PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

22 de dezembro de 2015

Retrospectiva 2015 - E o futuro do blog?

Como a maioria de vocês sabe, este site é um blog. E um blog também é um site pessoal, ou seja, não é só um portal de postagens do alemão, já que nele também falo um pouco sobre minha vida na Alemanha, sobre coisas de que eu gosto, sobre viagens que faço etc. É o meu canal para postar sobre o país que adotei como lar, a sua língua e a sua cultura que hoje fazem parte da minha vida.

O ano de 2015 foi um ano bom pra mim. Um acontecimento especial pra mim foi o fato de eu ter obtido a cidadania alemã. Não, eu não casei. Continuo solteiríssimo. (Alô, alô, tem alguém Single aí?). A cidadania alemã não tem pra mim valor meramente burocrático. Ter as duas nacionalidades são a perfeita representação de mim hoje: um brasileiro nato, mas que já mora há tantos anos na Alemanha que já não é mais a mesma pessoa que saiu do Brasil. Se fazer um intercâmbio de um ano já consegue provocar mudanças numa pessoa, imagine morar muitos anos fora do país. (Sobre como obter a nacionalidade alemã sem ter antepassados alemães e sem se casar com cidadã(o) alemã(o) clique aqui (em português) ou aqui (em inglês) - Nota: apesar de a matéria da DW não citar o Brasil, a Alemanha reconhece a dupla nacionalidade de brasileiros, portanto, não é preciso abdicar da nacionalidade brasileira ao se tornar alemão. Na dúvida, consulte o Departamento de Naturalização da sua cidade.

Speicherstadt - Hamburgo
Outra mudança foi a realização de um sonho antigo: morar em Hamburgo. Depois de muitos anos morando em cidades de médio porte, já fazia anos que sonhava em me mudar pra cá. Eu amei os últimos quatro anos em Bremen, mas eu sempre guardei a ideia de morar numa cidade grande. Pois bem, em fevereiro comecei a trabalhar em Hamburgo, mas apenas em setembro consegui me mudar de mala e cuia. Ainda estou me readaptando ao ritmo da cidade grande, com seus metrôs, S-Bahnen e muitos minutos pra ir de um lado a outro da cidade, mas até agora tem valido muito a pena.

O que aconteceu é que não deixei Bremen totalmente para trás. Eu virei um Pendler. Um Pendler é uma pessoa que mora numa cidade e trabalha em outra (ou seja, eu preciso pendeln - trabalhar numa cidade diferente da onde moro). Eu continuo indo com frequência a Bremen pra trabalhar. As duas cidades ficam a apenas 55 minutos de trem (trajeto entre as estações centrais com trem IC ou ICE) uma da outra, o que é mais ou menos o tempo necessário de um bairro a outro de Fortaleza de ônibus. Então minha rotina envolve algumas horinhas semanais em trens, metrôs etc. Vale a pena? Mas é claro. Eu adoro meu trabalho e vou trabalhar feliz em ambas as cidades. Além do mais, a chance de trabalhar nas duas cidades foi o que me deu a segurança financeira pra me mudar pra Hamburgo.
Estação Central de Bremen no Natal

Essa mudança, porém, trouxe uma mudanças para o blog: a falta de tempo. No começo do ano ouvi a pergunta: "E você vai ter tempo pra cuidar do blog?". Respondi "Vou, sim". O fato é que agora eu posto muito quando estou sentado no trem indo de uma cidade pra outra. Continuo tendo milhares de ideias para o blog, mas quando chego em casa percebo que tenho casa pra arrumar, roupa pra lavar, aula pra preparar e ainda quero curtir a vida, sair, viajar, assistir TV, conversar com amigos etc. Hoje dando uma olhadinha no número de postagens do ano, percebi o quanto o nosso amado blog sofreu. Foram pouco mais de 30 mensagens no ano todo em comparação com as mais de 90 dos últimos dois anos. Bateu até um peso na consciência.

E o futuro do blog? Vai acabar? 
Não. Não vai acabar. Mesmo com toda a correria eu continuo postando no blog o quanto posso e assim continuarei. A página do Facebook continua a todo o vapor e ainda tenho um perfil no Instagram (@aprenderalemao). Eles continuam a todo o vapor, pois é o que mais consigo atualizar em trânsito. Vocês sabem que nunca entro de férias. Mesmo viajando eu costumo postar alguma coisa.
Já escrever no blog demanda mais tempo e preparação, já que eu não quero escrever qualquer coisa. Todo o conteúdo que produzo sai da minha cabeça, não é copiado de ninguém.
Estou com muitas ideias agora e estou com muitos planos para 2016.

Resumindo - 2015 foi um bom ano pra mim, mas um ano mais fraco em relação ao blog. Mas dos 30 tópicos deste ano escolhi os meus preferidos para relembrar:
a) Schwein gehabt: porcos, porcalhões e porcarias... - Em janeiro escrevi um texto sobre as diversas palavras em alemão para o animal "porco" e suas diversas conotações.
b) Verliebt in der falsches Mädchen - Em janeiro um brasileiro compôs uma música em alemão e cantou na TV.
c) Plusquamperfekt - Em fevereiro fiz um tópico de gramática sobre o Plusquamperfekt.
d) Durante o ano eu fiz alguns testes de gramática, por exemplo aqui ou aqui.
e) Este ano eu também fiz alguns vídeos para o canal do Youtube, por exemplo aqui ou aqui.
f) Além disso, esse ano fiquei em segundo lugar na competição de blogs graças aos votos de vocês.

Gente, é isso! :-) Desejo a todos vocês frohe Weihnachten und einen guten Rutsch ins Neue Jahr! Espero contar com as suas visitas em 2016. Obrigado pelo apoio e pelas mensagens de agradecimento. 

15 de dezembro de 2015

Mestre Yoda em alemão

Em alemão existem muitos casos onde o verbo vai para o fim da frase. A maioria desses casos eu já expliquei no seguinte link. Mas aqui darei uma breve revisão:

O verbo no fim é o NORMAL no alemão. É tão normal que se você perguntar a um alemão como se diz "jogar futebol" ou "comer carne" ou "ouvir música", mesmo sem estar numa frase o alemão responderá na seguinte ordem "futebol jogar" (Fußball spielen), "carne comer" (Fleisch essen) e "música ouvir" (Musik hören). Ou seja, a ordem NATURAL do alemão é que verbos no infinitivo estejam sempre no fim. Os verbos só saem dessa ordem e vêm para a posição II quando estão conjugados.

FORMAS VERBAIS QUE (QUASE SEMPRE) APARECEM NO FIM DA ORAÇÃO:
1) Infinitivos:
Ich will Fußball spielen. (ao pé da letra: Eu quero futebol jogar)
Hier darf man keine Musik hören. (ao pé da letra: Aqui pode se não música ouvir)
Ich würde gerne Fleisch essen. (ao pé da letra: Eu gostaria carne comer)

2) Particípios:
Ich habe gestern Fußball gespielt.
Wir haben gestern Musik gehört.
Ich hätte gerne Fleisch gegessen.

Verbos conjugados só vão para o fim da oração se elas forem SUBORDINADAS iniciadas por conjunções subordinativas ou RELATIVAS iniciadas por pronomes relativos. Neste caso, os verbos conjugados aparecem depois dos INFINITIVOS e dos PARTICÍPIOS.

Ich weiß, dass ich Fußball spielen will.
Er weiß, dass man hier keine Musik hören darf.
Ich habe gefragt, ob du gerne Fleisch essen würdest.

Muita gente diz assim: "Ah, é como o Mestre Yoda" :-)

É.. mais ou menos isso :-)
Mas muitos se perguntam: E como é que o Mestre Yoda fala em alemão? Se você sempre se perguntou isso, o mistério acabou:

1) Nos casos em que o verbo conjugado deveria estar na posição II, ele também aparece no fim quando o "Meister Yoda" fala, ou seja, fica bem parecido com o português.

Em vez de dizer: "Ich bin glücklich", o Yoda diria "Glücklich ich bin", o que torna a frase esquisita até mesmo em alemão.

2) Nos casos em que o verbo já estaria no fim numa frase em alemão ainda há um segundo recurso.
Nos casos de verbo no fim, a ordem tradicional do alemão é SUJEITO - OBJETO - VERBO.

Exemplo: Ich weiß, dass ich Fußball spielen will.
(ich - sujeito / Fußball - objeto / spielen will - verbos).

