
No filme "Olga" vários atores
brasileiros falaram alemão. 

Você já tentou imitar o sotaque de uma outra região do Brasil ou de Portugal? Você é bom nisso? Se não tentou, tente. Porque imitar um sotaque da nossa própria língua com perfeição já é um bom exercício para saber se você é bom de ouvido. Quando as pessoas tentam imitar o sotaque de uma determinada região, seja para fazer piada, para um papel numa peça ou filme,  ou até mesmo com o intuito de esconder as suas origens, normalmente a pessoa assume outra identidade.

Se um ator carioca ou paulista tenta imitar, por exemplo, o sotaque gaúcho, uma das coisas que ajuda é pensar que ele não é mais ele mesmo. Ele entra naquele personagem, bota o figurino, muda de nome e "bá... tchê...bagual...".

Se você quer ter um bom sotaque alemão, você já tentou imaginar que tudo não passa de uma peça de teatro e que, por um momento, você poderia ser um Hans, uma Ulrike, um Fritz, uma Frida? Pois faça o teste. Imagine por um momento que você está tentando imitar um amigo alemão. Finja que não é você. Tente imitá-lo. Se não tiver amigos alemães pegue uma cena de um filme alemão e finja que é um dos atores da cena. Tente reencená-la. Entre no personagem.

No momento em que você finge ser outra pessoa, você passa a ter menos medo de fazer coisas (inclusive fazer sons com a boca) que você normalmente não faria sendo você mesmo(a). Se você acha que não é bom ator/atriz, compre um fantoche. Dê um nome alemão pra ele. E imagine que você esteja falando alemão com uma criança através do fantoche. Só em tentar fazer uma outra voz pro fantoche, você já vai conseguir falar diferente do que fala normalmente.

A maioria das pessoas nunca perde o sotaque pois têm medo de assumirem essa nova pessoa, de perderem sua identidade brasileira/portuguesa etc., por vergonha, por insegurança. Pois tente ser outra pessoa quando falar alemão. Tente. Não custa nada.

5) Ser perfeccionista
Depois de anos de ensino e contato com estrangeiros falando idiomas, constatei o seguinte em relação ao aprendizado de pronúncia: há dois grupos: aqueles que dizem "Professor, se eu falar assim eles vão me entender? Então, pronto. Tá ótimo" e aqueles que dizem assim "Professor, vamos fazer exercícios de pronúncia. Não me conformo em pronunciar errado". Ou seja, existe um grande número de pessoas que não se importa em ter sotaque. Há um grande número de alunos que dizem "Contanto que me entendam, tá ótimo". Tem gente que acha sotaque até "charmoso". Todas as pessoas que conheço falando alemão sem sotaque se esforçaram muito para soar como um nativo e não se contentavam com uma pronúncia mais ou menos. Há um quê de perfeccionismo nas pessoas que insistem em melhorar a pronúncia a ponto de soar feito um nativo. Essa vontade de pagar o preço que for necessário (muito treino, muita repetição, muito esforço etc.) para falar bem precisa vir da própria pessoa. Como professor, não há como conseguir convencer todos os meus alunos a fazerem esse esforço, quando muitos alunos querem apenas ser entendidos. Então para diminuir o sotaque estrangeiro de vez, você primeiramente precisa ser perfeccionista.

Cabe lembrar que não há nada de errado em não querer perder completamente o sotaque estrangeiro, desde que a pronúncia seja compreensível. Se você gosta de falar com sotaque, todo mundo te entende e você está satisfeito(a) assim, é o que importa. Lembre-se de que muitos estrangeiros moram no Brasil que falam português com sotaque. Então dê o seu melhor, mas não se estresse tanto.

Para ler mais sobre a pronúncia de determinados sons, clique aqui.

Obs.: Algumas pessoas podem ter problemas em reproduzir sons até na própria língua. Se você tem um problema físico de audição ou de dicção, é possível que você tenha que procurar um(a) fonoaudiólogo(a). 

