PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

7 de abril de 2012

Vida na Alemanha: Religião

Mamilos, sempre polêmicos
Hoje resolvi falar sobre um tema polêmico. Não, mamilos, não. Estes são sempre polêmicos (pra quem não sabe, clique aqui). Mas mais polêmico ainda é o tema religião, o qual não se deveria discutir (pelo menos é isso o que a gente ouve desde criança, junto com futebol e política, mas não é bem o que se faz na prática), pois é justamente isso que vou fazer agora. Cutucar a onça com vara curta.

Gostaria de falar um pouco sobre religião na Alemanha para aqueles que ainda moram no Brasil e pensam em vir pra cá. Este post não tem o objetivo de ser um tratado sobre religião, portanto, nem tudo aqui deve ser tido como de valor enciclopédico. É mais um registro das minhas impressões. Espero conseguir passar minha mensagem sem ofender ninguém.

O Brasil é um país de maioria cristã. A Alemanha também. Como a maioria sabe, a Alemanha foi um dos berços da Reforma Protestante. Martinho Lutero (em alemão: Martin Luther) pregou as suas 95 teses numa igreja na cidade Lutherstadt - Wittenberg, no estado Sachsen-Anhalt (que por sinal, vale a pena visitar por um dia, dá pra fazer um tour entre Leipzig e Berlim com parada em Wittenberg pra visitar a famosa igreja, que já foi reformada depois de destruída).

Cabe também lembrar que a Alemanha atual, unida como a conhecemos, foi historicamente uma série de principados, reinos, todos separados, bem longe de serem unos. Ou seja, há estados que eram tradicionalmente católicos e outros mais tradicionalmente protestantes. A maioria católica vive hoje no Sul e no Oeste da Alemanha. A maioria protestante vive no Norte da Alemanha. Os estados do Leste têm a sua maioria de pessoas sem religião = konfessionslos, ou membros de outras igrejas. Isso tem muito a ver com os 40 anos de Comunismo na antiga Alemanha Oriental. Lá, o ateísmo era praticamente regra. Isso não quer dizer que a maioria do Leste ainda é de ateus, mas isso quer dizer que a maioria nesses estados prefere não seguir religião nenhuma (inclusive Berlim, como se vê no mapa. Clique aqui para vê-lo maior).

Mapa das Religiões na Alemanha (Fonte: Wikipedia)
Outra diferença básica que brasileiros têm que entender ao falar sobre o tema religião aqui na Alemanha são os termos:

Katholik, katholisch - refere-se à Igreja Católica Apostólica Romana.
Protestant, evangelisch - refere-se às igrejas protestantes tradicionais como Luterana, Presbiteriana e outras igrejas unitárias, reformadas etc. Mesmo no Brasil, estas igrejas protestantes tradicionais não gostam muito de serem chamadas de igrejas "evangélicas" e preferem ser chamadas de "protestantes". Aqui tem que se tomar cuidado, se alguém for da "Assembleia de Deus" ou  "Igreja Universal" ou qualquer outra igreja evangélica pequena, comuns no Brasil, não se deve dizer que você é de uma "evangelischer Kirche" aqui na Alemanha. O termo "evangelisch" aqui só se referem às igrejas protestantes membros da EKD (Evangelische Kirche in Deutschland) e a maioria das igrejas que chamamos de "evangélicas" no Brasil não fazem parte desse grupo. Ou melhor, se você quiser, diga. Mas o alemão vai pensar que você é de alguma das igrejas tradicionais protestantes.
O termo correto para quem for dessas outras igrejas é o termo "evangelikal", não "evangelisch". Se seu alemão for bom, você poderá explicar que não se trata das igrejas tradicionais protestantes, mas sim de novos movimentos, geralmente ligados ao movimento pentecostal (Pfingstbewegung), até porque as igrejas pentencostais e neo-pentecostais não têm quase nenhuma representatividade aqui na Alemanha.