O M. Yoda acaba botando a frase na seguinte ordem: OBJETO - SUJEITO - VERBO.
Além disso, Yoda pega os verbos no infinitivo ou os particípios e traz pra frente, geralmente perto do objeto, fazendo a frase ficar toda bagunçada.

Ou seja, a ordem das palavras numa frase do Yoda seria:
1) COMPLEMENTO/OBJETO/PREDICATIVO e/ou INFINITIVO/PARTICÍPIO -
2) SUJEITO -
3) VERBO CONJUGADO

Mas lembrem-se: às vezes esta ordem é quebrada e o Yoda fala "correto", ou às vezes ele não troca tudo. Mas no alemão padrão, a ordem das palavras deve ser sempre mantida tal como se aprendem nos livros. 

Alemão saber falar eu também sei. 
Eu vou marcar os exemplos com as cores acima; observem as cores para entender as funções sintáticas.. Vou dar exemplos de frases autênticas do Yoda, retiradas da internet. Tente colocar as palavras na ordem correta. As respostas estão logo após o vídeo:

1) "„Öffnet euch. Spürt die Macht, die euch umgibt. Eure Sinne nutzen ihr müsst.“
— Yoda zu den Jünglingen (Episode II – Angriff der Klonkrieger, Kapitel 14)" 

2) „Verloren einen Planeten Meister Obi-Wan hat. Wie peinlich. Wie peinlich!“
— Yoda zu den Jünglingen (Episode II – Angriff der Klonkrieger, Kapitel 14)

3) „Der Auserwählte er wirklich sein mag. Aber trotzdem... große Gefahr ich befürchte durch seine Ausbildung.“
— Yoda zu Obi-Wan Kenobi (Episode I – Die dunkle Bedrohung, Kapitel 47 - New Knight, New Apprentice)

4) Ins Exil gehen ich werde müssen. Versagt ich habe".
— Yoda zu Bail Organa nach seinem Kampf gegen Palpatine (Episode III – Die Rache der Sith, Kapitel 42 – Um Haaresbreite)

Todos os exemplos foram retirados deste link aqui


Espero que os fãs dos jedis tenham matado a curiosidade. Mas, por favor, não falem como Mestre Yodas pela Alemanha :-) Qual é das palavras a ordem correta por favor vejam!

Abaixo um vídeo de uma série com o Mestre Yoda: 



Respostas (ordem mais comum em alemão): 
1) Ihr müsst eure Sinnen nutzen. (Vocês precisam usar os seus sentidos)
2) Meister Obi-Wan hat einen Planeten verloren.  (O mestre Obi-Wan perdeu um planeta)
3) Er mag wirklich der Auserwählte sein... ich befürchte (eine) große Gefahr durch seine Ausbildung.  (Ele talvez seja realmente o escolhido. Temo (um) grande perigo através do seu treinamento)
4) Ich werde ins Exil gehen müssen. Ich habe versagt. (Precisarei ir ao exílio. Eu falhei.)

E por fim, o trailer do novo filme em alemão:

11 de dezembro de 2015

Declinação Gênero por Gênero

A declinação no alemão afeta muito pouco os substantivos. Quase sempre afeta apenas as palavras que acompanham os substantivos (artigos, possessivos, demonstrativos etc.). Por exemplo: der Mann, den Mann, dem Mann. Então, na verdade, aprender a declinar as palavras que acompanham os substantivos é o mais importante no processo de aprender declinação. Apesar de os livros trazerem inúmeras tabelas, não é necessário aprender tudo do começo. Você poderá observar abaixo que as terminações das diversas palavras que acompanham os substantivos são as mesmas.

Clique nas fotos para vê-las em tamanho maior.

Masculino
Sobre a N-Deklination você pode ler mais clicando aqui. 

 Feminino
 Neutro
 Plural
 Resumo
(Lembrem-se: estas terminações abaixo se referem apenas às palavras que acompanham os substantivos, ou seja, artigos, possessivos, demonstrativos etc. Para a declinação dos adjetivos, clique aqui)

Se você não sabe como identificar o gênero de um substantivo, clique aqui.
Se você não sabe como diferenciar o acusativo do dativo, clique aqui.
Sobre o genitivo você pode ler aqui ou aqui

2 de dezembro de 2015

O que significa "Mahlzeit"?

Já vi essa cara de dúvida de muitos estudantes intercambistas ao chegarem à Mensa (Restaurante Universitário)... o que diabos é isso que a mulher do caixa fala? Mahlzeit?


A palavra '(die) Mahlzeit' quer dizer 'refeição'.
Ex.: Das Frühstück, das Mittagessen und das Abendessen sind Mahlzeiten. O café-da-manhã, o almoço e o jantar são refeições.

Pra desejar "bom apetite" se diz "Guten Appetit" ou "Lass es dir schmecken".

A expressão "Mahlzeit" ouvida nas cantinas e restaurantes universitários é apenas uma saudação (como "Olá") usada próximo da hora do almoço. É muito ouvida nas universidades e entre colegas de trabalho. Por exemplo: Digamos que você marcou de se encontrar com amigos pra almoçar no Restaurante Universitário. Quando você chegar você pode saudar os seus amigos dizendo "Mahlzeit", mesmo que ninguém tenha se servido ainda. É um tipo de "Olá" na hora do almoço. Às vezes as pessoas a usam como "tchau", especialmente para quem ainda está comendo. Quem trabalha de manhã e chega atrasado também pode ouvir um "Mahlzeit" sarcástico indicando "Chegou tão tarde. Já é quase hora do almoço".

Observem o vídeo abaixo (dica da leitora Dagmara)

O comercial de Natal alemão que está emocionando o mundo


O supermercado Edeka fez um comercial que está fazendo sucesso no mundo todo. Ative as legendas em alemão no símbolo da engrenagem (foto ao lado)! Logo abaixo você tem o vídeo e o texto do vídeo traduzido para o português. Preparem os lenços :-)



- Hallo, Papa, ich bin's (Alô, papai, sou eu)
- Hallo, Opa. (Alô, vovô)
- Ich wollte nur kurz anrufen und dir Bescheid geben: wir werden's Weihnachten dieses Jahr wieder nicht schaffen. Wir versuchen es nächstes Jahr und dann klappt es ganz bestimmt. (Tô te ligando rápido pra te dizer que, mais uma vez, não vai dar pra passar o Natal aí. A gente vai tentar no próximo ano e com certeza vai dar certo). Fröhliche Weihnachten, Papa. Bis bald. (Feliz Natal, papai. Até logo). 
- Fröhliche Weihnachten, Opa. (Feliz Natal, vovô)

(depois do funeral)
- Wie hätte ich euch denn sonst alle zusammenbringen sollen? Mmh? (De que outro jeito vocês queriam que eu tivesse juntado vocês todos? Hein?)
- Papa (Papai...)
- Opa (Vovô)
- Fröhliche Weihnachten! (Feliz Natal!)

Zeit heimzukommen - Hora de voltar pra casa

Pra quem quiser ouvir a música do comercial, clique aqui.
E aí? O que vocês acharam do comercial? :-) 

23 de novembro de 2015

Amigo Secreto de Cartões de Natal


Queridos, a pedidos este ano vamos fazer novamente um Amigo Secreto (em alemão "Wichtel") de cartões postais em alemão entre leitores do blog. Poderão participar pessoas de qualquer parte do mundo, desde que se comprometam a enviar o cartão. O sorteio será no dia 3 de dezembro.

As regras estão na página do registro. Para participar, clique no link e preencha o formulário: https://www.wichtel-o-mat.de/register/2ls19yrix1ltl-3qo971t7loiw5

Caso não saiba como escrever um cartão de Natal em alemão, leia mais clicando aqui.

14 de novembro de 2015

É falta de educação dizer "Ich will..."?

Ouvi dizer que nunca se deve dizer "Ich will" por ser uma falta de educação. Isso é verdade?

Jein (sim e não).
Você sempre pode dizer “Ich will...” quando falar sobre planos para o futuro, por exemplo:
Ich will in Deutschland studieren” (Eu quero fazer faculdade na Alemanha). 

Também é possível dizer “Ich will...” quando se fala sobre coisas que você mesmo quer fazer: 
Ich bin so müde. Ich will jetzt nach Hause (gehen)”. (Estou tão cansado. Quero ir para casa agora). 