20 de julho de 2017

Verdade ou Mito? Substantivos de origem estrangeira são sempre neutros?

Hoje gostaria de falar sobre o gênero de substantivos de origem estrangeira. Para começar vou falar sobre a língua portuguesa.

Este é um fenômeno conhecido dos falantes de português. Quando uma palavra de outra língua passa a ser usada no nosso idioma, esta também recebe um gênero: masculino ou feminino. Muitas palavras do inglês acabam sendo do gênero masculino.

o mouse
o laptop
o notebook
o e-mail
o hot dog

etc.

Mas também temos exemplos de palavras femininas vindas do inglês
a lan house
a internet
a top model

Existem várias razões pelas quais uma palavra ganha um gênero. Às vezes os falantes fazem associação com outras palavras existentes na língua (a internet = a rede de computadores, a lan house = a casa, o mouse = o rato). Mas nem sempre os falantes associam a palavra com alguma da língua. Apesar de ser "o refrigerante", quase todos são femininos: Vou beber uma Coca-Cola, uma Fanta, uma Pepsi, uma Sprite. Já os guaranás são masculinos: Vou beber um Kuat. Bebidas energéticas e isotônicas parecem ser majoritariamente masculinas: Vou beber um Red Bull, um Gatorade.

Pra se ter uma ideia de como nem sempre é fácil estabelecer um gênero fixo para uma palavra estrangeira, a palavra mousse (também escrita musse) é do gênero feminino: Comi UMA mousse de chocolate. Mas há inúmeros falantes nativos que dizem "um mousse". Na Itália um queijo chamado mozzarella. Em português sua grafia foi adaptada para mozarela ou muçarela (se não acredita, confira aqui). E aí? Você comeu um mozarela ou uma mozarela? Essa palavra vai ser masculina porque é um "queijo" ou vai ser feminina porque termina em -a? A sua pizza tem muitO ou muitA mozarela? O que você costuma dizer? Já já comento mais.

Agora vamos ao alemão: 
Da mesma forma que em português há muitas razões possíveis para que uma palavra estrangeira ganhe um determinado gênero. Mas independente de qual gênero ela receber, saiba que será quase sempre de forma intuitiva, ou seja, os próprios falantes passam a associar aquela palavra a um gênero, sem saber o porquê. Vamos aos exemplos.

Bebidas alcoólicas são masculinas em alemão (com exceção de (das) Bier). Portanto, não importa qual seja a língua de origem, todas ganham o gênero masculino.

der Whisky
der Wodka
der Cocktail
der Drink
der Rum

E o que acontece com Tequila? Caipirinha? Cachaça? São femininos, né?
Tequila segue a regra das bebidas alcoólicas, portanto, der Tequila.
Já Caipirinha e Cachaça aceitam tanto o gênero masculino quanto feminino: der/die Caipirinha; der/die Cachaça

Se eu parasse o texto por aqui, já seria suficiente para provar que palavras estrangeiras nem sempre são do gênero neutro, mas gostaria de dar mais alguns exemplos.

Francês e italiano, assim como português, têm apenas os gêneros masculino e feminino. Vamos ver como ficaram os gêneros de algumas palavras vindas desses idiomas.

das Croissant
der Cappuccino
der/die Latte macchiato
die Pizza
die Mousse
der Croûton
das/der Gratin
das Appartement 
das Konto
die Spaghetti
die Bagage
die Garage
das Püree
das Portemonnaie/Portmonee
die Idee
das Fiasko
der Mozzarella

Algumas palavras mantiveram o gênero original das línguas em questão (la pizza, la mousse), algumas ganharam o gênero neutro (das Konto, das Püree), outras pegaram o gênero oposto ao da língua original (le garage [masc.]; die Garage [fem.]; la mozzarella [fem.], der Mozzarella [masc.]).

