PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

23 de novembro de 2016

Palavras que confundem: Como se diz "castelo" em alemão?

Schloss Neuschwanstein - Instagram: @dawson_campos
Ao visitarem a Alemanha, uma das primeiras coisas que muitos turistas fazem é visitar os pontos turísticos do país. E no Velho Mundo se sabe que há muuuuuuitos prédios antigos, bairros antigos, arquitetura centenária. A Alemanha, por exemplos, tem inúmeros castelos.
Quando se visitam os diversos castelos, percebe-se que às vezes os chamam de Burg, às vezes de Schloss. Às vezes também de Herrenhaus. Afinal, qual a diferença entre essas palavras?

(das) Schloss, Schlösser
A palavra Schloss até hoje tem também o sentido de "cadeado" ou "fechadura". Com este sentido temos muitas palavras em alemão, por exemplo, Fahrradschloss (tranca da bicicleta), Kofferschloss (cadeado da/para mala), Türschloss (fechadura), Sicherheitsschloss (cadeado de segurança) etc. Também temos o verbo schließen (fechar) cujo particípio é geschlossen. Ou seja, um Schloss passou a ser um local onde as pessoas podiam se trancar e buscar refúgio. Com o passar do tempo, esses locais onde as pessoas buscavam proteção de invasores foram chamados de Burg.

(die) Burg, Burgen
Os Burgen surgiram antes dos castelos pomposos para a morada da elite. Um Burg era construído com paredes altas e grossas com o objetivo de proteger e esconder (em alemão verbergen) a população do perigo. Em alemão também temos a palavra Bürger/Bürgerin (cidadão/cidadã). Em português além da tradução "castelo", também há a tradução "cidadela". Na Idade Média era nos Burgen que a população procurava refúgio.

A diferenciação
Herrenhaus „Schloss“ Blankensee
Quelle: Wikimedia http://bit.ly/2fo5Jvk
A partir da era renascentista (século XVI) as famílias da nobreza passaram então a construir castelos imponentes para demonstrar o seu poder. Esses castelos não eram construídos para proteger a população, mas como local de moradia da nobreza. Torres, janelas, mosaicos e muitos cômodos. Essas casas passaram a ser chamadas de Schlösser, para se diferenciar dos Burgen. A nobreza também passou a reformar antigos Burgen transformando-os em Schlösser. Por isso essa diferenciação nem sempre é tão óbvia. Primeiro porque ela não existia, mas também porque há Burgen que foram usados tantos para proteção quanto mais tarde como lar da nobreza.

Herrenhaus
Alguns prédios pomposos também recebem o nome de Herrenhaus. Estas eram usadas principalmente como local de proteção de bens: produtos, riquezas etc. Em português podemos traduzir como "Solar" ou "Paço".

Você quer ver uma lista de todos os Burgen e Schlösser na Alemanha? Então clique aqui.
Quais são os seus preferidos? Quais os mais bonitos na sua opinião?

22 de novembro de 2016

Programas de TV alemães indicados ao Emmy 2016

Eu não assisto muito TV, muito menos TV alemã. Normalmente acabo assistindo algum programa que me interesse pela Internet, apesar de ter TV em casa.

Nos últimos anos o Brasil tem sempre ganhado o Emmy Internacional na categoria "Novelas". Dessa vez não foi diferente: "Verdades Secretas" ganhou como melhor telenovela. Olhando os outros indicados, vi alguns programas de TV alemães que talvez interessem a quem está buscando ter mais contato com o idioma.

Na categoria "Melhor Ator", Florian Stetter foi indicado pelo seu papel no filme televisivo Nackt unter Wölfen (Nu entre lobos). Quem acabou ganhando na categoria foi  Dustin Hoffmann. O filme é uma adaptação de uma obra literária para a TV e tem o tema da Segunda Guerra Mundial. O filme também foi indicado como melhor filme de TV (na categoria Filme de TV ou Minissérie), mas quem levou foi  Capital do Reino Unido. Na categoria Melhor Ator foi indicado também o ator brasileiro Alexandre Nero por seu papel em A Regra do Jogo.

Aqui está o trailer:


Na categoria "Melhor Atriz", Christiane Paul venceu (e derrotou Grazi Massafera, que tinha sido indicada pelo papel em Verdades Secretas) por seu papel em Unterm Radar (Sob o radar). O filme para TV é um suspense que trata de um atentado terrorista fictício em Berlim causado pelo por um grupo terrorista de islamistas fundamentalistas. Com o aumento de ameaças terroristas, as pessoas passam a ser cada vez mais espionadas, vigiadas e valores como liberdade e segurança passam a ser questionados.
 
Aqui vocês veem o filme completo (de 88 minutos de duração).


Na categoria "Documentário" a Alemanha novamente ganhou com a produção Krieg der Lügen (Guerra das mentiras). O documentário fala sobre um iraquiano (que hoje em dia mora na Alemanha sob proteção policial) que teria mentido sobre armas atômicas no Iraque, informação esta que foi usada pelos EUA pra justificar a invasão no Iraque.

Aqui vocês podem vê-lo completo:


Na categoria Drama a Alemanha venceu novamente com a série Deutschland 83.A série conta a história de um soldado da Alemanha Oriental que é enviado como espião para o exército da Alemanha Ocidental.

Aqui vocês podem ver o trailer:


Quer indicação de filmes alemães? Clique aqui e aqui.
Quer indicação de vídeos para aprender alemão? Clique aqui, aqui e aqui

8 de novembro de 2016

Sorteio de Vagas para Medicina e Medicina Veterinária na Uni Leipzig

A Universidade de Leipzig fará um sorteio de vagas para cursar Medicina (Humana) e Medicina Veterinária dentro da sua capacidade de vagas, dando assim a chance para todos aqueles que não conseguiram vagas pelos métodos tradicionais de ingresso.
Biblioteca Albertina - Universität Leipzig

As inscrições para o sorteio vão até dia 17 de novembro de 2016 à meia-noite (horário de Berlim). Os candidatos poderão se inscrever UMA VEZ tanto no sorteio de Medicina quanto no de Medicina Veterinária. Se você conhece alguém que tentou vaga para Medicina ou Medicina Veterinária na Alemanha, mas que não foi aceito por causa do número de vagas, esta é a chance de ocupar uma vaga através de sorteio. 

Apesar de o site não ser exatamente claro sobre quem pode se candidatar, ele menciona alunos com Hochschulzugangsberechtigung (traduzido: Autorização para Ingresso no Ensino Superior). O site também não menciona nenhuma restrição quanto à nacionalidade. Ou seja, isso que dizer que serão aceitos candidatos que tenham Abitur na Alemanha ou que tenham reconhecidos seus estudos no exterior como suficientes para cursar uma faculdade na Alemanha. Lembrem-se de que o Ensino Médio brasileiro normalmente não é suficiente para ser aceito numa universidade alemã. Normalmente os brasileiros têm que cursar o Studienkolleg ou vir do Brasil já com 4 semestres de faculdade cursados. Caso você já tenha reconhecido seus documentos estudantis na Alemanha e tenha uma Hochschulzugangsberechtigung, poderá se candidatar ao sorteio.

Curiosidade: Assim como no Brasil, os cursos de Medicina são muito concorridos. Como na Alemanha não existe Vestibular, as notas do Abitur são levadas em consideração na hora de selecionar os estudantes de Medicina. Os candidatos concorrem com estudantes do país inteiro e, claro, só quem tem as melhores notas consegue entrar. 

Como se inscrever no sorteio
De acordo com a página da universidade, os candidatos deverão fazer uma Bewerberkonto no site AlmaWeb da universidade (clique aqui). Depois disso, em poucos minutos o candidato receberá uma senha provisória por e-mail e deverá alterar a senha ao fazer o primeiro login. Depois do login, vá para a guia "Bewerbung". No item "Im Studienangebot suchen" você poderá se cadastrar para o sorteio. Escolha "Staatsexamen" no item "Abschlussart" e escolha para qual sorteio você quer participar. Complete o formulário com seus dados e envie. Você receberá uma confirmação da sua participação no sorteio por e-mail. Os sorteados também serão informados por e-mail. Caso o sorteado não possa assumir a vaga, ela será oferecida para o próximo candidato por ordem de sorteio. 

Boa sorte a todos!

P.S. As informações foram todas retiradas da página oficial da Universidade de Leipzig (aqui). Não podemos responder a NENHUMA pergunta a respeito do cadastro ou do sorteio. Dúvidas devem ser enviadas aos contatos listados na página oficial. 

12 de outubro de 2016

Virei alemão. E agora? - Obter a cidadania alemã

*Atenção - o texto abaixo é um relato pessoal. Apesar de conter algumas informações retiradas de fontes oficiais, procure sempre se informar com as autoridades competentes. As informações válidas serão SEMPRE as das autoridades que cuidarão do seu caso. Alguns links úteis estão no fim do texto*

No dia 5 de junho de 2016 o Facebook me lembrou de uma coisa - um ano antes tinha recebido em mãos o meu passaporte alemão (Reisepass) bem como a carteira de Identidade alemã (Personalausweis).

Em 2008 resolvi começar um blog sobre a língua alemã, língua com a qual eu tenho contato desde 1999. (Uau! O tempo voa!). Com poucas exceções, alemão sempre esteve presente na minha vida desde que comecei a estudá-la. Mas nunca foi o meu plano "virar alemão". As coisas foram meio que partindo pra esse rumo.