Dizer “Ich will...” só é grosseiro quando é usado para dizer o que outras pessoas devem fazer para você. Ao chegar num bar, por exemplo, não diga “Ich will ein Bier”, já que o garçom não é seu escravo. Em vez disso, diga "Ich hätte gerne ein Bier". Também dá para dizer "Ich möchte (gerne)...". Dizer "Ich will..." ao fazer um pedido num restaurante soa extremamente grosseiro e impositivo. Soa como ordem, não como pedido. 

Para pedir coisas (em casa, a pessoas próximas ou a estranhos) como “Eu quero/queria que você...” de forma educada, o ideal é sempre perguntar com Kannst du / Könntest du...? (Você pode/poderia...?). Acrescentar um bitte à frase também nunca é demais. 

Kannst du bitte das Fenster aufmachen? (Você pode abrir a janela, por favor?)

Uma outra opção de lembrar as pessoas de suas obrigações e deveres é usando o verbo sollen

Du sollst zu Hause bleiben und mir helfen. (Você deve ficar em casa e me ajudar / Eu quero que você fique em casa e me ajude)

Os alemães raramente dizem coisas como "Ich will, dass du... " (Quero que você...), a não ser que seja num tom bastante impositivo. Se você estiver delegando tarefas para pessoas (como líder, chefe, pai, mãe etc.), caso você não pergunte o que cada um pode fazer, o ideal é dizer de forma direta com o presente dos verbos ou com o verbo können.

Du machst dein Bett. ([Você] arrume a sua cama). 


Mas em todos esses anos de trabalho, nunca vi minha chefe nem meus colegas delegarem tarefas de forma impositiva. Sempre tudo foi delegado através de perguntas. Alguém pode fazer isso? Fulano, você poderia fazer isso e aquilo?

Dizer frases como "Ich möchte, dass du..." não torna a frase menos impositiva. É que o fato de você dizer "Ich möchte" deixa claro que esta é a sua vontade que está sendo imposta. Lembre-se, caso você não esteja dando uma ordem, o ideal é perguntar se a pessoa pode fazer. 

Resumindo: Dizer "Ich will" nunca é errado gramaticalmente. Mas a língua não é só gramática, né? Também não é grosseiro, mas desde que ninguém tenha que fazer nada pra você. 

Para aprender mais expressões de gentileza, clique aqui.
Para aprender mais sobre o verbo sollen, clique aqui

31 de outubro de 2015

Halloween na Alemanha

Dia 31 de outubro é o Dia das Bruxas. Comemorar o Halloween virou uma moda também no Brasil e eu posso dizer que aqui na Alemanha é o mesmo. O Halloween é um tradição americana. A Alemanha não tem essa tradição, mas aqui também se vêem doces, abóboras, decoração para o Halloween. É um evento mais comercial que familiar ou tradicional.

Na Alemanha também há crianças fantasiadas pedindo doces nas casas? Resposta: se você morar num bairro com casas, talvez sim. Se você morar num bairro com apartamentos e condomínios, provavelmente não. Em todos esses anos de Alemanha eu nunca vi crianças passando pelas casas fantasiadas pedindo doces. E mesmo em bairros com casas, é bem possível que algumas pessoas não tenham nenhum doce pra oferecer, pois não é uma tradição alemã, e sim americana.

Na verdade, muita gente critica essa imitação de uma tradição de outro país. Na minha opinião, tanto no Brasil quanto na Alemanha se trata de um evento comercial, ou seja, o comércio encontrou um meio de ganhar dinheiro vendendo produtos do Halloween - fantasias, doces, decoração etc.

Vocabulário:
(das) Kostüm,-e : fantasia
(die) Süßigkeit, -en: doce
(die) Deko,-s; (die) Dekoration, -en: decoração
(die) Maske, -n: máscara


Para todos que tem curiosidade de saber como se diz a famosa frase 'trick or treat' em alemão, aí vai:

Süßes oder Saures? (ao pé da letra: doce ou azedo?)


Em português a nossa versão é "Gostosuras ou travessuras?".

Um pouquinho de Wikipedia em alemão: "In Deutschland wird kritisiert, dass die alten Bräuche, beim evangelischen Martinisingen am 10. oder beim katholischen Martinssingen am 11. November an den Haustüren Lieder zu singen und als Belohnung Gebäck, Früchte oder Süßigkeiten zu bekommen, von dem Ruf „Süßes oder Saures“ verdrängt werden. Man beklagt eine vermehrte Kommerzialisierung und Auswüchse, die zu zahlreichen Einsätzen der Polizei an Halloween führen. Manche evangelische Christen bedauern das zeitliche Zusammentreffen mit dem Reformationstag, der am gleichen Tag an die Reformation erinnern soll. In Deutschland bietet die Evangelische Kirche verschiedene Bonbons an – sogenannte Luther-Bonbons –, die an Kinder verteilt werden können.
Eine kritische Frage bleibt auch die Problematik, ob eine kulturelle Übertragung eines Feiertages auf einen anderen Kulturkreis ohne weiteres möglich ist. Es gibt in Europa keine tradierte Form des Halloweens in der modernen Zeit, da sich bisher eigene Bräuche verfestigt haben. Auch spielt die Dominanz der Medien und Werbung bei der Etablierung dieses Feiertages im europäischen Kulturkreis eine nicht zu unterschätzende Rolle. Die Freizeitindustrie verdient an diesem vermeintlichen Feiertag am meisten mit."

26 de outubro de 2015

Palavras que confundem: sich erinnern, merken e bemerken

Pergunta da leitora Livia Jacobina

Olá Fabio. Qual a diferença entre erinnern, merken e bemerken? A minha professora tentou me explicar, mas ainda não entendi direito 😕 Muito obrigada!!

Vamos lá! :-) Imagino que na sua cabeça todos querem dizer "lembrar", né? Então vamos um a um.


1) sich erinnern - O verbo é reflexivo em alemão, tal como o verbo lembrar-se. Quem se lembra, se lembra DE alguma coisa. Em alemão se usa a preposição an com o acusativo para indicar aquilo do qual se lembra. É um verbo com prefixo inseparável. O pronome reflexivo também fica no acusativo (ler mais aqui).

Ich erinnere mich an dich. Eu me lembro de você.
Erinnerst du dich noch an diesen Ort? Você ainda se lembra deste lugar?

2) merken - O verbo merken tem vários significados. Vou focar aqui no sentido de "lembrar". Nesse sentido, ele também é reflexivo (sich etwas merken) (só que o pronome reflexivo fica no dativo) e exige um complemento no acusativo sem preposição. A diferença é que o sentido não é bem "lembrar" e sim "memorizar, guardar na memória".

Ich kann mir diese deutschen Vokabeln nicht merken. - Não consigo memorizar essas palavras alemãs.
Das werde ich mir merken. - Não vou me esquecer disso.

Ou seja, a diferença é basicamente que no caso de sich etwas merken você faz um esforço para não se esquecer de algo, enquanto em sich erinnern você menciona o fato de que algo ainda está na sua memória. Não vou entrar aqui nos outros significados de merken.

3) bemerken - imagino que sua confusão entre merken e bemerken seja só a semelhança do verbo. Na verdade, bemerken tem mais o sentido de "notar, perceber" e é usado com o acusativo.

Ich habe deine neue Frisur gar nicht bemerkt. - Nem notei o seu novo penteado.

Agora vai uma última dica. Quando uma palavra não lhe vier à cabeça, em vez de usar o verbo sich erinnern, os alemães usam mais o verbo einfallen, com a seguinte estrutura:

(aquilo que foi esquecido no nominativo) + verbo + (a pessoa que anda se esquecendo das coisas no dativo)

Por exemplo. Para dizer "Não consigo me lembrar da palavra" - Das Wort fällt mir gerade nicht ein. (Em português temos uma construção pouco usada na linguagem coloquial brasileira que se assemelha à construção do alemão: Não está me ocorrendo agora.)

Bons estudos!

1 de setembro de 2015

Como saber se um verbo é irregular?

Hoje no Facebook recebi as seguintes perguntas da leitora Gabriela:

Boa tarde pessoal, estou com algumas dúvidas no alemão:
1) Como sei que um verbo é regular ou irregular?
2) Em "Wie geht es Ihnen?" o ES está relacionado ao Ihnen, por ser um dativo neutro? Já li em algum site que o ES é relacionado ao GEHT, não entendi!
Obrigada desde já!

Como saber se um verbo é regular ou irregular?