Por que isso é importante?
Ora, as igrejas protestantes alemãs, apesar de tradicionais, são bem mais acostumadas com as discussões modernas e bem mais inclusivas que a maioria das igrejas evangélicas no Brasil. Enquanto muitas igrejas evangélicas no Brasil estão mais preocupadas em fazer com que as mulheres andem sempre de saia e não cortem o cabelo, além de fazer lutas ferrenhas contra os gays, eu NUNCA vi uma alemã sequer andando sempre de saia e com o cabelo a bater na bunda por causa de religião, também nunca vi pregadores em metrôs, nem igrejas barulhentas, nem expulsões de demônios. Isso não quer dizer que a pessoa não possa viver de cabelo grande por motivos religiosos aqui. Claro que pode. Mas pelo exemplo dá pra perceber claramente que o conceito de "igreja evangélica" no Brasil é outro. Ou seja, usar o termo "evangelisch" gera outras expectativas no alemão.
Os alemães se assustam quando a gente explica que no Brasil as Igr. Evangélicas são muito rigorosas enquanto os católicos são mais relaxados, pois as "evangelische Kirchen" daqui são geralmente o contrário. Os estados com mais católicos é que costumam ser mais conservadores. Aqui também não há nenhum Bolsonaro ou Malafaia que vá na TV fazer guerra-santa contra os gays. Pelo contrário, muitas igrejas evangélicas (evangelisch!) aqui parecem ter políticas inclusivas com os gays, não de exclusão.

Claro que pra quem não se interessa pelo tema religião e não sabe nada sobre o Brasil, tanto faz. Um alemão que não se interessa por religião nem vai saber o que é "evangelikal".

Catedral de Colônia ao fundo
Igrejas: Católicas ou Protestantes?
Os brasileiros estão acostumados a visitar grandes igrejas antigas como sendo sempre católicas. Isso tem a ver com a nossa colonização. Lembrem-se de que aqui muitas catedrais, igrejas monumentais e pontos turísticos das cidades são igrejas protestantes. Ao visitar uma catedral, tenha isso em mente.

Ateus?
É conhecido que o ateísmo tem crescido na Europa. Em países como Suécia, por exemplo, é também supercomum. No Brasil, apesar de haver uma representatividade maior de ateus na internet ou de pessoas que hoje têm coragem de dizer que não acreditam em determinadas doutrinas do Cristianismo, há uma tendência muito grande de condenação aos ateus: dizem que são pessoas do diabo, que merecem morrer, que todos os males do mundo é culpa das pessoas "sem Deus" (É só ler qualquer postagem na internet que fale contra a crença em Deus para você ler diversos comentários de pessoas desejando que Deus envie um raio na cabeça daquela pessoa). Pois um aviso a todos as pessoas religiosas e fervorosas que pensam em vir pra Alemanha: a chance de você encontrar um ateu na Alemanha é grande! Ele pode ser seu colega da faculdade, seu vizinho, seus amigos de farra. Ou seja, se você ainda pensa mal dos ateus, vença seu medo de ateus antes de vir. Muitas vezes, como falei no blog, as pessoas não são necessariamente ateias, elas apenas não são seguidoras de nenhuma religião e nem ligam muito pro assunto religião. Então, antes de você chegar aqui querendo mostrar versículos da Bíblia para os seus amigos alemães, aprenda a respeitar as pessoas que preferem não crer ou não seguir nenhuma igreja. Como disse antes, muitos alemães nem ligam pro tema religião. Eles não atacam a crença de ninguém, mas também não creem. Entre jovens é o mais comum. Entre universitários mais ainda. Eu já fui várias vezes a diferentes igrejas aqui e o público é quase sempre de pessoas mais velhas (a partir dos 40). Dos meus colegas de faculdade, pessoas que moraram comigo etc. dá pra contar nos dedos de uma mão aqueles que vão a qualquer igreja que seja. Mas isso não os torna pessoas ruins... pelo contrário, me parecem bem mais tolerantes que a maioria dos religiosos que conheci no Brasil. E são tolerantes até mesmo com religião, desde que você não tente convertê-los. Ou seja, eles não se importam com a sua religião, mas não querem que você tente convencê-los dela. :-)

A mensagem foi para a galera que pensa em chegar com a Bíblia aqui embaixo do braço. Mas sei que tem muito brasileiro que também não liga pra religião. Se você for um brasileiro que não se interessa muito por religião, vai se sentir em casa na Alemanha. Se você quiser dizer que é religioso, basta usar a palavra "gläubig" (que ao pé da letra, quer dizer "crente", mas é usada no sentido de pessoa religiosa).