A nacionalidade alemã é dada no ato do nascimento para os seguintes grupos de pessoas:
- De acordo com o Jus sanguinis é automaticamente cidadão alemão filhos de pai alemão e/ou mãe alemã, independente do local de nascimento. Com isso não basta que a criança nasça em território alemão, um dos pais têm que ser alemão para que a nacionalidade alemã seja reconhecida. A criança poderá ter mais de uma nacionalidade caso o país do outro pai também a reconheça como cidadã daquele país e não precisará decidir no futuro qual nacionalidade ela quer.
- De acordo com o Jus soli filhos de estrangeiros nascidos na Alemanha também poderão obter a nacionalidade alemã desde que um dos pais tenha cumprido determinados requisitos (por exemplo, já morar na Alemanha há pelo menos 8 anos e ter um visto permanente). Em alguns casos, esta criança pode manter mais de uma nacionalidade, em outros casos precisará decidir aos 21 anos qual nacionalidade quer manter.

Outras pessoas precisam passar por um processo de naturalização (Einbürgerung) caso queiram também obter a cidadania alemã.  E foi por esse processo que passei no fim de 2014.

Como consegui obter a cidadania alemã?
O processo de obtenção da cidadania alemã para pessoas que não são descendentes de alemães e que moram na Alemanha é praticamente o mesmo tanto para solteiros quanto para casados com cidadãos alemães/europeus. As únicas diferenças é que os casados precisarão levar mais documentos (pois também precisarão levar várias certidões e documentos tanto pessoais quanto do cônjuge). Além disso, o tempo requerido vivendo na Alemanha é bem mais curto para quem é casado com cidadão europeu.
Eu sou solteiríssimo. Nunca me casei com ninguém. Então vou contar para vocês o meu processo de naturalização e explicar como um brasileiro, solteiro, sem parentes (pais, avós, bisavós) europeus pôde dar entrada no processo de obtenção da cidadania alemã. Se o seu caso não for exatamente igual ao meu, (ou seja, se você morar no Brasil, se seu avô era alemão etc.) sinto muito, mas não saberei te passar informações sobre como obter a cidadania alemã.

Pré-requisitos (gerais)
O(A) requerente deve:
- ter um título de residência permanente (por ex.: Niederlassungserlaubnis ou passaporte de outro país europeu) ou uma permissão de residência (Aufenthaltserlaubnis) na Alemanha
- residir na Alemanha regularmente há pelo menos 8 anos (há exceções!)
- ter renda suficiente para garantir o próprio sustento e o das pessoas pelas quais é responsável financeiramente SEM pedir ajuda social ou seguro-desemprego II (Arbeitslosengeld II).
- ter conhecimentos suficientes de alemão
- ter conhecimentos sobre as leis, a sociedade e as condições de vida na Alemanha
- não ter sido condenado por nenhum crime (condenações leves não são levadas em consideração)
- confirmar seu compromisso presente e futuro para com o livre sistema constitucional democrático contido na  Lei Fundamental da República Federal da Alemanha
- perder ou abdicar da nacionalidade anterior no ato do recebimento da alemã (comento já sobre isso!)
- usar sandália com meia no ato do recebimento do passaporte. (brincadeeeeeeira kkkk).

Comentários sobre os requisitos:
a) A pessoa não precisa ter um visto permanente para virar alemão. Por exemplo, um visto de trabalho (desde que a pessoa já cumpra os outros requisitos) pode ser suficiente para dar entrada no pedido. No entanto, vistos de estudante não são suficientes. O pedido só é aceito se a pessoa tiver um visto que daria a ela o direito de ter um permanente. Outra nacionalidade europeia também conta como "título permanente".
b) O tempo de 8 anos é encurtado para 7 anos caso a pessoa faça um curso de integração. E é encurtado para 6 anos caso a pessoa demonstre estar bastante integrada. (A interpretação sobre a integração pode parecer um pouco subjetiva e vai de caso a caso. Mas um dos pontos concretos é o domínio de língua alemã. Caso a pessoa demonstre um ótimo domínio da língua alemã, o tempo de moradia pode ser encurtado para 6 anos. Ser uma pessoa engajada (socialmente!) também pode ajudar neste quesito. No mais, eles decidem isso de caso a caso).
Todo o seu tempo de moradia no país conta para fechar a conta dos 8 anos, até mesmo o tempo de estudante. Mas lembre-se de que é tempo ininterrupto de moradia.
c) Existem algumas exceções também para pessoas que pedem ajuda do seguro-desemprego. Caso você tenha pedido esse auxílio, explique à/ao funcionário(a) sobre o seu caso. Ela/Ele poderá te esclarecer mais.
d) Nível suficiente de alemão quer dizer quase sempre o nível B1. Mas o/a funcionário(a) pode exigir de você um nível maior. (Um amigo teve que fazer a prova do nível B2, por exemplo). Quem é formado numa universidade alemã e fez a faculdade em alemão não precisa fazer nenhum teste extra de alemão.
e) Caso você tenha feito disciplinas de Sociologia ou Política numa universidade alemã, isso (normalmente) já conta como "conhecimento sobre leis, sociedade etc.". Em todos os outros casos, é exigido do candidato que se faça o Einbürgerungstest. É um teste relativamente fácil e barato. Você só tem que acertar 17 de 33 perguntas para ser aprovado no teste.
f) Sobre perder a nacionalidade brasileira: esse é o maior medo das pessoas, de fato. A Alemanha prevê uma série de exceções. Eles têm uma lista de países para os quais eles aceitam a dupla nacionalidade. O Brasil está nesta lista. (Eu nunca vi a lista em lugar nenhum. Mas isto me foi informado pela funcionária do Setor de Naturalização onde fiz o meu requerimento). Se você ainda tiver dúvida, poderá perguntar à/ao funcionário(a) antes de fazer o pedido. No meu caso, esta foi a primeiríssima informação que me foi dada sem que eu perguntasse. Na minha confirmação de aprovação do processo também veio claramente a informação de que a minha cidadania alemã havia sido aprovada sob o princípio da Mehrstaatigkeit (Cidadania Múltipla).
A página do Portal Consular do MRE (Ministério das Relações Exteriores) do Brasil confirma que brasileiros podem, sim, se naturalizar sem perder a nacionalidade brasileira a não ser que a pessoa manifeste o desejo de perder a nacionalidade. Ou seja, ninguém perde automaticamente a nacionalidade brasileira, a não ser que faça um requerimento.
"DUPLA NACIONALIDADE - Não há qualquer restrição quanto à múltipla nacionalidade de brasileiros. A nacionalidade brasileira não exclui a possibilidade de possuir, simultaneamente, outra nacionalidade. A perda de nacionalidade brasileira somente ocorrerá no caso de vontade formalmente manifestada pelo indivíduo. Em suma, ao tornar-se cidadão estrangeiro, por processo de naturalização, o cidadão brasileiro não perde automaticamente a cidadania brasileira, mas sim, passa a ter dupla cidadania: brasileira, por nascimento, e a estrangeira, por naturalização." (Fonte: clique aqui).
Então repito: A Alemanha não exige que brasileiros abdiquem da nacionalidade brasileira para se tornarem cidadãos alemães. O Brasil também não força a perda da nacionalidade brasileira de quem se naturalizou. Mas lembrem-se: eu não sou jurista. Só estou contando minha experiência. Na dúvida, pergunte isso diretamente na Staatsangehörigkeitsbehörde da sua cidade antes de iniciar o processo. E se você tiver muito medo de perder a nacionalidade brasileira no futuro, avalie o que vai ser mais vantajoso para você (levando em consideração que este texto se dirige a brasileiro(a)s que JÁ residem na Alemanha há um bom tempo.)

Quais documentos são exigidos?
A lista de documentos exigidos varia de caso a caso. Para mim foram pedidos relativamente poucos documentos. Entre eles estavam Certidão de Nascimento com tradução juramentada, cópias dos certificados universitários (eu não precisei fazer teste de alemão, pois havia me formado numa universidade alemã. Então me foi pedido que trouxesse meu certificado da universidade), o resultado do Einbürgerungstest (esse documento pode ser apresentado depois do pedido já que pode ser difícil encontrar datas para fazer o teste), comprovante de renda etc. Não me lembro mais exatamente de outros documentos que me foram pedidos. Mas cada caso é um caso. A/O funcionário(a) vai te fazer perguntas para saber que documentos você tem que trazer. Caso você seja casado(a) e tenha filhos, com certeza a lista de documentos será bem maior. Se você tiver feito Curso de Integração ou não tiver certificado de alemão, com certeza terá que fazer algum teste de proficiência de alemão. Os próprios funcionários vão te dizer qual teste você deverá fazer.

Você pensa em se tornar cidadão alemão? O que fazer?
Se você tem os pré-requisitos acima, o primeiro passo é procurar uma Staatsangehörigkeitsbehörde da cidade onde você mora. (Lembrem-se de que o processo que eu expliquei é para pessoas que residem NA Alemanha. Se você não residir na Alemanha, eu não sei como é o processo). Leve o seu passaporte e vá lá fazer todas as suas perguntas que quiser. Eles normalmente são bastante solícitos. Ninguém vai te olhar com cara feia por você ir lá para fazer perguntas. Eles trabalham só com naturalizações, então é normal que pessoas apareçam lá com perguntas. Com certeza você sairá de lá já sabendo tudo o que precisa saber: se tem direito a requerer a cidadania alemã e quais documentos precisará levar.

Quanto tempo demora?
Isso varia de cidade para cidade. Depende do número de casos e do número de funcionários. Também depende da dificuldade dos casos. Mas conversando com amigos brasileiros, a maioria relata algo entre 4 e 6 meses. Caso o seu caso demore mais do que isso, entre em contato, telefone, envie e-mails. Como falei antes, eles normalmente são bastante solícitos.