Bem, não há como saber se um verbo é regular ou irregular apenas pelo infinitivo, porque todos os infinitivos em alemão são regulares, ou seja, terminam em –N (sein, basteln, tun, sich kümmern etc.) ou em –EN (machen, sagen, kommen, helfen etc.).
Um verbo só é considerado irregular quando a sua conjugação não segue os padrões da maioria dos verbos. Portanto, é necessário que você conheça a conjugação para saber se um verbo é irregular ou não. Só pelo nome do verbo infelizmente não há como saber.
Assim como no inglês, é comum que livros e gramáticas de alemão tragam tabelas de verbos irregulares. Geralmente, é necessário aprender três (às vezes quatro) formas para saber conjugar um verbo irregular.
1 – Infinitivo: kommen, helfen, tun, lesen
1A – Terceira Pessoa do Singular do Präsens – p.ex. er hilft, er liest. Nem todo verbo irregular tem uma conjugação irregular no Präsens. Os verbos “kommen” e “tun”, por exemplo, têm conjugação regular no Präsens: er kommt, er tut.
2 – Präteritum: kam, half, tat, las
3 – Partizip II: gekommen, geholfen, getan, gelesen 
3A – Pode-se memorizar também se o verbo é usado com HABEN ou SEIN no Perfekt, mas isso não tem a ver com regularidade ou irregularidade dos verbos.

Nos cursos de alemão, aprende-se normalmente primeiro o Präsens (1A). No fim do nível A1 aprende-se o Perfekt (que precisa do Partizip II – 3/3A) e aprende-se o Präteritum (2) de alguns verbos. Só mais tarde é que se aprende o Präteritum (2) dos outros verbos. As irregularidades dos verbos podem ser aprendidas passo a passo.

Resumo: para saber quais verbos são irregulares, consulte as tabelas de verbos irregulares que todo bom de livro de alemão tem. Não precisa memorizar a tabela de uma vez só. Vá memorizando à medida que vai precisando dos verbos ou dos tempos verbais. Tudo a seu tempo. 

2) Em "Wie geht es Ihnen?" o ES está relacionado ao Ihnen, por ser um dativo neutro? Já li em algum site que o ES é relacionado ao GEHT, não entendi!

Me parece que você é aluna iniciante, correto? O ideal é você não se preocupar demais em entender toda a estrutura do alemão de uma vez só. Em todos os cursos sempre tem aquele aluno que quer saber logo na primeira a aula de onde vem “Wie geht es Ihnen?”, mas a melhor resposta nesse primeiro momento é apenas “É uma expressão. Aprenda-a como um todo. Mais tarde você entenderá melhor”.
Mas se quiser explico. Imagine que esse “es” quer dizer “tudo” ou “as coisas”. Então a pergunta é mais ou menos assim: “Wie (como) geht (vai) es (tudo) Ihnen (para o Sr./para a Sra.)?” (Como vão as coisas com a senhora? – em outras palavras “Como vai a senhora?”. O “es”, no caso, ocupa a função de sujeito. Comigo vai “tudo” bem. Mir geht ES gut. A lógica é mais ou menos essa.
A expressão é ES GEHT (mais ou menos “tudo vai”/ “as coisas vão”) + (uma pessoa no DATIVO – fica no dativo, pois essa pessoa não é o sujeito. O sujeito é “es”. Tudo vai bem COM esta pessoa).

Eu já escrevi sobre o Wie geht's no seguinte link (clique aqui).

Mantenha a sua curiosidade, mas não se cale nem se desespere se não entender tudo já no começo. Mantenha o foco na comunicação. Bons estudos!

11 de agosto de 2015

Como se diz "estudante" em alemão?

Studentenfutter: a "ração estudantil"
Olá, querid@s leitor@s, há muito tempo não posto nada aqui e resolvi postar algo nesse dia 11 de agosto, Dia do Estudante no Brasil.

As palavras "estudante" e "estudar" podem causar uma pequena dor de cabeça. Vejamos aqui as diferenças:

Schüler / Schülerin
A palavra Schüler é derivada do substantivo Schule (escola). Então um Schüler é alguem que frequenta uma escola, seja ela de ensino primário ou secundário ou uma escola de línguas, por exemplo. Então, seu irmão de 12 anos não é ainda um Student, ele é um Schüler.

Student / Studentin / Studierende(r)
A palavra Student vem do verbo studieren, que quer dizer "fazer faculdade, estudar na faculdade" e só em alguns contextos mais específicos quer dizer "estudar". O verbo "estudar" em alemão é lernen. Então um Student é um estudante universitário, tanto de bacharelado quanto de mestrado. Em geral, os doutorandos não são mais considerados Studenten, apesar de fazerem parte ainda do corpo discente e ainda terem direito a um Studentenausweis (carteirinha de estudante). Quando um estudante não frequenta uma universidade, mas uma outra instituição de ensino superior, também é considerado Student.
A palavra Studierende(r) tem um uso cada vez mais frequentes em contextos formais do alemão. Ela quer dizer a mesmíssima coisa que Student, só que no plural, ela não marca o gênero (masculino, feminino), sendo a opção mais politicamente correta em anúncios feitos pelas universidades. Muitas universidades já estão até trocando o nome Studentenausweis para Studierendenausweis, pra evitar que as Studentinnen não se sintam excluídas. Já falei sobre o tema de marca de gênero aqui.
Cabe lembrar que Student é um substantivo pertencente à Declinação-N. (Se não souber do que se trata, clique aqui)

Além dessas duas palavras, há outras palavras que podem ser usadas para se referir aos estudantes:

Lerner / Lernerin / Lernende(r)
Lerner traduz-se melhor por "aprendiz", mas como lernen também quer dizer "estudar", ela é bastante usada em materiais didáticos para se referir aos estudantes. Se você não estuda alemão em curso nenhum, mas por conta própria, você pode dizer que é um(a) Deutschlerner(in).

Kursteilnehmer / Kursteilnehmerin / Kursteilnehmende(r)
A palavra Kursteilnehmer (às vezes apenas Teilnehmer ou TN) também aparece bastante em manuais didáticos para se referir aos estudantes. Ao pé da letra quer dizer "participante do curso".

E para terminar, aqui vão algumas palavras de palavras compostas que começam por Student:

(der) Studentenausweis - identidade estudantil, carteirinha de estudante
(der) Studentenaustausch - intercâmbio estudantil
(die) Studentenbewegung - movimento estudantil
(das) Studentenfutter - mistura de castanhas, amêndoas e uva passa (ao pé da letra: ração estudantil)
(das) Studentenwohnheim - república estudantil
(der) Studentenvertreter - representante estudantil
(die) Studentenverbindung - Uma Studentenverbindung é um tipo de corporação estudantil comum ainda hoje na Alemanha, Áustria, Suíça e Chile, constituída por estudantes universitários, ainda a estudar, e por outros que já terminaram o curso, designados por Alte Herren (cavalheiros mais velhos, ou alumni) e Hohe Damen (Senhoras distintas) que já tenham feito parte da corporação. Normalmente seguem tradições e cerimônias, quase sempre regradas a bastante álcool. Na Alemanha, diz-se que menos de 1% dos estudantes faz parte de uma Verbindung. (Fonte: Wikipedia)
(das) Studentenwerk - Diretório Central dos Estudantes, DCE, organização que cuida dos interesses estudantis de uma universidade ou de um grupo de universidades de uma cidade.

E você? Studierst du gerade? Was hast du studiert? Feliz Dia dos Estudantes! :-)

30 de junho de 2015

italki Challenge (Parte 3)

Chegou ao fim pra mim o desafio do italki. Pra quem não sabe, o site italki (clique aqui) fez um desafio em junho para fazer 12 aulas de qualquer idioma pelo Skype.

E eu TERMINEI, sim.

Ao todo eu fiz 5 aulas de conversação de francês e sete aulas de grego moderno para iniciante. No tópico passado eu falei dos pontos positivos em se fazer aulas pelo Skype e hoje gostaria de falar de outros pontos positivo, mas também dos pontos negativos, especialmente das aulas para iniciantes.

Conexão e horários
Um dos pontos negativos das aulas pelo Skype é que você é refém da tecnologia. Se a sua internet (ou a do seu professor) estiver com o sinal fraco ou não funcionar, a aula pode ser prejudicada. A conexão do Skype só caiu uma única vez durante as 12 aulas, mas foi rapidinho. Então não tenho do que reclamar.
Outro ponto negativo é o horário. Meus professores eram todos nativos morando nos países onde a língua é falada. Então havia uma ligeira diferença no fuso horário. Eu acabei perdendo a primeira aula por causa disso (que foi reposta sem custos outro dia).