Por que pegaram o gênero contrário?
Porque a escolha do gênero é feita de forma intuitiva. Para um alemão nativo, palavras de origem francesa que terminam em -age são  naturalmente femininas. Talvez porque em alemão palavras que terminam em -e átono (die Blume, die Rose etc.) também sejam normalmente femininas.

Em alemão: die Garage, die Etage, die Massage, die Passage etc.
Em francês (masculinas): le garage, l'étage, le massage, le passage

Não é interessante ver que para nós, falantes nativos do português, essas palavras soam naturalmente femininas? A garagem, a massagem, a passagem. Os próprios falantes de uma língua acabam escolhendo um gênero meio intuitivamente.

Eu sei que alguns alemães vão tentar explicar que o "das" de "Croissant" vem de "(das) Gebäck". Mas lembre-se de que nem sempre existirá uma palavra alemã na qual o gênero se baseia. O gênero é muito mais escolhido pela intuição natural do falante e por associações com outras palavras que já têm um gênero definido na língua.

Observem novamente o exemplo de Mozzarella. Em alemão a palavra Käse (queijo) é do gênero masculino e os nomes dos tipos de queijo também: der Camembert, der Gorgonzola, der Mozzarella.

O que acontece com as palavras de origem inglesa? 
Como expliquei antes, o gênero dos substantivos não segue uma regra única. Ele é escolhido pelos falantes de forma intuitiva e associativa. Voilá... alguns exemplos de palavras de origem inglesa e seus respectivos gêneros

das Notebook
der/das Laptop
das Tablet
das Dinner
der Brunch
die Party
die Lady
der Song
der DVD-Player
der Computer
das iPhone
das iPad
der iPod (sim, sim... é isso mesmo... das iPhone, das iPad, maaaaas der iPod mwahahahaha)
der USB-Stick
das WLAN
das Baby
das Layout
das Design
der Slang
die Family
der Smoking
das Boarding
der Trend
der Marker
der/das Input
der/das Output
der/das Download
der Shop
der Track

Chega de exemplos! Se você perguntar para um alemão por que nem todas as palavras do inglês são do gênero neutro, eles vão ter sempre uma palavra alemã para te indicar. Por exemplo: por que se diz (die) Party? Os falantes nativos vão dizer que é por causa da palavra (die) Feier. Mas em alemão também existe a palavra (das) Fest. O motivo de Party ser do gênero feminino é que gêneros não são sempre escolhidos procurando uma palavra alemã pra comparar. Eles são escolhidos por intuição.

Quer deixar um alemão confuso? Pergunte o seguinte: Se em alemão se diz (das) Lied, por que então se diz (der) Song? Muitos vão ficar procurando uma sinônimo do gênero masculino pra justificar. Mas, na verdade, o motivo mais óbvio é o processo de formação de palavras em alemão.

klingen - der Klang
schwingen - der Schwung
springen - der Sprung
singen - der Song, der Gesang

Em alemão para "canção" pode-se dizer "(das) Lied" ou "(der) Song" (pronúncia inglesa!). (Der) Gesang significa "(o) canto".

Como disse antes, é claro que um falante nativo normalmente nem sabe direito por que Song tem o gênero masculino em alemão. Mas ele seguiu intuitivamente a formação de palavras no seu próprio idioma para saber o gênero. No caso de iPod, provavelmente os alemães associaram com o som da palavra alemã (der) Pott (um tipo de panela, pote). Por que (der) Brunch se em alemão se diz (das) Frühstück e (das) Mittagessen? Por que (der) Track se em alemão se diz (die) Spur? A resposta é a mesma. Intuição. E quando não se é nativo e nos falta essa intuição, o jeito é a memorização.

E a cereja do bolo: der Piranha. Sim, o peixe que é famoso por sua dentição afiada é do gênero masculino em alemão. Afinal, der Fisch. Será? :-) 

3 de julho de 2017

Bolsas do DAAD para o Winterkurs 2018


O DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) oferece todos os anos bolsas de estudos para estudantes universitários brasileiros que estejam aprendendo alemão. É uma forma de incentivo para aqueles que futuramente possam se interessar em pesquisar na Alemanha.