Quanto custa?
Custa 255 Euros por adulto. Se você der entrada no processo para seu filho menor de idade junto com você, custa 51 Euros por cada filho. Caso você dê entrada no processo de naturalização do seu filho menor de idade separadamente, ele vai pagar preço de adulto. A maior parte do valor é paga no ato do requerimento. O resto do valor é pago quando sai o resultado.
Neste valor não estão incluídos os custos para o Einbürgerungstest nem outros custos com traduções juramentadas e outros testes. O Einbürgerungstest, por exemplo, custa 25 euros.

O passaporte e a carteira de identidade você não recebe automaticamente. Depois de ter a declaração de naturalização em mãos, você já é cidadão alemão. Como cidadão alemão, você deve requerer os seus documentos nos mesmos lugares que os outros alemães fazem. Pode demorar aprox. 3 semanas até ter os documentos em mãos.

Passaporte alemão - até 24 anos de idade € 37,50 (válido por 6 anos) / mais de 24 anos de idade € 59,00 (válido por 10 anos)
Carteira de Identidade alemã - até 24 anos de idade € 22,80 / mais de 24 anos de idade € 28,80

Mais perguntas?
Você tem antepassados alemães e quer saber se tem direito à nacionalidade? Clique aqui.
Quer saber sobre vistos para morar, trabalhar etc. na Alemanha? Clique aqui (à direita há informações sobre os diversos tipos de visto).
Quer saber mais sobre Einbürgerung de fontes oficiais? Clique aqui.
Quer encontrar os contatos oficiais na cidade onde você mora na Alemanha? É só digitar o nome da sua cidade e a palavra Einbürgerung no Google que você encontra.

Espero que as informações acima tenham sido úteis.
Infelizmente não poderei responder nenhuma pergunta sobre vistos. 

28 de setembro de 2016

Bolsa de pesquisa na Alemanha: Capes/Humboldt

Você já tem doutorado? Se a sua resposta for SIM, essa bolsa é para você.

A Capes e a Humboldt estão oferecendo bolsas de pesquisa em duas modalidades (para todas as áreas do conhecimento):
Pós-doutorado (bolsa com duração de 6 meses a 2 anos): para pesquisador altamente qualificado e em início da carreira acadêmica, que tenha completado seu doutorado há menos de quatro anos;
Pesquisador experiente (bolsa com duração de 6 meses a 1 ano e meio): para acadêmico altamente qualificado com um perfil de pesquisa definido, que tenha completado seu doutorado há menos de doze anos.

Foram publicadas mais duas chamadas no site da Capes. Uma com inscrições até de 30 de dezembro de 2016 para início da pesquisa entre julho/agosto de 2017 e maio de 2018. A última chamada terá inscrições de 31 de dezembro de 2016 até 28 de julho de 2017 para início de pesquisa entre fevereiro/março de 2018 até dezembro de 2018.

Universität Hamburg
Além da bolsa mensal, o(a) pesquisador(a) também terá direito a auxílio-instalação, auxílio-deslocamento, auxílio para aquisição de Seguro Saúde, curso de idioma alemão quando necessário, subsídios para dependentes e auxílio para mobilidade.

Ficou interessado? Leia mais no site da Capes (aqui) ou no site da Fundação Alexander von Humboldt (em inglês) (aqui). Não se esqueça de repassar as informações para seus amigos doutores.

As informações acima foram retiradas do site da Capes. Quaisquer informações sobre a bolsa devem ser enviadas aos contatos informados nos editais. 

27 de setembro de 2016

"Wir schaffen das": Explicando o verbo "schaffen"

Image by א (Aleph),http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5/
Há políticos que deixam sua marca na História com uma frase. Kennedy, em sua visita a Berlim disse a famosa frase "Ich bin ein Berliner" (ele queria dizer "eu sou berlinense", mas muita gente interpreta sua frase como "eu sou um Berliner" - produto semelhante ao "sonho" (o de comer, da padaria) [Em Portugal: bola de Berlim]. P.S. Em alemão, "Eu sou berlinense" é sem artigo, como em português: Ich bin Berliner. Outra frase famosa da História recente alemã foi a "Wir sind das Volk" (Nós somos o povo), que era dita pelos cidadãos da Alemanha Oriental quando iam às ruas pedir mudanças políticas (o que logo depois culminou com a queda do Muro de Berlim).
No dia 31 de agosto de 2015, Angela Merkel disse em meio à crise dos refugiados (especialmente sírios) a famosa frase "Wir schaffen das". (Nós conseguiremos). Quase um "Yes, we can" do Obama (claro que dentro de um contexto diferente)

Vamos agora entender melhor esse verbo.

Em alemão há dois verbos schaffen, um regular (Perfekt: hat geschafft) e um irregular (Perfekt: hat geschaffen).

Verbo Irregular: schaffen, schuf, hat...geschaffen
O sentido do verbo irregular schaffen é de criar. Criar aqui não tem o sentido de educar, mas de inventar, fazer surgir. Por exemplo, quando falamos que Deus é o Criador de todas as coisas, dizemos em alemão que ele é o Schöpfer (Criador) e nós somos uma de suas criaturas (Schöpfungen). Com este sentido podemos dizer:

Gott hat die Welt in sieben Tagen geschaffen. (também: erschaffen)
Deus criou o mundo em sete dias.

Ainda como verbo irregular, o verbo pode ter o sentido de "arranjar" (ou seja, dar um jeito de conseguir algo).

Ich muss mehr Platz für meine Bücher schaffen.
(Preciso conseguir/arranjar mais espaço para os meus livros).

Também existe uma expressão "für etwas nicht geschaffen sein" que quer dizer algo como "não dar [não ter talento] para algo".
Er ist für Büroarbeit nicht geschaffen. 
(Ele não dá pra trabalho em escritório / Trabalhar no escritório não é pra ele)

Verbo Regular: schaffen, schaffte, hat... geschafft
Este segundo verbo tem quase sempre a tradução de "conseguir" em português. Vou dar aqui alguns exemplos.

Das schaffe ich nicht allein. 
Eu não dou conta disso sozinho(a).

Ich muss unbedingt eine 1,0 schaffen. 
Eu tenho que conseguir um(a nota) 10 de todo jeito.

Ich habe fast alles geschafft!
Já terminei quase tudo. [consegui terminar]

Também dá para usar com orações:

Er hat es geschafft, Deutsch zu lernen.
Ele conseguiu aprender alemão.

Foi nesse sentido que a Angela Merkel disse o seu famoso "Wir schaffen das!", ou seja, "A gente vai dar conta disso", "A gente vai conseguir". Quando ela disse a famosa frase, ela realmente acreditava que toda a comunidade europeia fosse se unir para ajudar a solucionar a crise dos refugiados em conjunto. E caso isso acontecesse, ela tinha plena convicção de que juntos todos conseguiriam. O que aconteceu depois já sabemos. Muitos países acusaram a Merkel de ter "convidado" os refugiados a virem para a Europa, nas semanas que se seguiram milhares de refugiados se dirigiram às fronteiras europeias dizendo apenas "Queremos ir para a Alemanha". Ela sofreu duras críticas por todos os lados, dentro e fora da Alemanha. Atualmente, Merkel tenta se distanciar da sua frase, pois, segundo ela, a frase é usada de uma forma que ela não quis usar. Muitos jornais de diversos países publicaram reportagens com "Wir schaffen das (doch) nicht" (A gente não vai conseguir) como forma de atacar a política migratória que aconteceu após a famosa frase.

Se você quiser ler a entrevista da Angela Merkel (em alemão) sobre o seu distanciamento desta frase clique aqui e em português pode-se ler uma reportagem aqui.

Para terminar o tópico, ensino uma expressão bastante usada por aqui: Frohes Schaffen! Diz-se isso quando alguém tem trabalhos para terminar e você quer desejar um bom trabalho. Em outras palavras "Que você consiga terminar o seu trabalho". No Sul da Alemanha (Áustria, Suíça) usa-se schaffen também com o sentido de trabalhar. Er arbeitet/schafft den ganzen Tag.
Para todos os que estão estudando alemão: Frohes Schaffen! 

3 de setembro de 2016

Gatos, gatas e gatinhas: expressões com "gato" em alemão

Um gato e eu na casa da minha mãe no Brasil. 
Quem me conhece sabe que eu adoro gatos. Eu não tenho nenhum gato, mas na minha infância sempre tivemos gatos e sempre gostei muito de felinos. Hoje gostaria de falar para você sobre algumas expressões em alemão que envolvem os bichanos :-)

Como se diz "gato" em alemão?
Caso você veja um gato na rua e não saiba o sexo dele ou o sexo do animal seja irrelevante, a palavra é (die) Katze, -n. Não se engane. Apesar de a palavra ser feminina, ela pode ser usada para qualquer gato, desde que o sexo do animal seja irrelevante para a conversa.
Quando for necessário especificar o sexo do gato, o gato macho é (der) Kater, - e a fêmea é (die) Katze, -n. Existem algumas outras palavras sinônimas. As mais usadas são Mieze(katze) e Muschi. A última (Muschi) é mais usada por crianças. Quando usada por adultos, equivale ao inglês pussy (tanto pro animal quanto para o significado sexual, vulgar relacionado à genitália feminina).

O diminutivo de Katze é Kätzchen

Como se diz "ronronar"? :-) 
Aqui vão os principais verbos (no Präsens e no Perfekt): 
miauen (miar) - die Katze miaut / hat miaut
schnurren (ronronar) - die Katze schnurrt / hat geschnurrt
kratzen (arranhar) - die Katze kratzt / hat gekratzt
lecken (lamber) - die Katze leckt / hat geleckt
beißen (morder) - die Katze beißt / hat gebissen

Quer saber por que o particípio de miauen não leva o ge-? Clique aqui
Vamos agora a algumas expressões:

1) die Katze im Sack kaufen 
A expressão quer dizer ao pé da letra"comprar o gato no saco". É usada em situações em que as pessoas precisam comprar ou aceitar algo sem comprovar a qualidade antes. Por exemplo, se alguém te oferece um celular usado, você poderá dizer:

"Ich möchte es aber testen, bevor ich es kaufe. Oder denkst du, ich kaufe die Katze im Sack?" (Mas eu quero testar preimeiro, antes de comprar. Ou você acha que eu compro "o gato no saco"/compro às escuras, sem testar?)