Professores
Todos os meus professores parecem já ter bastante experiência com aulas pelo Skype. Então não senti nenhum diferença entre a aula presencial e a aula por Skype. Os materiais eram prontamente enviados por mensagem ou por e-mail e todas as anotações da aula eram feitas no Google Drive.
Eu tive dois professores de grego, ambos muito bons, mas com jeito de ensino totalmente diferentes. Pra mim isso foi bom, pois deu pra perceber como um professor pode influenciar no estudo do aluno. O meu intuito era praticar mais conversação básica, Small Talk, em grego. Ou seja, dizer o nome, a profissão, onde mora, de onde vem, dizer por que quero aprender grego etc. Ou seja, a minha ideia era poder focar a aula na MINHA realidade e praticar tudo o que era necessário pra pode manter uma conversa sobre mim. Um dos professores captou logo o espírito do que eu queria e na primeira aula, independente do que eu já sabia falar em grego, focamos totalmente na comunicação. Na segunda aula eu já estava aprendendo a conjugar o verbo ser (είμαι) no passado para poder falar sobre o meu fim de semana, por exemplo. Eu achei isso ótimo. Era assim que eu queria. Eu não tenho medo de aprender estruturas difíceis. Como o professor percebeu que eu estava bastante motivado, também fizemos umas aulas de gramática pra eu entender um pouco mais da estrutura da língua. Já o segundo professor era desses que seguia aulas com uma progressão mais definida. Ou seja, desses que jamais vai te ensinar o Genitivo antes do Acusativo, que jamais vai te ensinar um verbo no passado antes de você saber conjugar todos os verbos no presente. Pois bem, foi bem complicado convencê-lo do que eu queria. Então acabamos tendo aulas apenas com livros (que nem sempre ensinam aquilo que você quer aprender).

Dicas
Meu conselho: se você fizer aula particular, pode trabalhar com um livro, sim. Mas não deixe o professor passar horas trabalhando todos os detalhes de um livro didático com coisas menos relevantes para você.

Vou dar um exemplo:
Em livros de iniciantes é comum aparecerem páginas com nomes de inúmeros países, nacionalidades e idiomas. Ou seja, você aprende a dizer:

Ich komme aus Griechenland, aus der Türkei, aus der Ukraine, aus Russland, aus den USA etc. Geralmente nos livros feitos na Europa, quase nunca aparece Brasil.

É interessante, mas eu me concentraria primeiramente nos países que são relevantes para as minhas conversas do dia-a-dia. Eu, por exemplo, quero aprender como dizer Brasil, brasileiro, quero aprender a dizer português, português europeu e português brasileiro, quero aprender a dizer que a cidade de onde eu venho fica no litoral do Nordeste (porque essa pergunta é sempre feita depois que eu digo de onde venho), quero aprender também o nome dos idiomas que eu sei falar ou que já estudei, o nome de alguns países principais (por exemplo, caso você tenha antepassados de um país x, ou caso faça viagens para um país x, ou caso goste muito do país x, ou caso tenha colegas de um país x etc.). Não me interessa saber de início como se diz "Letônia", "Polônia" ou "Noruega", já que esses países raramente aparecem numa conversa inicial comigo. Isso eu aprendo depois.

O mesmo vale para profissões. É claro que é legal saber dizer algumas profissões clássicas no idioma que se aprender: professor (Lehrer), médico (Arzt), advogado (Rechtsanwalt), engenheiro (Ingenieur) etc. Mas e se no livro não tiver a sua profissão? Se você for "Técnico em Prótese Dentária" ou "Atendente de Telemarketing", faz o quê? Ora, eu quero saber dizer a MINHA profissão, não só a dos outros. Depois disso quero aprender a dizer a profissão do meu pai, da minha mãe, dos meus irmãos, caso um dia eu fale algo sobre minha família. É isso que você tem que focar. Não pode deixar que um livro te diga o que você tem que aprender. Adapte (com a ajuda do seu professor) o conteúdo à sua realidade e tente focar naquilo que você quer aprender. Deixe o professor também decidir o rumo da aula, mas não a ponto de você não aprender nada do que quer.

A minha última dica é: marque todas as aulas do mês de uma vez só. Eu só consegui terminar as 12 aulas porque marquei tudo de uma vez. Às vezes eu tava supercansado, mas como tinha aula marcada acabei fazendo. Façam isso, Em vez de marcar uma aula de cada vez, marque logo várias aulas.

A minha experiência foi ótimo, por isso, eu recomendo o site italki para encontrar professores de qualquer idioma para dar aula por Skype.

Para se inscrever no italki, clique aqui.

23 de junho de 2015

italki Challenge (parte 2) - Aulas pelo Skype

Oi, pessoal, já se passou mais uma semana e estou aqui para relatar como foram minhas experiência fazendo aula pelo Skype. (Atenção: No momento eu não estou oferecendo aulas pelo Skype por falta de tempo, mas é fácil encontrar professores e outros nativos para conversar no italki).

Para quem não leu a parte 1, eu estou participando do desafio do site italki de fazer 12 aulas de qualquer língua pelo Skype durante este mês de junho. Comecei as aulas só no dia 13 de junho, então tinha pouco tempo para completar o desafio. A minha primeira estratégia foi marcar todas as aulas de uma vez só. Em vez de marcar só uma aula para depois decidir o que fazer, preferi marcar todas as 12 aulas. Como trabalho em duas universidades atualmente, muitas aulas foram marcadas pro fim de semana ou de manhã cedo antes de ir pro trabalho. Tem dado certo. O plano inicial era fazer 5 aulas de francês e 7 aulas de grego moderno. O objetivo final era relatar os prós e contras de se fazer aula pelo Skype tanto de nível mais alto quanto de nível iniciante.

Vamos aos relatos. Vou começar pelo francês.

Francês: Das 5 aulas marcadas eu já fiz 4. Meu professor é francês e mora na França. Ele sabe falar um pouco de português também. Mas isso foi coincidência e a aula é toda em francês. Eu marquei cinco aulas de conversação com o objetivo de melhorar a minha fluência. Na primeira aula nós praticamente só conversamos (o que foi bom, pois é nesse momento que o professor consegue perceber as necessidades do aluno). Eu também lhe disse que tipo de temas me interessavam e que tipo de coisas eu queria aprender. Baseado nisso, na segunda aula o professor me mandou um link de um vídeo do Youtube (que eu já conhecia, por sinal) com uma linguagem bem coloquial e sem legendas. Ele preparou várias perguntas sobre o vídeo e usamos o tempo da aula para debater sobre o vídeo. Ponto positivo: o professor usa o Google Drive (antigo Google Docs) para o material da aula. Ou seja, durante a aula, tanto ele quanto eu podemos escrever no documento e fazer anotações. Isso é muito bom, pois ao fim da aula, tudo o que foi debatido na aula já está pronto para impressão.
Nas aulas seguintes nós conversamos novamente sobre outro vídeo, dessa vez sobre temas mais sério, frases polêmicas de um escritor francês famoso. O foco da aula não foi só entender o que ele disse, mas também na pronúncia coloquial. Depois de debatermos sobre o vídeo, o professor colocou o texto do vídeo e debateu a pronúncia na fala coloquial de vários termos. Isso eu gostei bastante.

Como saber que estou atingindo os meus objetivos?
Bem, o meu objetivo é muito amplo e difícil de ser medido "melhorar a fluência". Para medir o êxito eu teria que ter feito objetivos mais concretos. Por exemplo: a partir do nível B2, seria interessante falar sobre coisas abstratas. Poderíamos discutir sobre temas como "amor, solidão, amizade" ou temas políticos como "imigração, democracia, direitos humanos" etc. Um objetivo concreto seria: ser capaz de discutir sobre o  tema "imigração" em francês. Assim poderíamos passar as aulas aprendendo palavras sobre o tema e melhorando minha capacidade de entendê-lo. Eu não fiz isso. (Falha minha!) Então pra mim, as aulas têm sido proveitosas por eu ter a chance de praticar o idioma, receber correções e aprender coisas novas.