É uma seleção feita nacionalmente (ou seja, qualquer universitário brasileiro pode se candidatar) e sempre fiquei muito feliz que Fortaleza sempre tenha conseguido enviar vários candidatos todos os anos.

Mas preparem-se para o frio... os cursos são oferecidos, em geral, nos meses de janeiro e/ou fevereiro.. ou seja, os meses mais frios da Alemanha. A chance de ver neve nesses meses é quase 100%, mas a chance de passar frio também é em torno de 100%. Nada de ver alemães sorridentes e felizes na rua... tá todo mundo escondido em algum lugar quentinho tomando alguma bebida quente :-) Mas é uma chance de conhecer a Alemanha, aprender alemão e ainda ganhar uma ótima ajuda de custo (3.275 Euros + seguro-saúde)

Pré-requisitos:
  • Nacionalidade brasileira ou residência permanente no Brasil
  • Matrícula em universidade brasileira (não podem estar formados antes de março de 2018)
    - Alunos da graduação:  4º semestre concluído até dezembro de 2017. Coeficiente acadêmico de 8,0 ou equivalente.
    - Alunos de mestrado
    - Alunos de doutorado
  • Conhecimentos de alemão correspondentes ao nível intermediário B1 para todas as carreiras
  • Teste OnSET (antigamente chamado de onDaF) é obrigatório para todos os candidatos (clique aqui para obter dicas de como se preparar para o teste onDaF)
  • Carta de motivação escrita em alemão
(Informações retiradas do site do DAAD):
Você pode se inscrever até o dia 15 de agosto de 2017 (23:59 - horário alemão). Para ler o edital clique aqui.

Quer ganhar essa bolsa? A inscrição será feita pelo portal do DAAD. (Clique aqui).
Para ler sobre as cidades alemãs onde você poderá estudar, clique aqui.

Não se esqueçam de que aqui no blog já postei várias dicas para se preparar para o teste onDaF. Clique aqui.

Atenção! Não respondemos perguntas sobre a bolsa. Todas as perguntas devem ser dirigidas aos contatos fornecidos na página do DAAD e/ou no edital. Mas gostaríamos muito de ler nos comentários experiências de quem já fez o Winterkurs.

Todas as informações foram retiradas da página do DAAD Brasil

29 de junho de 2017

O famoso ß

Obs.: Este texto foi escrito originalmente em 2008 e atualizado em junho de 2017. 

Hallo Leute,

aqui vai um post sobre esta letrinha diferente do alemão. O nome dela é scharfes S ou então SZ (Eszett).

Ela não é a mesma coisa que o BETA GREGO.

Esta é a letra alemã: ß
Este é um beta grego: β

Olhe bem e veja a diferença: ß ≠ β (a vermelha é a alemã)

Para fazer a letra alemão no WINDOWS, há duas teclas de atalho.
ALT + 0223 ou ALT + 225

Você deve apertar o ALT e a seqüência de números enquanto o ALT é pressionado. Atenção: Os números devem ser os do teclado numérico e não em cima do alfabeto, ok? Ou seja, em Laptops vcs teriam que ativar o teclado numérico...

Lembrando que essas teclas de atalho só dão certo no Windows. Para o Linux clique aqui (dica do leitor Márcio Bremm)

Vamos falar um pouco mais sobre o ß!!!
Alguns alunos se perguntam: é preciso mesmo usar essa letrinha? Quando é que eu uso ß ou SS? Estou aqui pra tirar as dúvidas dessas perguntas...

Gente, desde 1998 a língua alemã começou a passar por uma reforma ortográfica. O texto final da reforma (e o único válido hoje) foi o de julho/agosto de 2006 (não sei bem ao certo o mês). Em 2006 eles deram um basta e decidiram que não iam mais mexer em nada.. Ou seja, o que tá valendo hoje é o texto de 2006. Quaisquer livros publicados antes de 1998 estarão com o alemão de antes da reforma.