2) für die Katz sein 
Ao pé da letra "ser para o gato", mas quer dizer "ser em vão", "não valer de nada". A expressão é assim mesmo sem a letra "e" da palavra Katze. Se você tiver se esforçado para alguma coisa e no final tudo tiver sido em vão, você poderá dizer "Es war alles für die Katz". (Foi tudo em vão). 

3) wie Katze und Maus 
Essa dá pra traduzir ao pé da letra: "como gato e rato". Se alguém disser "Er spielt mit dir wie Katze und Maus" (Ele brinca com você como gato e rato), pode ter certeza que é pra abrir o olho, pois ele está te enrolando da mesma forma que o gato solta o rato pra depois comê-lo.

4) einen Kater haben
Ao pé da letra: ter um gato. Mas quer dizer "estar de ressaca". Isso mesmo. Quando você beber demais, no dia seguinte você poderá dizer - "Mein Gott... was für ein Kater" (Meu Deus... mas que ressaca!)

5) Nachts sind alle Katzen grau. 
Este ditado também existe em português: À noite todos os gatos são pardos (em alemão: cinza/grisalhos). Este ditado quer demonstrar que no escuro os detalhes passam despercebidos. Este ditado não precisa ser usado só para se referir à situações que envolvam escuridão. "No entanto, quando este ditado popular é analisado metaforicamente, seu significado por estar relacionado com a ideia de que em meio a uma multidão as particularidades não são enxergadas." (Fonte: significados.com.br)

E dá para chamar uma pessoa de "gato(a)" como no Brasil?
Em alemão, não se usa "Katze" para se referir a alguém. Por incrível que pareça, nas mesmas situações em que brasileiros dizem "Oi, gatinha", os alemães chamam a menina de "rato". Na, du süße Maus. (E aí, gatinha linda? ao pé da letra é "ratinha" mesmo rsrsrs). Os homens podem ser chamados carinhosamente de "Hase" (coelho). Mas lembre-se, isso é apenas uma forma carinhosa. Não é exatamente chamando a pessoa de bonita. É uma forma de tratamento carinhosa, como temos no Brasil também: meu amor, meu bem etc. Eles gostam de ser chamar "rata" e "coelho", mas não de gato.
Se você vir alguém muito bonito e quiser contar pra um(a) amigo(a) que "ele/ela era um(a) gato(a)", há várias outras formas que não envolvem animais:

- Er/Sie sieht echt gut aus. 
- Er/Sie sieht sehr geil aus. (informal: "gostoso(a)")
- Er/Sie ist sehr schön/hübsch. 

Para terminar, aqui vai um vídeo de um dos gatos mais famosos do mundo EM ALEMAO:


Você sabia que este não é o primeiro tópico do blog sobre animais? Já falamos sobre porcos aqui.

26 de agosto de 2016

Palavras que confundem: tudo e todos em alemão: Alle? Alles? Allen?

Se você é desses que nunca sabe se deve usar alle, allen ou alles, vou tentar esclarecer a diferença.

Antes vou dar uma explicadinha sobre a diferença em português.

Em português temos o pronome tudo que é invariável e temos todo que é variável (todo, toda, todos, todas). Tudo quer dizer sempre "todas as coisas" e não deve ser usado para se referir a pessoas (apesar de na linguagem coloquial se ouvirem coisas do tipo "nós tudo" querendo dizer "nós todos").

1) Eu entendi tudo. (Tem o sentido de "todas as coisas (que foram faladas, ensinadas, ditas etc.)")

Já o pronome todo(a)(s) pode acompanhar substantivos (ex.: todo dia, toda manhã, todas as pessoas etc.) ou pode aparecer sozinho (ex.: Todos estavam aqui.). Quando ele é usado no plural sozinho quase sempre tem o sentido de "todas as pessoas", "todo mundo". Vamos ver alguns exemplos.

a) Todo dia eu acordo cedo. (Neste caso tem o mesmo sentido de "a cada dia". Também seria possível dizer o mesmo no plural, mas com artigo "todos os dias").
b) Eu quero todo o dinheiro. (Neste caso "todo" tem o sentido de "completo, inteiro". Dá também para usar depois do substantivo "o dinheiro todo")
c) Todos cantaram a música. (Neste caso tem o sentido de "todas as pessoas", "todo mundo")

Pois bem, agora vamos para o alemão.

Para dizer tudo em alemão o pronome é alles e é usado sempre no singular. A diferença é que em alemão é um pronome declinável (no dativo ele vira allem).

Döner: a comida "turca" mais alemã da Alemanha
Por exemplo, na hora de comprar um Döner (da foto) na Alemanha é normal que o vendedor pergunte se ele deve colocar TUDO no seu Döner ou se há alguma coisa que você não quer.

Muita gente acaba dizendo: Mit alles.
Como a preposição mit exige o caso dativo, é necessário dizer: Mit allem.

Mas, no geral, o pronome alles não varia muito, então você tem que se preocupar mais com o dativo.

Ex.: Ich habe alles verstanden. (Eu entendi tudo)
Ich wünsche dir alles Gute. (Desejo a você tudo de bom).

Vamos agora a cada caso da palavra todo(a)(s).

Significado A
Quando todo tiver o sentido de "a/em cada", tanto no singular como no plural usamos em alemão o pronome jeder, jede, jedes (que tem esse sentido de "cada").

Sobre declinação: é só lembrar que o pronome tem as mesmas terminações que o artigo definido (der, die, das). Se você souber declinar os artigos, saberá declinar o pronome jeder, jede, jedes.


Exemplos:
Jeden Tag wache ich früh auf. (Todo dia/Todos os dias eu acordo cedo)
Jedes Jahr fliegt sie nach Brasilien. (Todo ano/Todos os anos ela vai para o Brasil.)
Sie hat mit jedem Schüler gesprochen. (Ela falou com cada aluno).

Significado B
Quando todo tiver o sentido de "completo, inteiro", usamos no alemão o adjetivo "ganz". Neste caso, o adjetivo será declinado de acordo com as regras de declinação do adjetivo (já explicadas aqui).

Meine Eltern arbeiten den ganzen Tag. (Meus pais trabalham o dia todo/inteiro).
Ich will das ganze Geld. (Eu quero todo o dinheiro).

Significado C
Quando todos/todas for usado sozinho no plural e tiver o sentido de "todo mundo", "todas as pessoas" usamos o pronome alle (que também declina tal como o artigo definido plural).

Ex.:
Alle haben den Song gesungen. (Todos cantaram a música).
Sie hat mit allen gesprochen. (Ela falou com todos/todo mundo).
Ich kenne alle in diesem Raum. (Eu conheço todos/todo mundo nesta sala).

Quando em português usarmos o plural acompanhado de um substantivo, também se usa o pronome alle.

Ex.: Strahlen von Wahrheit, die alle Menschen aufklären können - Raios da verdade que podem iluminar todas as pessoas.  

Outros usos do pronome alle

1) O pronome alle também é usado sem terminação nenhuma antes de artigos, possessivos e outros pronomes declináveis.

Ich habe all meine Probleme für immer gelöst. (Resolvi todos os meus problemas para sempre).
All die Sachen, die wir machen. (Todas as coisas que fazemos). (É o subtítulo de um livro. Veja aqui). Neste último exemplo, não seria problema nenhum dizer também "alle Sachen".

2) O pronome alle também é usado para indicar a frequência dentro de um intervalo de tempo.

alle vier Jahre - de 4 em 4 anos, a cada 4 anos
alle zwei Monate - de 2 em 2 meses, a cada 2 meses

3) O pronome alle também pode ser usado no singular acompanhando substantivos. (Neste caso, ele se declina igual ao pronome jeder, jede, jedes, ou seja, aller, alle, alles). Mas o uso no singular é mais raro.

Er hat alles in aller Ruhe gemacht. - Ele fez tudo com toda a paz (do mundo).

4) A palavra alle também é um adjetivo usado na linguagem coloquial com o sentido de "acabado, terminado". Então se você ouvir um alemão dizendo "Das Bier ist alle", ele não está dizendo que a cerveja é tudo, mas que a cerveja acabou. (Lembre-se: "tudo" não é alle, e sim alles). 

21 de agosto de 2016

Por que alemães aprendem português tão rápido?

Quase todo mundo que estuda alemão já deve ter conhecido um(a) alemã(o) que fala português. Muitos brasileiros fica admirados com essa capacidade de aprender português tão bem enquanto os brasileiros engatinham no alemão depois do mesmo tempo de estudo. Com alguns anos de experiência dando aulas de português para alemães, vou tentar aqui explicar por que isso ocorre.

Mas antes de começar quero deixar claro um ponto: esse tópico não tem o objetivo de "babar ovo" de alemão e de "diminuir" os brasileiros. Com certeza existe alemão que não tem talento nenhum para aprender idiomas e brasileiros talentosíssimos que aprendem alemão rapidamente. Então, que fique claro já de antemão que não se trata de generalizações universais baseadas unicamente na nacionalidade e sim um relato de experiências tanto como aprendiz de idiomas quanto como professor. Se você se sentir ofendido por não se reconhecer no texto, lembre-se: É um RELATO! Não é a verdade universal. Algumas sugestões vêm ao fim do texto.