Ich bin gläubig. Eu sou religioso.
Ich bin nicht gläubig. Ich não sou religioso. 

Muçulmanos?
Muçulmana em Berlim.
Com uma grande imigração de turcos e de outros países de origem árabe que houve nas últimas décadas, a Alemanha ganhou uma grande comunidade muçulmana. Se você morar em cidades grandes na Alemanha, vai ser comum ver mulheres andando de véu, cenas meio incomuns no Brasil. Os muçulmanos ainda lutam bastante para serem aceitos como "parte da sociedade alemã". Grande parte da sociedade os tem ainda como um grupo à parte, como se não fizessem parte da Alemanha e vivessem num mundo paralelo. Mas temos que pensar que são pessoas, em grande maioria, com passaporte alemão, sem planos de voltar para os países de seus antepassados e que lutam para ter o direito de viverem sua religião aqui. Ouve-se muitos da boca de brasileiros (sim, de brasileiros, infelizmente, basta ler os fóruns de brasileiros pela Internet) por aqui que prefeririam que os muçulmanos saíssem do país/da Europa. Lembrem-se: eles, muitas vezes, têm nacionalidade alemã, nasceram e se criaram aqui. Portanto, têm muito mais direito de viver aqui do que a maioria dos brasileiros que vêm pra cá. Se quisermos respeito, temos que aprender a respeitar todas as religiões. Acho que nós, brasileiros, não estamos muito acostumados com a grande presença de muçulmanos. Mas a islamofobia é algo crescente na Europa. É um assunto complicado e é um barril de pólvora, prestes a explodir em vários países da Europa. Prefiro terminar o assunto por aqui! :-)

Igrejas para Brasileiros?!
Em muitas cidades há cultos em português. Há missas, cultos evangélicos e grupos espíritas de/para brasileiros. Mas isso depende muito da cidade. Se você é religioso e quer frequentar uma igreja aqui que não é a mesma do Brasil, pode procurar algum culto para brasileiros ou se enturmar com alguma igreja de alemães. Se alguém quiser postar links de igrejas com cultos/missas/reuniões em português na Alemanha, fiquem à vontade nos links. Das religiões típicas no Brasil, a única que eu nunca vi ser representada aqui foi a Umbanda. Mas se houver grupos praticantes do Candomblé/Umbanda por aqui, sintam-se à vontade para divulgar os locais de encontro na Alemanha aqui no blog.
Minha experiência mostra que a maioria das pessoas que frequentam igrejas são mais velhos. Se você é mais jovem, teria mesmo que correr atrás de algum grupo de jovens religiosos. Nas universidades sempre há cartazes de grupos de leitura da Bíblia e tal. Basta procurar!

Imposto
A Alemanha tem um imposto sobre religião. Ou seja, as igrejas oficiais recebem verba do governo para se manterem, sempre recolhidas diretamente do imposto dos seus fiéis. Ou seja, dízimo? Não.. o dinheiro é recolhido do imposto. Mas só paga o tal imposto se você se declarar como membro da Igreja Católica ou de alguma igreja evangélica da EKD, pois estas são as que recebem verba do governo. Membros de outras igrejas ou ateus não pagam este imposto.
Esta declaração é feita no momento do seu registro de moradia da cidade. Uma das perguntas do formulário é "Qual é a sua religião?". Se você marcar "católico", não ache que é uma pergunta inocente... logo logo chegará na sua casa uma cartinha pedindo o valor do seu "dízimo" (imposto) para ajudar a Igreja. Você nem precisa frequentar a igreja, basta se declarar como membro dela. Fiquem atentos! :-)