Dicas para quem tem nível avançado: 
- tentar dizer tudo na língua que está aprendendo, não em inglês ou na língua materna
- deixar que o professor traga temas que você não conhece para aprender mais sobre o país onde a língua é falada. Por exemplo, o professor trouxe um vídeo de um autor francês famoso que eu não conhecia.
- traçar vários objetivos concretos.

Grego Moderno: Como disse antes, o objetivo era aprender uma língua do zero. Das sete aulas eu já fiz 4, com dois professores diferentes (eu tenho dois professores para poder completar o desafio). O meu objetivo é saber ter uma conversa básica (nível A1) sobre mim e fazer perguntas sobre a vida do meu interlocutor em grego. A gramática não era o foco.

Pois bem. Por incrível que pareça, eu já consegui atingir boa parte do objetivo em 4 aulas. Já consigo fazer e responder a várias perguntas básicas: Saudações, nome, origem, profissão e até mesmo coisas como "Como foi o seu dia? O seu fim de semana?" etc. Como consegui? Estudando e fazendo as tarefas, mas principalmente dizendo para os professores o que eu queria aprender a falar. Na primeira aula, a professora já foi fazendo todas as perguntas que uma pessoal normal faria. Por exemplo, ela perguntou qual era a minha profissão. Quando disse que era professor de português brasileiro, ela fez perguntas como "É diferente do português europeu?" e "Tem muitos alunos?". Essas perguntas jamais estariam num livro de A1, mas como a aula é particular eu posso pedir pro professor me ensinar a dizer exatamente isso. Eu também disse à professora que queria aprender a falar grego informalmente aqui na Alemanha (caso encontre um(a) grego(a)), não somente como turista na Grécia. A maioria dos livros de língua acaba ensinando a língua só para situações turísticas.

Vantagem de se aprender pelo Skype: Quando você precisa de uma palavra, dá tempo de dar uma olhada rápida no dicionário on-line.

Dica para quem é iniciante:
- Faça uma lista básica de perguntas e respostas sobre a sua vida. Cada pessoa vai ter uma história de vida diferente. Peça para o seu professor te ajudar a falar sobre a sua história de vida. Ex.: Oi, como é o seu nome? Tudo bem? Eu trabalho como... na empresa ... Moro na Alemanha há ... anos. Estou estudando ... porque... Sou de Fortaleza. Fortaleza fica no Nordeste do Brasil. Lá tem muitas praias etc. )

- Imagine perguntas que a pessoas fariam na vida real. Não adianta dizer apenas "Sou de Fortaleza". Tem que saber dizer onde Fortaleza fica, pois a maioria dos alemães não faz ideia de onde é. Não adianta só dizer que trabalha como médico. Talvez seja interessante aprender também a dizer em qual especialidade, se trabalha num consultório ou num hospital etc.

- Memorize frases úteis: Desculpe, não entendi. Mais uma vez. Pode repetir? Mais devagar. Como se escreve? Como se diz ... ? Diga em (grego), por favor, pois quero aprender o idioma. Acredite. Você vai usá-las MUUUUUUITO!

- Memorize frases mesmo sem entender completamente a gramática. Eu não sei ainda conjugar verbos no passado em grego. Mas a pergunta "Como foi o seu fim de semana / o seu dia?" é importante já no começo. Existem alguns livros de alemão que já trazem o Präteritum do verbo sein bem mais cedo do que se espera. E isso é muito bom. Não é muito difícil aprender a dizer a forma war: "Mein Wochenende war...". Você não precisa aprender todos os verbos de uma vez. No alemão os alunos aprendem "Wie geht es Ihnen?" bem no começo, antes mesmo de saber o que é dativo. O importante no começo não é saber declinar tudo no dativo, mas estar aberto a memorizar expressões como um todo.

- No nível inicial, pode falar outra língua também. Meus professores de grego falam inglês. É a nossa língua em comum. Quando eu quero fazer perguntas eu uso tudo o que sei em grego completando com palavras em inglês. Depois disso eles tentam me ensinar as palavras que faltaram para eu perguntar em grego da próxima vez. Não tenha medo de usar a sua língua (ou uma língua em comum) no começo. Mas tente usar o máximo que puder da língua em questão. Não concordo quando dizem que apenas aulas que sejam 100% na língua-alvo funcionam. Especialmente no nível inicial, quando o aprendiz ainda está fazendo as conexões para entender como a língua funciona, comparar estruturas pode ser bastante benéfico. (Há muitos métodos de ensino de línguas que se baseiam nessa ideia). Então não precisa ficar voando numa aula toda em alemão. Você pode fazer aula com um professor que fale também outro idioma que você conheça.

Bem, ainda tenho mais 3 aulas de grego até o fim do mês. Agora é aguardar a parte 3.
E você? Já fez aulas pelo Skype de algum idioma? E como foi?

Para se inscrever no italki, clique aqui.

13 de junho de 2015

italki Challenge (Parte 1)

Olá, gente,

estou participando pela primeira vez de um desafio para estudar línguas proposto por um site. O desafio do site italki (você pode ler mais aqui).

Bonjour, je m'appelle Fábio.
O desafio consiste em fazer 12 horas de aula de qualquer língua através do site italki durante o mês de junho. Eu dormi no ponto e comecei a fazer as aulas só esse fim de semana. Mas já tive a primeira aula e amanhã vou ter a segunda e já tenho todas as outras aulas marcadas até o fim do mês (então acho que vai dar certo).

O meu objetivo com o desafio é testar as aulas por Skype (eu já dei aula por Skype, mas nunca experimentei isso sob a perspectiva do aluno). Infelizmente não estou fazendo aulas de alemão (acho que vocês imaginam o porquê).

Eu decidi dividir as minhas 12 aulas em duas partes.

Parte I - melhorar uma língua que eu não fale ainda fluente, mas que na qual eu já consiga conversar com certa dificuldade/facilidade. A língua escolhida foi francês. Meu nível está estagnado no B2. Marquei 5 aulas de francês (de 60 minutos cada)

Γεια σου, με λέμε Φάμπιο. 
Parte II - aprender uma nova língua para testar o quanto dá para aprender com 7 aulas (de 60 minutos cada) de uma língua que eu não falo (praticamente nada) e com a qual não tenho/tive (quase) nenhum contato. A língua escolhida foi grego moderno. Eu sei o alfabeto grego e dei uma olhadinha rápida nuns livros de grego recentemente antes de me decidir.

Hoje eu tive a primeira aula de francês e tive uns problemas com a aula de grego, a gente acabou mudando o dia da aula. Mas de qualquer forma, eu marquei já as doze aulas para não perder o desafio.

Na primeira aula de francês com o professor Mr. Coffee nós só conversamos sobre mim, sobre coisas que gosto de fazer e também fiz perguntas para ele. Foi um meio de ele ver qual o meu nível de francês e se preparar para as próximas aulas (a próxima aula é amanhã). As correções ele fazia às vezes de forma oral e às vezes de forma escrita (no chat do Skype). Além disso, ele ficou de enviar um arquivo com os erros e possíveis correções. Achei essa uma forma legal de revisar o que se aprendeu durante a aula. Como falei, meu objetivo não é aprender algo da gramática e sim praticar a conversação.

Uma das coisas mais legais do italki foi que em poucas horas já havia gente querendo praticar idiomas comigo. Fiquei lá uma hora on-line e já recebi mensagens de pessoas querendo aprender português e dispostas a praticar o idioma delas gratuitamente. Para todo mundo que reclama que não consegue achar ninguém para praticar alemão, pode ser uma mão na roda.

O meu objetivo no estudo do grego é ser capaz de manter um small talk sobre mim e o meu dia. Não sei se vai dar certo, mas o objetivo é esse. Mas por que grego? Bem, podia ser qualquer língua, na verdade. Eu queria uma língua sobre a qual eu não sei (quase) nada para ter a experiência de aprendê-la do "zero". Grego também tem fama de ser uma língua difícil. Alemão também. Adoro desafios. Pode ser que depois eu abandone a ideia, mas por enquanto é isso... Esse deveria ser o objetivo de todo mundo que estuda um idioma para falá-lo... não é aprender o máximo de gramática, mas conversar. Pois bem, vamos ver se depois de 7 horas de aula eu já vou ser capaz de manter uma conversa básica. Será? A propósito, eu já sei o alfabeto grego. Eu marquei aulas com dois professores diferentes. Vamos ver se isso também influencia no meu aprendizado.