1) Brasileiros têm mais paciência pra falar com quem sabe pouco a língua
Os alemães têm a sorte de encontrar brasileiros de braços abertos para recebê-los quando chegam ao país. Isso faz com quem qualquer frase do tipo "Eu gostar Brasil" seja recebida com grandes sorrisos. Além disso, o brasileiro comum, aquele que você encontra nas ruas todos os dias não costuma falar outros idiomas muito bem. Então, entendendo ou não, o brasileiro passa a falar português com os alemães. Os brasileiros também não corrigem muito o português dos estrangeiros desde que a mensagem tenha sido entendida. Ou seja, as conversas não costumam ser interrompidas por causa de erros gramaticais.
Muitos brasileiros relatam que alemães não têm a mesma paciência pra quem está começando (Suzana Vieira Feelings). Então uma pronúncia errada, uma insegurança já é motivo para que o alemão comece a falar inglês. Muita gente relata que até mesmo amigos e cônjuges alemães não têm paciência de falar em alemão, o que pode ser frustrante. Fora as situações em que alemães já falam inglês apenas por você ter uma aparência de estrangeiro. Muitos brasileiros que falam pouco alemão acabam indo pro lado mais fácil: acabam formando um grupo de amigos brasileiros na Alemanha e conversam em inglês com amigos alemães.

2) É mais fácil encontrar brasileiros na Alemanha que alemães no Brasil
A Europa é um continente pequeno com muitos países e línguas. Então é muito comum ver em qualquer cidade grande europeia um grande número de pessoas falando diversas línguas, com diversas fisionomias. Então é só escolher um idioma pra aprender que provavelmente você encontrará falantes nativos na sua cidade para praticar. Em qualquer cidade grande alemã há muitíssimos brasileiros. Como os brasileiros que moram na Alemanha também querem aprender alemão acaba sendo muito fácil encontrar pessoas para falar português. E como todo brasileiro tem vários outros amigos brasileiros, basta conhecer um para conhecer vários. No Brasil, a situação é bem diferente. O país tem dimensões continentais. Mesmo que um bom número de alemães esteja no Brasil, em cidades grandes esse número é relativamente pequeno. Mesmo que estivessem agora no Brasil 1.000 alemães procurando alguém para praticar alemão, esse número num país de 200 milhões e com nossa extensão territorial torna a prática com nativos bastante rara.

3) Alemães têm menos medo de falar errado que brasileiros
Eu sei como é, pois também sou brasileiro. Abrir a boca só depois de ter certeza que a frase tá certa. Eu já fui assim. E viver eternamente dizendo que seu inglês, espanhol etc. não é tão bom assim, pois enquanto não souber o dicionário de cor, melhor não abrir a boca. Já falei sobre isso no tópico sobre fluência aqui. Alemães não se importam em dizer coisas como "Minha pai e meu mãe mora em Alemanha". É claro que o ponto número 1 (aquele sobre paciência) pode influenciar também. Mas, na verdade, alemães fazem isso com qualquer idioma. Até mesmo inglês. Falam mesmo. O importante é se fazer entender.
Como professor de alemão me lembro a dificuldade que era de fazer alguém falar com um nativo. Medo de dizer algo e não ser entendido. Se for entendido, era o medo de não entender a resposta. Mesmo de falhar. E a cereja do bolo: muitos brasileiros têm medo de serem ZOADOS (sim, isso mesmo) por outros que não falam o idioma. Sim, como falar idiomas no Brasil ainda não é algo muito comum, tem gente que se sente intimidado por amigos que vão fazer piadinhas do tipo "Tá me xingando?".

4) Alemães têm mais experiência com línguas estrangeiras
Como disse antes, a Europa é um continente pequeno. Algumas horinhas de carro e você já está em outro país, outro idioma, outra cultura. Alemães costumam aprender pelo menos duas línguas estrangeiras na escola (inglês é praticamente obrigatório). Muitos estudantes acabam fazendo viagens aos países onde as línguas são faladas (francês, espanhol e inglês são as mais estudadas). Vi provas de inglês dos alunos que estão fazendo o Abitur (é como o Ensino Médio brasileiro) e eles já fazem redações em inglês. Estudei em escola particular e na aula de inglês fazíamos apenas gramática. A língua não tinha nenhum uso prático além de aprender regras que nunca usaríamos fora da escola (adjetivo antes de substantivo, por favor). A maioria dos alemães que fala português acaba já trazendo uma bagagem do que é realmente aprender um idioma, pois eles já aprenderam a FALAR pelo menos um.
Mas, Fábio, a maioria dos brasileiros que aprende alemão também já fala inglês, não é? (você pode se perguntar isso). É verdade. Alemão quase nunca é o primeiro idioma estudado pelos brasileiros. Mas o nosso jeito de estudar línguas (aprender inúmeras regras gramaticais antes de abrir a boca) faz com que muita gente desista antes mesmo de tentar. Além disso, tem muita gente que aprendeu inglês fazendo intercâmbio nos EUA que acha que vai chegar na Alemanha e aprender alemão apenas por estar no país, sem muito esforço. Só que a realidade aqui é outra (ponto número 1).

5) Muuuuuuuuuuitos alemães que aprendem português já falam (ou estudaram) espanhol
Espanhol é uma das línguas mais estudadas nas escolas alemãs, depois com inglês e francês. Pelo menos 50% (às vezes 80%) das minhas turmas de português já sabem espanhol ao começar com o português. Querendo ou não, saber espanhol acelera imensamente a rapidez com que se aprende português. A gramática é bastante parecida, muito do vocabulário é idêntico e pra melhorar tudo isso: Alemães podem falar espanhol portunhol no Brasil e serem entendidos. Ou seja, ponto pra eles.
Infelizmente, das línguas nacionais europeias, a mais próxima do alemão seria o neerlandês (holandês), mas não é muita gente que estuda holandês no Brasil. Brasileiro está em desvantagem nessa hora. Mas não fiquemos tristes, brasucas. Estamos em vantagem na hora de aprender diversos idiomas latinos: espanhol, italiano, francês etc. são mamão com açúcar pra quem fala português (em comparação com idiomas de outras famílias).

6) A gramática do português no nível inicial é mais fácil 
Todas as línguas têm suas dificuldades. Acreditem, os alemães também sofrem para aprender muita coisa do português. Diferenciar vários tempos do passado (Perfeito, Imperfeito, Mais-Que-Perfeito), aprender a usar o subjuntivo e diversas conjugações irregulares (vou, vai, fui, foi, ia, vá, vão, fosse, foram etc.) A pronúncia do português também não é nada fácil (sons nasais, letras que se pronunciam diferente do que estão acostumados etc.). E pra melhorar tudo isso, ainda têm que aprender a língua culta e a linguagem informal. Então não duvidem da complexidade que é aprender português.
Mesmo assim, pra quem está dando os primeiros passos no idioma, o estudante de alemão recebe muito mais desafios que um estudante de português. Um estudante do primeiro semestre de alemão já tem que memorizar três gêneros sem muitas regras, diversas formas de plural, declinações inexistentes no português, um ordem de palavras diferentes. E isso só pra começar.Isso tudo pode dar um certo desânimo.
Mas antes de botar a culpa no próprio idioma, é importante lembrar do ponto número 5 (alemães já aprenderam gramática do espanhol, o que ajuda a entender a gramática do português de forma bem mais rápida) e do ponto número 3 (brasileiros poderiam abrir a boca mesmo errando no início). Então nada de desespero. Não desistam antes de começar a usar a língua para conversar. Essa é a parte mais legal de se saber um idioma, é usá-lo para conversar.

7) Estudantes alemães adultos assumem a responsabilidade sobre o seu aprendizado
Minha experiência como professor de português na Alemanha é que a maioria deles sabe porque está na aula. Isso os torna muito mais focados nos estudos. Alguns chegam já dizendo "Eu vou fazer um intercâmbio no Brasil ano que vem e preciso aprender o máximo possível" ou "Eu tenho uma namorada brasileira e quero poder conversar com a família dela". Pronto! Isso já é suficiente para eles focarem em estudar incansavelmente vocabulário, gramática etc. Isso não quer dizer que todo estudante alemão passa o dia inteiro estudando português. Mas a maioria dos meus alunos estuda, faz exercícios etc. Eu tenho pouquíssimos problemas de falta de motivação nas minhas turmas. No Brasil, se professor de língua não cantar, dançar, fizer coreografias, mostrar filmes, contar piadas etc. é difícil obter a atenção do aluno. É a famosa aula-show. E mesmo com todo esse esforço boa parte ainda espera aprender a língua apenas dentro do curso. Ainda reina no Brasil aquela ideia de "estudar pra passar na prova" e não pra usar a língua. Enquanto o alemão está lá todo focado em aprender pra usar o idioma numa viagem ao Brasil, o brasileiro está tentando decorar o que ele precisa saber pra passar na prova. Isso faz uma grande diferença. É uma diferença cultural. O estudante alemão adulto assume a responsabilidade sobre o seu aprendizado enquanto o brasileiro ainda espera que o professor o faça aprender aquele idioma. É claro que há casos e casos. Tenho inúmeros ex-alunos maravilhosos no Brasil também (se algum deles estiver lendo isso, um abraço!). Mas no Brasil ainda há uma cultura muito forte de culpar o professor pelo fracasso de alunos adultos.

Vou dar aqui algumas sugestões:

1) A melhor dica é já vir pra Alemanha já tendo noções de alemão (eu diria nível A2 no mínimo). Mas caso você tenha vindo sem saber (quase) nada, pule pra próxima dica.