Alemão da Bíblia?
O alemão usado na Bíblia e em textos religiosos é um alemão antiquado (assim como o nosso português). Para aqueles interessados em se familiarizar com a linguagem litúrgica em alemão, sugiro:

1 - Ler a Bíblia em alemão e comparar com a sua tradução em português, de preferência que sejam traduções parecidas. Não adianta comparar uma tradução moderna com a tradução de Martinho Lutero. (Para os realmente interessados em estudos bíblicos, se diz que a tradução alemã de Martinho Lutero é uma das mais fiéis por ser uma das mais antigas. Além disso, foi a tradução da Bíblia uma das razões da unificação do idioma alemão).

2 - É interessante aprender palavras simples como Gottesdienst (culto, serviço religioso), (Heilige) Messe (santa missa), Novene (novena), Priester (sacerdote, padre), Pfarrer (pastor), Gemeinde (congregação, ala, em outros casos paróquia) etc.

3 - Você precisa ter um alemão bom para realmente conseguir ler a Bíblia ou textos religiosos em alemão. Você verá que há muitas formas antiquadas do alemão, bem diferentes do alemão padrão atual. Por exemplo, onde em português se diz "Arrependei-vos", em alemão "Kehrt um". "Umkehren" hoje em dia quer dizer apenas "mudar de caminho, dar a volta" no sentido metafórico de "voltar para o caminho". Mas "umkehren" não é o verbo moderno para se dizer "arrepender-se". E isso é apenas um exemplo dentre vários outros.

4 - Leia textos religiosos de revistas religiosas para se adaptar à terminologia alemã. Por exemplo, a missa católica é um ritual com perguntas e respostas. O fiel católico precisa saber todas aquelas respostas (do tipo: "Glória a vós, Senhor") para participar da missa. Uma coisa de várias igrejas cristãs que vale a pena aprender é o "Pai Nosso". Ele é sempre recitado nas igrejas de forma completa, tal como no texto bíblico (não na forma compacta como é típico no Brasil, faltando uma frase).

 Aqui vai o Pai-Nosso como recitado na maioria das igrejas cristãs aqui:
Vater unser im Himmel,
geheiligt werde dein Name.
Dein Reich komme.
Dein Wille geschehe,
wie im Himmel, so auf Erden.
Unser tägliches Brot gib uns heute.
Und vergib uns unsere Schuld,
wie auch wir vergeben unsern Schuldigern.
Und führe uns nicht in Versuchung,
sondern erlöse uns von dem Bösen.
Denn dein ist das Reich und die Kraft und die Herrlichkeit in Ewigkeit.
Amen.
Uma dica final para quem se interessa por temas religiosos:
O site das Testemunhas de Jeová (http://www.jw.org/de/)e o site da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (www.lds.org) está disponível em várias línguas. Ou seja, é possível ler matérias, ver vídeos, acessar livros em português e alemão.

Considerações finais:
Pra terminar esse tópico eu gostaria de dizer que não aceitarei nenhum comentário pejorativo no blog sobre nenhuma religião, afinal o blog é de alemão e sobre a Alemanha, não sobre religião. Eu também tenho minhas próprias convicções (que não vêm ao caso) e faço os meus próprios estudos sobre religião e tento (de certa forma) me manter respeitoso. Espero não ter tecido nenhum comentário ofensivo neste tópico, como falei antes, são apenas impressões minhas, não a verdade absoluta.
O ser humano deve aprender a respeitar o direito dos outros de crerem e de outros não crerem, desde que esse direito não os façam querer impor suas crenças como sendo as únicas verdadeiras e válidas para toda a humanidade. Sei que é meio utópico. É por isso que gostaria de encerrar o tópico por aqui e pedir para que qualquer comentário seja respeitoso.