Mas o que isso tem a ver com alemão?
Ao fim do desafio, vou contar o que deu certo, o que não deu certo e como vocês também podem usar aulas por Skype para dar uma turbinada no seu alemão ou aprendê-lo do zero. Agora é só esperar.

Para se inscrever no italki, clique aqui.

Alemão tem gerúndio? - Parte V

Acreditem se quiserem, mas aqui está mais um tópico sobre como expressar o gerúndio em alemão.

Já tivemos 4 partes que eu vou resumir aqui.
A parte I (aqui) fala sobre os tempos contínuos do português (ex.: eu estou lendo)
A parte II (aqui) fala sobre o Partizip I.
A parte III (aqui) fala sobre as conjunções indem e dadurch, dass.
A parte IV (aqui) fala sobre alguns problemas de tradução do gerúndio

A parte V, que é esta aqui, vai ser a resposta à pergunta do leitor Leonardo Marques.

Prezados,
Como se faz em alemão estruturas com gerúndio do tipo?

I - Coisas que eu faço sabendo que eu posso morrer. 
II - Comeu mesmo estando de dieta.
III - Ela continuou a corrida mesmo com uma perna mancando.

Agradeço desde já.


Olá, pelos menos nos dois últimos exemplos fica bem claro que se tratam de orações subordinadas reduzidas de gerúndio. Falei grego agora?

Pois, orações subordinadas adverbiais têm uma relação de causa, finalidade, tempo, condição etc. e são iniciadas por conjunções subordinativas (por exemplo: porque, quando, se, embora, para que etc.). O uso da palavra mesmo com gerúndio tem o mesmo sentido do uso da conjunção ainda que / embora com o subjuntivo.

Comeu mesmo estando de dieta. = Comeu embora estivesse de dieta.

Ou seja, para transmitir o sentido de orações assim, basta buscar uma conjunção subordinativa em alemão que tenha o mesmo sentido. A conjunção obwohl, por exemplo, tem o mesmo sentido de embora.

Agora é só traduzir conjugando o verbo normalmente.

Er hat gegessen, obwohl er (eine) Diät machte.

Ela continuou a corrida mesmo com uma perna mancando.
Sie hat mit dem Rennen weitergemacht, obwohl sie mit einem Bein humpelte.

Existem exemplos no alemão de orações com o Partizip I, mas elas são consideradas muito formais.

Então a dica é essa. Tente encontrar uma conjunção que transmita o mesmo sentido da oração reduzida de gerúndio.

A frase I pode também ter o mesmo sentido das duas primeiras. "Coisas que eu faço MESMO sabendo que eu posso morrer". Tente traduzi-la com a conjunção obwohl ou até auch wenn.

Outra opção é parafrasear. Em alguns casos pode-se usar o infinitivo. Vamos dar aqui outros exemplos:

Ele vai para casa andando. - Er geht nach Hause zu Fuß
Vindo para cá, vi um acidente. - Auf dem Weg hierher sah ich einen Unfall. 
João ganha a vida ensinando português. - João verdient seinen Lebensunterhalt mit Portugiesischunterricht. 
Não me imagino morando em outro lugar. - Ich kann es mir nicht vorstellen, woanders zu wohnen
Eu gosto de ouvir você cantando. - Ich höre dich gerne singen.

Moral da história: Sempre dá pra expressar de outra forma o que dizemos com o gerúndio.

12 de junho de 2015

Músicas românticas em alemão

Alemão tem uma fama de língua que não é muito "romântica". Será?

Aqui vai uma pequena lista de músicas românticas, baladinhas com letras melosas pra você ouvir nesse Dia dos Namorados. (Lembrando que o Dia dos Namorados na Alemanha é dia 14 de fevereiro). Caso este não seja seu estilo musical preferido, é só clicar aqui (e descer as postagens) pra ouvir outras dicas.

1) Du bist ein Lied (Você é uma canção)- Jason Anousheh 
Destaque da letra:
Weil ohne dich mein Leben keinen Sinn macht (Porque sem você a minha vida não faz mais sentido)


Wie die Tage vergeh'n,
so wie die Wolken weiterzieh'n,
so wie sich die Räder weiterdreh'n.

Weißt du ,wie mich die Sehnsucht verschlingt!?
Kann nicht mehr schlafen in der Nacht,
weil ohne dich mein Leben keinen Sinn macht.

Ich habe keine Wahl, ich muss dich irgendwie seh'n,
hunderttausend Meilen- ich würde jeden Weg geh'n.
Solange du an meiner Seite bist, ist alles egal für mich.

Weil du mich liebst und alles für mich gibst,
weil du mich wirklich siehst...Oh Oh

Du bist ein Lied,
eine Melodie ,
jedes Wort aus deinem Mund ist Poesie.
Du bist der Beat,
die Harmonie,
in deinen Augen seh ich all das was ich lieb.
Du bist ein Lied

Wer kann schon Liebe verstehen? Denn es passiert nicht im Kopf weil sie aus tiefstem Herzen kommt wie Musik.
Deswegen halt ich dich fest auch wenn du nicht mehr bei mir bist, stehst du doch da weil du nicht aus meinem Kopf willst.

Ich habe keine Wahl, ich muss dich irgendwie seh'n,
hunderttausend Meilen, ich würde jeden Weg geh'n.
Solange du an meiner Seite bist, ist alles egal für mich.

Oh weil du mich liebst und alles für mich gibst,
weil du mich wirklich siehst...Oh

Du bist ein Lied,
eine Melodie,
jedes Wort aus deinem Mund ist Poesie.
Oh du bist der Beat,
die Harmonie,
Oh in deinen Augen seh ich all das was ich lieb.
Du bist ein Lied

2) Für Dich (Por você) - Yvonne Catterfeld
Destaque da letra:
Für dich dreh' ich so lang an der Erde, bis du wieder bei mir bist. (Por você eu dou tantas voltas na Terra até você estar comigo de novo)


Ich spür dich, in meinen Träumen,
ich schließ dich darin ein, und ich werd immer bei dir sein.
Ich halt dich, wie den Regenbogen, ganz fest am Horizont,
weil mit dir der morgen wieder kommt.

Für dich schiebe ich die Wolken weiter,
sonst siehst du den Sternenhimmel nicht.
Für dich dreh' ich so lang an der Erde,
bis du wieder bei mir bist.
Für dich mach ich jeden Tag unendlich,
für dich bin ich noch heller als das Licht.
Für dich wein' und schrei und lach und leb ich,
und das alles nur für dich.

Und wenn ich dich so vermisse, bewahr ich die Tränen auf,
für dich, du machst ein Lachen draus, für mich.
Ich hör dich ganz ohne Worte, ich fühle wo du bist,
auch wenn es noch so dunkel ist.

Für dich schiebe ich die Wolken weiter,
sonst siehst du den Sternenhimmel nicht.
Für dich dreh' ich so lang an der Erde,
bis du wieder bei mir bist.
Für dich mach ich jeden Tag unendlich,
für dich bin ich noch heller als das Licht.
Für dich wein' und schrei und lach und leb ich,
und das alles nur für dich.

Ich hör dich ganz ohne worte, ich fühle wo du bist,
auch wenn, es noch so dunkel ist.

Für dich schiebe ich die Wolken weiter,
sonst siehst du den Sternenhimmel nicht.
Für dich dreh' ich so lang an der Erde,
bis du wieder bei mir bist.
Für dich mach ich jeden Tag unendlich,
für dich bin ich noch heller als das Licht.
Für dich wein' und schrei (bei GZSZ: Ich liebe dich, ich liebe dich auch) und lach und leb ich,
und das alles nur für dich.