2) Se você falar alemão e a pessoa responder em inglês, peça-lhe que responda em alemão e diga que você está tentando aprender o idioma. Peça também um pouco de paciência (Geduld!) e compreensão (Verständnis!). Quase sempre dá certo. Se não der, reflita um pouco sobre que tipo de "amigo" é esse que não quer te ajudar a melhorar no idioma. :-) Mesmo num restaurante, pedir pro garçom falar alemão sempre dá certo. (A não ser que o restaurante esteja incrivelmente cheio e o garçom não tenha um segundo a perder).

3) Se o seu nível de alemão ainda for baixo ou você se sentir insegur@, procure praticar alemão primeiro em situações mais focadas no aprendizado (que é o caso do Tandem!). Tandem é o termo utilizado para uma bicicleta para duas pessoas pedalam. Mas também é utilizado para "intercâmbio linguístico", onde duas pessoas se encontram para praticar idiomas (por exemplo: um alemão que quer praticar português brasileiro se encontra com um brasileiro que quer praticar alemão).
Há muitas maneiras de se conseguir
Lembre-se: Tandem não é aula de idioma. As pessoas não precisam saber explicar gramática nem dar aula. O Tandem é uma forma de poder praticar a língua que você está aprendendo. O/A alemã(o) que procura os encontros de Tandem vai estar pronto pra ouvir o seu alemão, mesmo com erros, já que ele/ela mesmo(a) vai querer praticar português depois. Então é uma chance de você abrir a boca sem medo de errar e ainda contar com uma ajuda para melhorar.
Há várias plataformas de Tandem. Se você morar na Alemanha procure o centro de línguas da sua universidade. Provavelmente eles vão ter cadastro de pessoas procurando tandem. Caso você more no Brasil, poderá tentar sites como Tandem Partners ou o Tandem Exchange. Mas eu também sugiro tentar encontrar pessoas em sites de aprendizado de línguas como o italki ou Duolingo. Lá também você pode encontrar pessoas dispostas a praticar línguas com você.

4) Mantenha o foco de que você está estudando alemão pra SE COMUNICAR! Não desista antes de atingir esse objetivo. Não estude apenas para dominar regras. O seu objetivo não é ser um expert em acusativo e dativo. O seu objetivo é usar as regras como ferramentas para a comunicação. Concentre-se naquilo que você quer aprender a dizer. Não adianta saber palavras difíceis do alemão que ninguém usa e não saber nem dizer qual a sua profissão. Comece aprendendo a falar sobre você, sobre sua família, sobre o seu dia etc. e vá progredindo até conseguir falar sobre diversos assuntos.

5) Abra a boca, mesmo que contenha erros. Não tenha medo de dizer "Minha pai" nem "Eu gostar". Tente encontrar um meio de ser entendido.
No entanto, aprenda com as correções. Há determinadas pronúncias que causam confusão. Então esforce-se para pronunciar as coisas de forma clara. Não é só o seu interlocutor que tem que se esforçar para entender o seu alemão. Você também tem que fazer a sua parte e se esforçar.

6) Pare de culpar a gramática da língua ou os alemães pelo seu fracasso no aprendizado da língua. Não é a língua alemã que é difícil demais. Todas as línguas têm suas dificuldades. Algumas pessoas precisam de mais tempo outras de menos tempo. Mas todas precisam se esforçar.

7) E por fim... não ligue para o tempo. Umas pessoas aprendem alemão em meses, outras em 1 ano, outras precisam de vários anos. O mais importante é a constância. Cada pessoa tem o seu tempo. 

10 de agosto de 2016

Jogos Olímpicos em alemão

Medalhas dos Jogos Olímpicos Rio 2016
Os Jogos Olímpicos de Verão começaram no Rio de Janeiro e aqui na Alemanha não se fala de outra coisa. Tanto da abertura quanto do rapaz de Tonga. Mas também dos jogos (para ler as últimas notícias dos jogos em alemão, clique aqui).

Vamos ao que interessa.

Como se diz "medalha" em alemão? E ouro, prata e bronze?
A palavra medalha em alemão é (die) Medaille, -n. A pronúncia é quase igual a do português. Ouça aqui.

Goldmedaille - medalha de ouro
Silbermedaille - medalha de prata
Bronzemedaille - medalhe de bronze

O verbo "ganhar" em alemão é gewinnen (particípio: gewonnen).

Por exemplo: Brasilien hat soweit zwei Medaillen gewonnen. (O Brasil ganhou até agora duas medalhas).

E os esportes?
Vamos à lista das modalidades esportivas nas Olimpíadas.



27 de julho de 2016

Vídeo-Aula: Orações Subordinadas Sem Conjunção

Aqui vai mais uma vídeo-aula respondendo à pergunta de uma leitora.



Para ler mais sobre a ordem das palavras em alemão, clique aqui.

Vídeo-aula: Elementos de ligação em substantivos compostos

Vídeo aula sobre elementos de ligação em substantivos compostos.



Para ler mais sobre substantivos compostos, clique aqui.

14 de julho de 2016

Acht Jahre: Aniversário do Blog

Und nein, ich bin nicht süß :-)
Hoje é aniversário do blog. Há 8 anos no meu quarto quando ainda morava em Fortaleza e usava o Orkut decidi criar um blog sobre a língua alemã. O blog cresceu bem mais do que esperava (e eu tb hahah). Minha vida não é nada parecida com a vida que eu tinha há 8 anos. Muita coisa melhorou também.

Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito obrigado a todas as pessoas que leem meu blog, que se divertem, que comentam, que divulgam... muito obrigado mesmo!

Pedi para meus leitores e leitoras contarem momentos em que o blog foi de grande utilidade. Aqui estão alguns relatos:

O blog dá dicas de alemão pra profissionais
"Estudo medicina e tenho muita vontade de ir trabalhar na Alemanha. O blog me ajudou com algumas informações no tópico "Alemão para profissionais de saúde", com o esclarecimento sobre os livros para medicina em alemão, que já estou me preparando para adquirir." (Carolina Wassmansdorf)

O blog dá dicas de gramática
"Um post que vc publicou em 17/06 desse ano sobre o verbo lassen. Estávamos aprendendo justamente isso no curso e eu tinha faltado à aula. Apesar do professor ter me explicado, achei bem confuso e o post foi muito esclarecedor. Consegui fazer as questões da prova sem dificuldade" (Carolina Loureiro)

"Uma matéria bem concreta: sempre quis aprender a usar o "worauf, woran,wofür womit..." e por aí vai. A matéria sobre como e quando usá-los foi super esclarecedora... passei a usá-los no meu dia a dia :-" (Andreza Henriqueta)

"Lembro que para a minha primeira prova no A1.1 eu li alguns posts com explicações do acusativo e foi uma bela ajuda. " (Aline Flores)

"O que mais me ajudou foi quando li sobre a declinação de adjetivos antes de aprender em sala. A forma de enxergar apenas com duas tabelas, como declinação forte ou fraca, foi excelente! O mais interessante é que eu sou daquelas pessoas que precisam de um professor para entender a gramática; se o professor não ensina, eu não fixo, mesmo já tendo lido antes. No entanto, após ouvir em sala a explicação clássica com três tabelas, nem por isso deixei de enxergar como declinação forte e fraca! Foi o único caso em que a explicação de um professor mais atrapalhou do que ajudou. Esse assunto já era muito natural e lógico para mim, mas curiosamente observei que todos os outros alunos tinham muita dificuldade. Eu tenho as tabelas impressas coladas na contracapa do caderno, e com certeza foi uma das melhores dicas que já encontrei da língua alemã. Muito obrigado ao blog Quero Aprender Alemão por ajudar a manter a esperança de falar alemão fluentemente um dia!" (Renato Christensen)

O blog dá dicas de pronúncia
"Ich habe für mehrere Stunden deine Hörlektionen angehört, bis ich endlich zufrieden war. Da habe ich zum ersten Mal den Unterschied zwischen O und Ö und U und Ü wirklich verstanden und es auch geschafft zu wiederholen. Das hat mir echt geholfen, weil es danach möglich war, Dinge zu verstehen und die Wörter richtig auszusprechen, die ich früher nicht aussprechen konnte. Deswegen habe ich später deutlicher reden können." (Peter Köhler) - Lieber Peter, danke für deine schönen Worte! 

A página do Facebook dá dicas práticas da vida diária
"Em 2014, tive o privilégio de viajar para a Alemanha e conhecer algumas de suas encantadoras cidades. E, foi durante esta viagem, que coloquei todos os meus conhecimentos adqueridos em prática. Todas as dicas presentes no blog e os feeds de notícias do Facebook foram  úteis para a minha comunicação durante o período que permaneci em terras germânicas. Foi através da leitura de curiosidades, relatos, dicas e informações postadas pelo autor que pude aproveitar ao máximo a realização do meu sonho." (Gisela Favaro)

"Na recente postagem, perto do jogo da França contra a Alemanha, sobre a "brincadeira" que os alemães fizeram publicando cartazes pela rua com a frase: "Frank, reich mir das kölsch!" Me senti orgulhoso de entender perfeitamente o jogo de palavras e saí contando para todos a "piada" (que na maioria das vezes só era engraçado pra mim). Mas o melhor ainda não havia acontecido, tinha marcado de assistir o jogo no bar com uns amigos e quem estava na mesa ao lado? Um legítimo alemão visitando o país. Me exitei no início, mas depois de algumas cervejas não tive dúvidas e citei em voz alta e clara para o garçom a fatídica frase (trocando a cerveja kölsch para Bier) que obviamente me achou maluco, porém, para minha felicidade, o alemão ao lado não só compreendeu como começou a rir!!! (Pena que o jogo não proporcionou a mesma felicidade para ele...)" (Samuel Sampaio)