Ich wünsche allen, Gläubigen und Nicht-Gläubigen, eine schöne Osterzeit! :-)

32 comentários:

  1. Hoje mais cedo estava pensando, "nunca mais vi um post novo no blog do Fabio..." aí chego aqui e me deparo com um texto enorme! Oba *-*

    Primeiro gostaria de elogiar o post, muito bom!
    E agradecer por colocar o Pai Nosso em alemão - fui criada dentro do catolicismo e, mesmo que atualmente eu meio que """"fuja"""" da igreja, ainda queria saber rezar em outra língua (alemão então, que legal :D).

    Mais uma vez, parabéns (:

    ResponderExcluir
  2. Texto excelente! E seu posicionamento também!

    ResponderExcluir
  3. First time I've actually read your blog. Gostei de suas impressoes e pensamentos do estado da religiao na Alemanha.

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante, seu blog é muito interessante! Moro na Alemanha, estou estudando alemao e acompanhando seu blog a alguns meses! As dicas sao ótimas! Parabéns e obrigado!

    ResponderExcluir
  5. Esse blog é uma das melhores coisas que existem na NET de um modo geral. Em termos de alemão para brasileiros é imbatível até o momento. O trabalho é admirável. Vi seu post sobre seu início e achei admirável. Parabéns principalmente pelo belo exemplo que és. De minha parte comecei a aprender o alemão com 45 ou 46 anos. Imagine só? Eu ainda não sei nada mas, continuo insistindo. Fazia algum tempo que eu não vinha vistar o site. O tempo de quem tem muita coisa pra fazer é curto mas, ainda bem que consegui passar por aqui novamente. Aproveito para perguntar se conheces algum livro de etimologia e/ou filologia das palavras alemãs? Gosto de aprender assim, pela origem. Encontrei um na rede bem antigo no google books mas, preciso de mais. Se souber de alguma coisa digital ou impressa, por favor, me indique. Grande abraço e parabéns. Continue assim, exemplo de perseverança, competência e altruísmo. Abraço. Fausto

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o texto! Eu vim estudar Teologia num intercambio de 1 ano aqui na Alemanha e está sendo bem desafiante por causa do meu alemão que não é nada bom. Estou a dois meses e vejo o quanto é difícil. Obrigada pelo texto!

    ResponderExcluir
  7. excelente seu texto!! Estes ensinamentos valem tambem para os outros estados de origem anglosaxao, como reino unido (apesar de ter menos ateus), da pra ver a diferencia do moralismo dos protestantes europeus e os daqui (se posso chamar os daqui de protestantes..parece uma igreja totalmente diferente)..confesso que visitei igrejas pela europa e poderia jurar que estava numa igreja catolica, mas na verdade era anglicana com santo e cruz dentro e fora...ja os paises de origem latina, sao outra historia...

    ResponderExcluir
  8. Adorei o texto! E amei o "Pai Nosso". Eu até poderia dizer que eu sou católico, mas seria hipocrisia da minha parte, afinal eu nunca li a bíblia e não me interesso nenhum pouco em ir em cultos, missas, etc.. O meu interesse pela religião é apenas acadêmico, eu gosto de ler sobre, características, quem fundou, a história. Eu acho que esses detalhes abrem o meu horizonte, me fazem ver o mundo de uma maneira mais diversificada, pegar a piração de tal cultura, eu acho isso maravilhoso.

    Já falei e vou repetir, adorei o seu texto e o seu blog é um dos melhores que eu já li!

    ResponderExcluir
  9. Vou discordar de você em alguns pontos se me permite. Primeiramente com relação a denominar os evangélicos de "protestantes" aqui. Moro no norte e aqui não devemos, por educação, usar o termo "protestante", mas evangélico. Sou católica e freqüento a Igreja e participo das missas alemães e, portanto, tive de aprender tudo do zero para poder seguir a mesma sem morrer de tédio. Aliás, aconselho todo brasileiro a ir freqüentar a Igreja mesmo sem saber alemão, ao invés de ir procurar a primeira missão em língua portuguesa -- que freqüentei uma única vez, pois não entendia bulhufas...