Für dich schiebe ich die Wolken weiter,
sonst siehst du den Sternenhimmel nicht.
Für dich wein und schrei und lach und leb ich, nur für dich

3) Vergiss mich (Me esqueça) - Luttenberg & Klug
Destaque da letra:
Vergiss mich... bitte nicht. (Me esqueça... por favor não)


Vergiss alles was ich sagte
denn es bedeutet nichts
Vergiss alle meine Tränen
sieh nicht in mein Gesicht
Vergiss alle diese Bilder
es war nie Wirklichkeit
Jeden Tag, jede Stunde, Minute und Sekunde
all diese Zeit

Vergiss mich
Vergiss wie es war
Vergiss alle Dinge
was auch immer geschah
denn ich vermiss dich nicht
und das ist wahr
Egal was wir hatten
es ist nicht mehr da

Vergiss mich
Vergiss jedes Wort
Vergiss meine Liebe
sie ist lange schon fort
denn ich vermiss dich nicht
und das ist wahr
und nichts wird wieder wie es einmal war
Vergiss mich
bitte nicht

Vergiss was ich zu dir sagte
dass du mein Leben bist
und nichts ohne deine Liebe
noch von Bedeutung ist
Vergiss, dass ich für dich da war
als es dir dreckig ging
jeder Schritt, jeder Kuss, jeder Schwur den wir uns gaben
geht nun dahin

Vergiss mich
Vergiss wie es war
Vergiss alle Dinge
was auch immer geschah
denn ich vermiss dich nicht
und das ist wahr
Egal was wir hatten
es ist nicht mehr da

Vergiss mich
Vergiss jedes Wort
Vergiss meine Liebe
sie ist lange schon fort
denn ich vermiss dich nicht
und das ist wahr
und nichts wird wieder wie es einmal war
Vergiss mich
bitte nicht

Gestern wollte ich noch heute bei dir sein
Heute bin ich auf dem Weg ins Morgen und allein
Morgen werd ich gestern schon allein gewesen sein
Und bald schon fällt mir nicht mal mehr dein Name ein

Vergiss mich
Vergiss wie es war
Vergiss alle Dinge
was auch immer geschah
denn ich vermiss dich nicht
und das ist wahr
Egal was wir hatten
es ist nicht mehr da

Vergiss mich
Vergiss jedes Wort
Vergiss meine Liebe
sie ist lange schon fort
denn ich vermiss dich nicht
und das ist wahr
und nichts wird wieder wie es einmal war
Vergiss mich
bitte nicht
Bitte nicht

Esta música abaixo eu ouvi muito quando estudava alemão :-)
4) Ohne Dich (Sem você) - Selig
Destaque da letra:
Und wenn Du einsam bist, denkst Du vielleicht auch mal an mich? (E quando você está solitária(o), quem sabe você pensa em mim?)



Langeweile besäuft sich meilenweit
Ich zähl die Ringe an meiner Hand
Dort draußen alles dreht sich still um nichts herum
Und ich male Deine Schatten an jede Wand

Es kommt so anders, als man denkt
Herz vergeben, Herz verschenkt

Ich gab Dir meine Liebe, gab Dir Zeit, Geduld und Geld
Ich legte mein Leben in Deine kleine Welt
Wer auch immer Dir jetzt den Regen schenkt
Ich hoffe es geht ihm schlecht
Wer auch immer Dich durch die Nacht bringt
Bitte glaub ihm nicht

Es kommt so anders, als man denkt
Herz vergeben, Herz verschenkt

Es ist so ohne Dich
Ich find es widerlich, ich will das nicht
Denkst Du vielleicht auch mal an mich
Es ist so ohne Dich
Und wenn Du einsam bist
Denkst Du vielleicht auch mal an mich

Ich nähte mir einen Bettbezug aus der Zeit, die wir hatten
Und trink mir alte Wunden an - so tief und allein
Kein Berg, den ich nicht versetzt hab
Zog jede Chance an den Haaren herbei
Für ein Leben lang zu leben
So wild und so frei

Es kommt so anders, als man denkt
Herz vergeben, Herz verschenkt

Es ist so ohne Dich
Ich find es widerlich, ich will das nicht
Denkst Du vielleicht auch mal an mich
Es ist so ohne Dich
Und wenn Du einsam bist
Denkst Du vielleicht auch mal an mich

5) Halt dich an mich fest (Segure-se em mim) - Revolverheld
Destaque da letra:
Halt dich an mir fest, weil das alles ist was bleibt. (Segure-se em mim, pois isto é tudo o que resta(rá))


Du hast mich lang nicht mehr so angesehen,
hast mir lang nichts mehr erzählt.
Unsere Fotos hast du abgenommen,
weil dir irgendetwas fehlt.
Du rufst mich an und sagst du weißt nicht mehr,
weißt nicht mehr, was dich berührt.
Die letzten Jahre haben dich aufgewühlt,
und dich nur noch mehr verwirrt.

Halt dich an mir fest, wenn dein Leben dich zerreißt.
Halt dich an mir fest, wenn du nicht mehr weiter weißt.
Ich kann dich verstehn.
Halt dich an mir fest, weil das alles ist was bleibt.

Ich lass das Licht an bis du schlafen kannst,
doch du wälzt' dich hin und her.
Schläfst die Nächte von mir abgewandt,
bist du einsam neben mir?

Halt dich an mir fest, wenn dein Leben dich zerreißt.
Halt dich an mir fest, wenn du nicht mehr weiter weißt.
Ich kann dich verstehn.
Halt dich an mir fest, weil das alles ist was bleibt.

Siehst du den Weg aus dieser Dunkelheit
Willst du raus, ich bin bereit.
Das kann nicht alles schon gewesen sein.
Ich glaub an uns und unsere Zeit.

Halt dich an mir fest, wenn dein Leben dich zerreißt.
Halt dich an mir fest, wenn du nicht mehr weiter weißt.
Halt dich an mir fest, wenn dein Leben dich zerreißt.
Halt dich an mir fest, wenn du nicht mehr weiter weißt.
Ich kann dich verstehn.

6) Wo fängt dein Himmel an? (Onde começa o seu céu?) - Philipp Poisel
Destaque da letra:
Du fehlst mir. (Estou com saudades de você)

Letra no vídeo:

24 de maio de 2015

Null Punkte: Por que se usa o plural depois do numeral zero?

Ontem (23 de maio) foi o dia da Grande Final do Eurovision - o Festival da Canção transmitido para dezenas de países europeus ao vivo. O Eurovision não é muito conhecido no Brasil (a não ser por brasileiros que moraram na Europa), mas é um evento televisivo ímpar. Este ano o concurso comemorou o seu 60°. programa (começou em 1956) e por isso entrou para o Guiness como o programa de competição musical anual há mais tempo no ar. (Sim, houve muitas tentativas de Festivais da Canção por aí, mas todos acabaram... o Eurovision é o único no ar há tanto tempo)

O grande vencedor desta edição foi o cantor Måns Zemerlöw, da Suécia.



Infelizmente, a apresentação de Ann Sophie, representante da Alemanha, não recebeu nenhum ponto de nenhum dos 40 países que votaram. A Áustria, anfitriã do evento, também não levou nenhum pontinho. Aqui vocês podem ver a apresentação que recebeu 0 ponto(s).



E agora vem a pergunta: zero ponto ou zero pontos? Null Punkte ou null Punkt? Na mídia alemã fica claro que em alemão se usa o plural.

Spiegel.de

Mas por quê?
Gente, isso é uma pergunta difícil de responder. Acredito que seja mais algo pragmático (ou seja, consagrado pelo uso) do que uma coisa lógica. Então acho que é perda de tempo ficar discutindo se é mais lógico usar singular ou plural. O fato é que há determinadas línguas que usam singular e há outras que usam plural.

Você sabia que isso não é unânime em português? No Brasil, o mais comum é usar o singular: dizemos "zero grau", "zero hora". Já em Portugal, o mais comum é usar o plural: "zero horas", "zero graus". Essa informação foi confirmada pelo site Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, um site onde profissionais lusitanos respondem a perguntas sobre a língua portuguesa. (Confira aqui). Ou seja, nem mesmo os falantes de português parecem se decidir sobre o uso do singular ou plural depois de "zero".

Além do português, o francês também usa o singular, mas a maioria das outras línguas comumente estudadas no Brasil prefere utilizar o plural:

Singular: 
Francês: zéro point

Singular ou Plural: 
Português: zero ponto(s)
[no Brasil é mais comum o singular, mas tenho a impressão de que eu diria "zero pontos" hehehe]

Plural: 
Inglês: zero points
Alemão: null Punkte
Italiano: zero punti
Espanhol: cero puntos

Outra opção pra evitar esse tipo de construção, é usar o artigo negativo kein (em português, seria traduzido pelo indefinido nenhum). Neste caso, dá pra usar tanto o singular quanto o plural. Em português brasileiro, nenhum é usado apenas no singular, apesar de existir a forma nenhuns.

Deutschland hat keinen Punkt bekommen. (singular)
Deutschland hat keine Punkte bekommen. (plural)
A Alemanha não ganhou nenhum ponto.

E você? Como fala em português? Zero ponto ou zero pontos? Zero grau ou zero graus? Você acha que a Alemanha mereceu null Punkte?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...