O blog dá informações sobre a cultura alemã
"Bem, sou muito ruim de memória, mas lembro do primeiro post que li no blog, que me fez seguir desde entao, que foi um que falava sobre como os alemães contavam nas mãos, começando pelo polegar. Isso me ajudou a entender a situação do filme bastardos inglórios, e a chegar depois com meus amigos perguntando se eles entendiam a referência, e claro que bem poucos sabiam. E isso foi muito legal porque me fez entender mais sobre a cultura alemã presente em filmes." (Arianne Nayara)

O blog mostra que difícil é bastante relativo
"Algo que me incentivou bastante a continuar a estudar alemão, foi quando eu li um relato do professor Fábio, onde ele dizia como ele aprender alemão. Nesse relato, uma parte que me chamou a atenção foi quando ele disse que nunca achou alemão complicado porque simplesmente ele aprendeu sozinho e não tinha ninguém lhe dizendo que “alemão é difícil... as declinações é o verdadeiro terror...” e isso, não atrapalhou! Em parte, meu susto foi que, primeiramente, vi muitos relatos de pessoas me assustando e intimidando ao dizer que declinações me fariam desistir, simplesmente por “um terror psicológico” que eu conseguir reverter por causa do relator do professor!" (Sabrina Sena)

O blog tem aquela explicação que falta
"Aquela explicação que o livro não tem...o Fábio tem." (Tatiana Orcy)

"Já na minha primeira semana de aulas, me deparei com a famosa e temida DECLINAÇÃO. Estava prestes a enlouquecer com todas as novidades: "der, die ou das", "akkusativ, dativ, nominativ, genitiv", formação de frases e lógica completamente diferente do português. 
Foi aí que percebi que tinha que procurar mais informações, mais explicações e me dedicar muito mais do que só aos exercícios da aula. E a procura por um site que oferecesse isso tudo e mais um pouco me levou ao "Quero Aprender Alemão". 
Com essa página, consegui explicações claras, simples, experiências de outras pessoas, dicas de filmes, livros... E o mais importante: me inspirei muito na experiência do criador do site, pois foi aí que percebi que a dedicação e a vontade de aprender leva a resultados maravilhosos." (Vitória S. Plentz)

O blog dá motivação para os leitores usarem o seu alemão
"Além dos amigos secretos de cartão do blog, o post foi muito útil pra mim (caiu como uma luva mesmo) quando estava visitando uma família alemã em Stuhr próximo do Natal de 2014. Eles gostam muito de cartões temáticos e postais, a mãe da família fez até um varal na cozinha pra colocá-los (tem uma foto em anexo, com um dos meus cartões nele que enviei de Newcastle, onde estudava na época). E queria muito escrever um cartão pra agradecê-los pela estadia e também desejar feliz Natal (eu fui embora pouco antes do 25/12 de lá). Aí, eu me lembrei que havia recebido poucos dias antes no meu e-mail um post do blog com esse tópico. Assim pude escrever o cartão com muito mais confiança. Enfim, esse foi um exemplo mais definido de como seu blog é útil pra mim." (Pablo Resende)

"O exemplo concreto de como o blog me ajudou a aprender a alemão (sempre me ajuda, na medida possível, pois sou iniciante ainda) foi o último post sobre a família. Achei ótimo e fiquei muito feliz de entender quase tudo e também conseguir escrever em alemão, ainda que pequeno, um texto sobre a minha família." (Sandra Schultz)

O blog ajuda quem não tem muito acesso ao idioma em sua cidade
"Como não é uma língua muito explorada fiquei meio perdida e não sabia com quem ou em qual site poderia treinar a escrita, fala e/ou escutar músicas, ver vídeos, ter algumas dicas de livros que poderiam me auxiliar no estudo. E então, ao procurar no facebook algumas páginas de alemão encontrei o "Quero Aprender Alemão" e simplesmente amei a página, me socorreu em diferentes áreas do aprendizado" (Winy)

Vídeo do Sorteio: (O vídeo saiu de lado, eu não percebi na hora - vai ficar assim mesmo)
Carefree Kevin MacLeod (incompetech.com)
Licensed under Creative Commons: By Attribution 3.0 License
http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

1 de julho de 2016

Bolsas do DAAD para o Winterkurs 2017


O DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) oferece todos os anos bolsas de estudos para estudantes universitários brasileiros que estejam aprendendo alemão. É uma forma de incentivo para aqueles que futuramente possam se interessar em pesquisar na Alemanha.

É uma seleção feita nacionalmente (ou seja, qualquer universitário brasileiro pode se candidatar) e sempre fiquei muito feliz que Fortaleza sempre tenha conseguido enviar vários candidatos todos os anos.

Mas preparem-se para o frio... os cursos são oferecidos, em geral, nos meses de janeiro e/ou fevereiro.. ou seja, os meses mais frios da Alemanha. A chance de ver neve nesses meses é quase 100%, mas a chance de passar frio também é em torno de 100%. Nada de ver alemães sorridentes e felizes na rua... tá todo mundo escondido em algum lugar quentinho tomando alguma bebida quente :-) Mas é uma chance de conhecer a Alemanha, aprender alemão e ainda ganhar uma ótima ajuda de custo (2.850 Euros + seguro-saúde)

Pré-requisitos:
  • Nacionalidade brasileira ou residência permanente no Brasil
  • Matrícula em universidade brasileira (comprovante de matrículo do semestre 2016.1):
    - Alunos da graduação:  4º período no momento da inscrição, CR igual ou superior a 8,0;
    - Alunos de mestrado
    - Alunos de doutorado
  • Conhecimentos de alemão correspondentes ao nível intermediário B1 para todas as carreiras
  • Teste OnDaf é obrigatório para todos os candidatos (clique aqui para obter dicas de como se preparar para o teste onDaF)
  • Carta de motivação escrita em alemão (modelo de carta aqui)
(Informações retiradas do site do DAAD):
Você pode se inscrever até o dia 15 de agosto de 2016. Para ler o edital clique aqui.

Quer ganhar essa bolsa? A inscrição será feita pelo portal do DAAD. (Clique aqui).

Lá você poderá baixar o edital completo, ver um FAQ com as principais perguntas, baixar o formulário de inscrição e se informar sobre o teste onDaF.

Não se esqueçam de que aqui no blog já postei várias dicas para se preparar para o teste onDaF. Clique aqui.

Não respondemos perguntas sobre a bolsa. Todas as perguntas devem ser dirigidas aos contatos fornecidos na página do DAAD. Mas gostaríamos muito de ler nos comentários experiências de quem já fez o Winterkurs.

4 de junho de 2016

A palavra "quasi" em alemão: quase a mesma coisa

Uma leitora me fez uma pegunta esses dias sobre o uso da palavra alemã quasi.

A maioria dos falantes de português pensa que significa "quase". Então vamos tentar primeiro separar esses dois significados.

A palavra portuguesa quase deve ser traduzida em alemão quase sempre como fast. (A palavra beinahe também é sinônima, mas de uso mais formal). Lembre-se de que nos exemplos abaixo, quase em português tem o sentido de "faltando um triz", "faltando pouco".

Vamos aos exemplos:
Er hat fast alles gegessen. Ele comeu quase tudo.
Es war schon beinahe vier. Eram quase quatro (horas).
Er verschluckte sich beinahe , als er den Auftrag seiner Kundin hörte. Ele quase se engasgou ao ouvir o pedido da sua cliente.
Sie hat in einem Schluck das Glas fast leer getrunken. Ela quase esvaziou o copo num gole.

Já a palavra quasi do alemão (que é pronunciada ['kvazi]) é muito usada na linguagem falada e quer dizer algo como "tipo", "meio que", "mais ou menos". Em inglês seria algo como "kind of". Não tem o sentido de "faltando um triz", mas de "não é bem isso, é mais ou menos isso". Vocês perceberão que eu também sugiro outras traduções para o quasi de acordo com o contexto.

Vamos a alguns exemplos:
Schon jetzt gibt es quasi einen Vorvorverkauf. - Agora já tem uma espécie de pré-pré-venda.
Es gibt quasi kein Gebäude , das nicht zerstört wurde. - Não há praticamente nenhum edifício que não tenha sido destruído.
In Madrid war es früher quasi Tradition gewesen , dass Atlético die Punkte im Bernabéu-Stadion ablieferte. Em Madri antigamente era meio que tradição o Atlético entregar os pontos no Estádio Bernabéu.
Wenn er also schon an Flug denkt, wird ihm quasi schlecht. - Quando ele pensa em voo então, ele meio que passa mal.

Você pode se perguntar. Mas não dá pra traduzir esses exemplos como "quase"? Às vezes dá. Mas a questão é que quasi em alemão não tem o sentido de algo que não foi atingido por um triz. Quasi tenta mostrar uma ideia que é mais ou menos aquilo que se está explicando. Quando se usa fast você tem ideia do que precisaria ser atingido e afirma que faltou bem pouco para atingir. Quando você usa quasi, você afirma que está usando um termo inexato para falar de algo, muitas vezes por falta de um termo melhor. (Dos exemplos acima: "Em Madrid era meio que tradição", não era bem uma tradição, mas eu vou chamar aqui de "tradição" por falta de um termo melhor. "Ele meio que passa mal", tipo, ele não passa maaaaaal mesmo, mas ele passa mal.). Uma expressão do português seria "por assim dizer".

Ficou claro? Ou quase? :-) 

22 de maio de 2016

A Santa Missa em alemão

Recentemente uma leitora do blog me pediu para que eu a ajudasse a entender e participar da missa em alemão. Quem é católico deve saber que a missa é cheia de ritos. O padre diz algo e os fieis respondem. Além disso há várias orações que devem ser recitadas palavra por palavra. Não saber o texto da missa pode angustiar aqueles que querem participar mais ativamente da Santa Missa católica.