    Quanto aos crentes no Brasil, bem, realmente fica difícil. Evangelical foi uma boa dica, mas não perderia meu tempo tentando explicar nada. Os alemães, na sua maioria, não têm a mínima idéia de como Religião é vivida no Brasil e seus conceitos são, pela minha experiência, até preconceituosos. De um alemão tive de ouvir que "o catolicismo no Brasil não é comparável ao vivido na Alemanha" nach dem Motto, católico brasileiro não é, no fundo, católico.

    Eu não rezo Credo nem Pai Nosso em alemão e nem irei rezar. Rezo-o em silêncio no meu idioma materno, pois, mesmo sabendo alemão e a preçe nessa língua, não consigo "sentir" a preçe na língua postiça. Isso é outra coisa que complica muito a visita à Igreja aqui. A dificuldade com a língua e depois a questão do próprio posicionamento diante de tais situações. Eu, pessoalmente, prefiro continuar rezando em Brasileiro.

    Outra coisa engraçada pra mim é você comentar sobre os Brasileiros como se fosse todos crentes ou muuuuuito ligados em religião, a ponto de quererem missionar os ateus alemães. Tá assim é? Puxa, achei que depois da Geração Coca-Cola as coisas tinham melhorado! Como se Brasileiro não estivesse acostumado com ateu e ateísmo? Bom, pra quem tem tio marxista e ateu isso realmente me arrepiou os cabelos! Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      obrigado pelo seu comentário. Achei-o muito pertinente apesar das discordância. A propósito, eu já sabia que as discordâncias fariam parte deste post desde o início por se tratar de um assunto que não tem como ser unânime.

      Como disse no tópico, são apenas minhas impressões. Por isso, há certas imprecisões, sim, mas o leitor já fica avisado de que é mais um "artigo de opinião" que um "artigo enciclopédico" :-)

      Só gostaria de fazer dois pequenos comentários... Eu tentei fazer o tópico sem contar muito sobre minha própria vida pessoal, minhas crenças, passado etc. E talvez isso traga a impressão de que estou generealizando. Peço desculpas por isso.

      1) Cresci numa comunidade religiosa rígida e fervorosa. Qdo vim para a Alemanha pela primeira vez era cheio de "não-me-toques" trazidos de uma vida dedicada a viver o código moral de uma religião. Eu era "rato de igreja". E era fácil ser o rato de igreja vivendo no Brasil, pois era fácil encontrar pessoas que tinham este estilo de vida. Vir à Alemanha, ser confrontado com pessoas de diversas partes do mundo, de diversas crenças, culturas, estilos de vida, não é algo tão fácil para todos. Sem querer contar demais da minha vida, mas é por isso que ao falar de minhas impressões, me imaginei em 2006 quando vim e me coloquei no lugar de diversas pessoas que podem passar pelo mesmo "choque cultural" que eu passei.

      2) "Os alemães, na sua maioria, não têm a mínima idéia de como Religião é vivida no Brasil". Não tiro sua razão, mas o meu comentário tem muito a ver com a minha realidade atual como professor de português na Alemanha. Por causa da minha profissão, eu tenho sempre contato com alemães que sabem, sim, sobre o Brasil, que vão para lá e têm as suas impressões pessoais. E há uma diferença gritante (a meu ver) no modo como os evangélicos do Brasil vivem sua religião publicamente e como os evangélicos daqui o fazem. Mas como disse antes, tem muito a ver com minhas experiências pessoais.

      Eu até faria outros comentários aqui, mas aí precisaria contar muito da minha vida. E isso eu queria evitar. Mas a gente pode conversar um dia sobre isso em OFF se quiser. Aí te conto um pouco mais sobre mim. (Mas só se quiser, claro).