Vamos eliminar um mito: O ß não foi abolido com a reforma ortográfica, como já vi muita gente pregar por aí. O que aconteceu foi apenas as regras para o uso do ß se resumiram a apenas DUAS. Então ficou fácil... só se usa ß só em DOIS CASOS.

Caso 1: Usa-se ß depois de ditongos. (Pra quem não sabe ditongos são encontros de duas vogais pronunciadas na mesma sílaba).

Ex.: heißen (ich heiße Hans), weiß, außer, äußern etc. Bem fácil, né?

Caso 2: Usa-se ß depois de vogais longas.

 hieß (Präteritum de 'heißen'), Maß etc.

(Isso é mais complicado pra brasileiros...mas eu posso dar uma dica, o E e o O longos são fechados, o I longo tem o mesmo som que o I de "missa", o U longo tem o mesmo som que o U em "saúde". O "A" é mais complicado de diferenciar)... O encontro "ie" tem sempre som do I longo.

Ex.: Fuß [pé](a gente lê FÚÚS) ... é diferente de Fluss [rio] (a gente lê parecido com Flâs, com boca de u, mas é só uma pronúncia aproximada) - uma é LONGA, então ß! A outra é breve, então SS! stoßen (pronúncia stÔssen)...
floss (pronuncia-se flÓss)...

Vogal longa, fechada: ß,
Vogal breve, aberta: SS!


************************************************************

Eu não preciso ensinar aqui as regras antigas, já que há vários anos só se deve escrever com as regras novas, mas vocês vão perceber em livros antes da reforma que havia muito mais palavras com ß que hoje se escrevem com "ss" por causa das novas regras citadas acima. Percebam que em alguns dos casos nada mudou pelos motivos citados acima [AZUL= nada mudou / VERMELHO = se escreve com SS desde a reforma].


ANTES

DEPOIS

Fluß Fluss
ich muß ich muss
ich weiß ich weiß
ihr wißt ihr wisst
bißchen bisschen
daß dass
er ißt er isst
er aß er aß
Imbiß Imbiss
 
OBSERVAÇÕES: 

1 - Na Suíça não há o costume de se usar o ß.. Somente lá se substitui tudo por "ss"... Então preste atenção: NA SUÍÇA! Mas se vc não estiver na Suíça ou escrevendo documentos para a Suíça, use o ß!

2 - Atualização: Desde 29 de junho de 2017 o Comitê de Ortografia da língua alemã decidiu aceitar a adoção de um ẞ maiúsculo. Até essa data a letra ß só era minúscula. Isto quer dizer que se vc quisesse escrever tudo em caixa alta/maiúscula, o correto era substituir tudo por SS.

Com a nova regra, você ainda poderá substituir o ß por SS, mas também poderá usar o ẞ maiúsculo.

Veja como era e como é a escrita de palavras que contenham o ß quando forem escritas em caixa alta/maiúsculas.

ANTES (de 29 de junho de 2017)
1) dois SS - FUSSBALL - correto
2) ß minúsculo - FUßBALL - errado

HOJE 
1) dois SS - FUSSBALL - correto
2) ẞ maiúsculo - FUẞBALL - correto
3) ß minúsculo - FUßBALL - errado

Veja melhor a diferença entre a letra maiúscula (azul) e minúscula (vermelha).
ß


P.S. Ainda não sei como fazer o ẞ maiúsculo no teclado. Então quem souber, por favor, me avisa.
O teclado alemão só tem a tecla pro ß minúsculo. Portanto, ainda vai demorar um pouco até saírem teclados com o ẞ maiúsculo. Não se desesperem para digitar o ẞ maiúsculo ainda. O seu uso é opcional. Vocês sempre poderão substituir por SS quando escrever a palavra toda com letras maiúsculas.

Liebe Grüße
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...