Por isso, estou disponibilizando um arquivo com o texto da missa em alemão e português com as falas do padre (P) e dos fiéis (A):



Para baixar o arquivo clique aqui.

Aqui também vocês podem ver uma missa transmitida pela TV:

19 de maio de 2016

Darauf, daran, darum etc.: Pronominaladverbien

Finalmente chegou a hora de responder esta pergunta que tira o sono de muitos lusófonos estudando alemão: o que diabos querem dizer esses darauf, daran, darum etc. que vivem aparecendo nos textos alemães? Se você faz/fez parte do grupo que sempre tentou entendê-los, chegou a hora de ver uma explicação detalhada. Estamos prontos pra aula? Segurem-se! Vamos lá!



Vamos primeiro entender como eles são formados.
Formação: Os Pronominaladverbien são formados da junção de um pronome (wo, da) e uma preposição (in, an, auf, um, vor etc.). Quando a preposição começar por vogal, um -r- é acrescentado entre as duas partes. Alguns exemplos:

wo + in = worin / da + in = darin
wo + auf = worauf / da + auf = darauf
wo + von = wovon / da + von = davon
wo + an = woran / da + an = daran
wo + um = worum (não confundir com warum)/ da + um = darum etc.

Aqui eu não vou colocar todos as preposições com as quais wo e da podem se unir, basta saber que eles podem se unir àquelas mais usadas.

Agora vamos ao seu uso.
Uso: Para entender melhor o seu uso vou dar primeiro alguns exemplos em português.

Pegue o verbo "depender". Quando algo depende, é porque depende de alguma coisa, correto? Quando alguém diz "Depende", uma das reações possíveis é dizer "De quê?". Então sabemos que o verbo "depender" exige um complemento que começa pela preposição "de". Representaremos assim:

depender + de + complemento

Depende da sua decisão

Tomemos o exemplo do verbo abhängen (depender) em alemão. Em alemão se alguém dissesse que algo depende, também seria necessário dizer "de quê". Coincidentemente se usa a preposição von para indicar o complemento. Em alemão representaríamos assim:

abhängen + von + complemento 

Es hängt von deiner Entscheidung ab. (Depende da sua decisão).

Até aqui tudo bem? :-) Continuemos então.

Depois de dizer "Depende", se eu quisesse perguntar "De quê?", como fazer?
Acredito que a maioria dos aprendizes de alemão diria "Von was?", não é? Só que aqui vem o balde de água fria: não é! 

Quando você quiser dizer "Preposição + WAS", o correto é usar "WO + Preposição". O quêêêêêêêê? Sim, é isso mesmo. Eu sei que "Wo?" quer dizer "Onde?", mas quando ele se junta com uma preposição ganha o mesmo sentido de "Was?".

Então a pergunta "De quê?" em alemão é "Wo + von = Wovon?".
Wovon hängt es ab? Depende de quê?

Outro exemplo: Você está pensando em quê? (em português pensar + em; em alemão denken + an).
Wo + an = Woran
Woran denkst du? (Você está pensando em quê?)
Ich denke an meine Probleme. (Estou pensando nos meus problemas.)

Ainda falta explicar o davon e o daran, né? Pois vamos lá.

Há dois possíveis usos do "da + preposição".

1) O primeiro deles é se referir a algo que já foi dito e/ou que está claro dentro do contexto. Em português uma tradução comum seria "preposição + isso".

Exemplo: Digamos que alguém veja você com cara de preocupado e pergunte "No que você está pensando?" (Woran denkst du?). Você mostra um monte de contas (água, luz, telefone) pra essa pessoa e diz "Nisso. Estou pensando nisso aqui". Pois bem, em vez de diz "an das", você diz "da + an = daran".

Woran denkst du? Daran. (Você está pensando em quê? Nisso.)
Wovon hängt es ab? Davon. (Depende de quê? Disso.)

2) O segundo uso é para se referir a algo que ainda será dito. Quase sempre o que vem depois são orações iniciadas por dass (ou outras conjunções subordinativas). Na maioria dos casos não há tradução para o português. Em alguns casos dá para traduzir o advérbio pronominal (daran, darauf, darin etc.)+ dass, was como "preposição + o que". Vou dar exemplos:

Diálogo:
- Depende. (Es hängt davon ab).
- Depende de quê? (Wovon hängt es ab?)
- Depende do que você vai fazer. (Es hängt davon ab, was du machen wirst.)

Sobre a tradução em alemão.
Primeira fala: Es hängt davon ab. (aqui o davon já foi usado; isso pode indicar algo que já foi dito, que já está claro dentro do contexto, ou algo que ainda será dito).
Terceira fala: Es hängt davon ab, was du machen wirst.(aqui o davon se refere ao que será dito logo depois: "o que você vai fazer").

Vamos a mais um exemplo, agora com dass. Vamos pegar o verbo sich beschweren (reclamar, queixar-se). Quem se queixa, se queixa a respeito de algo (über + complemento). Também é possível se queixar para alguém (bei + pessoa) sobre algo (über + complemento).

Diálogo:
- Este cliente sempre se queixa. (Dieser Kunde beschwert sich immer.)
- Ele se queixa de quê? (Worüber beschwert er sich?)
- Ele se queixa (de) que tudo aqui está caro. (Er beschwert sich darüber, dass alles hier teuer ist.)

Neste caso, o darüber se refere a algo que ainda será dito na oração que se inicia por dass.

E não dá pra escrever a frase sem esse darüber?

Dá, sim. (Er beschwert sich, dass alles hier teuer ist.)

Quando os advérbios pronominais se referirem a algo que será dito ainda, é possível omiti-lo em muitos casos. Mas há verbos que não aceitam essa omissão. Então pra evitar omitir erroneamente é melhor usar sempre e ir pegando o jeito (verbo a verbo) de quando se pode omiti-lo.

Alguns poucos exemplos de verbos e respectivas preposições em que se pode omitir o advérbio pronominal:
- bitten um - Ich bitte dich (darum), dass...
- fragen nach - Ich frage dich (danach), ob... 
- sich beschäftigen mit - Ich beschäftige mich (damit), dass...

Alguns poucos exemplos de verbos e respectivas preposições em que NÃO se pode omitir o advérbio pronominal.
- ankommen auf - Es kommt darauf an, ob...
- es geht um - Es geht darum, dass...
- sich interessieren - Ich interessiere mich dafür, dass...

Animado pra continuar?

E qual a diferença entre daran e dran, darauf e drauf, darüber e drüber etc.?
Na verdade, as formas curtas são típicas da língua falada. Ou seja, em vez de dizer "Ich freue mich darauf", muita gente diz "Ich freu' mich drauf". Dizem também "Denk mal dran" em vez de "Denk mal daran". Na linguagem escrita, as formas curtas são usadas apenas em expressões fixas, normalmente usadas na linguagem informal.

Vou citar aqui algumas bem comuns:
- Er ist gut drauf. - Ele está bem disposto, está de bom humor
- Du bist dran. - É a sua vez (num jogo, por exemplo).
- Wer ist dran? (ao telefone) - Quem está na linha?
- Bleiben Sie dran. (ao telefone) - Não desligue.
- Da ist was dran. - Isso faz sentido. Tem verdade nisso aí.
- Ich bin dabei. - Eu vou participar. (coloq: "Eu tô dentro").
- Dafür nicht. Nicht dafür. - De nada (em resposta a Danke! Usada no Norte da Alemanha). 
- Das hat er drauf. - Ele manja (dos "paranauê"), ele sabe (fazer algo), ele é fera (em algo).

E o que dizer de palavras independentes como darum, damit, danach etc.?
Alguns desses advérbios ganharam vida própria e são usados independente da regência verbal. Alguns viraram (ou estão virando) conjunções.

É o caso do damit que também é conjunção (para que, a fim de que) sobre a qual já falamos aqui.

Não confundir a conjunção com o advérbio pronominal (que tem o sentido de "com isso").
Ich habe damit nichts zu tun. Não tenho nada a ver com isso.

Darum já está virando conjunção, mas é usada como advérbio no sentido de "Por isso". Neste caso é sinônimo de "deswegen, deshalb".

Die Menschen haben keine Arbeit. Darum machen sie den ganzen Tag nichts.  
As pessoas não têm trabalho. Por isso elas não fazem nada o dia todo. 

Outro exemplo bem conhecido: danach, davor. Independente dos verbos são usados como advérbios temporais (depois disso, antes disso). Já falamos também sobre eles aqui.

As palavras "dafür" e "dagegen" também têm uso comum no sentido clássico das preposições "a favor" vs. "contra".

Ich bin dagegen. Eu sou contra (isso). Bist du dafür? Você é a favor (disso)?

Mas meu amigo é alemão e ele diz "Von was?" "Für was?" etc. Tá certo ou tá errado? 
Gramaticalmente tá errado. Quando se faz uma pergunta com preposição + was o correto é dizer wo + preposição. Mas a língua é viva e a linguagem falada, coloquial muda muito mais rápido que a linguagem escrita, bem mais conservadora. Portanto:

An was denkst du? (coloquial)
Woran denkst du? (formal)

Mas na hora de responder à pergunta:
Ich denke dran. (coloquial)
Ich denke daran. (formal).

Na hora da sua prova, lembre-se de usar apenas as formas da linguagem culta para não perder pontos.

Ficou faltando algo pra tirar todas as suas dúvidas sobre esse tema? Então envie a sua pergunta nos comentários ou por e-mail (deutsch@aprenderalemao.com). Se tudo ficou claro, agora é só dormir em paz.
Divulgue o blog entre os seus amigos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...