      Gostei muito do seu comentário. Abraços

      Excluir
    2. Não sei se você está desinformada sobre a situação atual do Brasil em relação à religião, mas a verdade é que iinfelizmente o Brasil não está nem um pouco "acostumado" com o ateísmo. A religião está cada vez mais presente ma política a tal ponto que várias pessoas já temem a instauração de um regime teocrático nos próximos anos. Infelizmente o preconceito com não religiosos ou com qualquer um que não seja católico ou evangélico é praticamente palpável e está em todos os lugares, mesmo, na televisão, na política, em qualquer lugar. Eu mesma tenho vontade de deixar o país devido ao medo de uma futura perseguição religiosa. O fanatismo religioso infelizmente é uma realidade atual brasileira. Bom, claro que essa é a minha opinião, mas tudo o que disse aqui são fatos. Obrigada pela atenção, beijos.

      Excluir
  10. Otimo post. E confesso que me chocou o modo que os evangelicos tem levado a vida aqui.
    Se bem q no Brasil, nao ta com os melhores exemplos nao, agora ser "crente" é moda!
    Minha impressao pessoal é: igreja evangelica aqui parece um clube de encontro.
    como falei, é uma impressao pessoal. Por isso, procurei uma congregacao alema, Evangelikal.
    Estive numa luterana e nao gostei. Parecia tudo mto "engessado."
    Parabens pelo post e pelo blog q está me socorrendo a no aprendizado dessa lingua.

    ResponderExcluir
  11. Muito bom o post, Professor!
    Em uma palavra, tenho muito orgulho de conhecer (se posso falar assim) pessoas como você! Estudar idiomas abriu tanto meus horizontes, que acho realmente interessante as pessoas ainda não aceitarem as outras como são.
    Se são justamente as diferenças que fazem toda a graça!
    Mas uma vez, excelente post!

    ResponderExcluir
  12. Querido Fábio aka Jurupingo,

    depois de ler estas linhas, gostaria muito de que todos os meus conterrâneos alemaes pudessem entender também o português para que APRENDAM contigo! Este blog e, especialmente este post, é um exemplo extraordinário da sua prudência, maturidade e profundo conhecimento da nossa cultura!

    Suas "impressoes" contribuem muito ao entendimento mútuo dos seres humanos e fazem a internet um espaço melhor! :)

    Wirklich ausgezeichnet, weiter so!
    Grüße vom Rhein an die Weser, Mat.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Matthias, muito bom ler suas palavras, especialmente por você ser alemão e conhecer as culturas brasileira e alemã de perto.

      Um grande abraço

      Excluir
  13. ótimo Texto, realmente é difícil entender a relação dos alemães com a religião qdo. se vem do Brasil. Ser católico no Brasil é bem diferente de ser católico na Alemanha e nos Estados Unidos. Vivenciar a sua religião em outro lugar é um bom exercício de compreensão e tolerância. Qto. aos protestantes. Aqui no Brasil também tem igrejas Luteranas, na maioria trazida por imigrantes alemães. Se vc for a uma igreja Luterana no Brasil e ler as 99 Teses do Lutero, vai entender melhor o que é ser protestante na Europa. A tradição das igrejas neopentecostais brasileiras, as "Evangélicas", vêm dos EUA , por isso é bem diferente nas condutas. Faltou falar que, apesar de o estado alemão ser laico, todas as escolas públicas tem aula de religião no currículo, variando de acordo com a região. Em algumas regiões de Berlim tem escolas que ensinam o islamismo nas aulas de religião, pois a maioria dos alunos ou pais professam essa fé.


    Existe também um número crescente de Judeus na Alemanha, que "voltaram" ao país há alguns anos, principalmente Berlim. Sei pouco sobre isso, mas vale a pena pesquisar: várias sinagogas foram reerguidas. Acho no geral que os alemães são muito respeitosos cm a religião dos outros, mas ficam meio desconfiados se vc não segue a sua religião do "jeito que ela deveria ser" ou se vc tem alguma prática religiosa, q "destoe dos costumes democráticos" deles.. mas isso é uma lonnnga discussão!!

    ResponderExcluir
  14. Há uma música da Oomph! que usa um trecho do pai nosso e que se chama "Gott ist ein Popstar". Ela repecurtiu muito entre os fiéis tanto da igreja católica quanto da igreja evangélica? Você já ouviu falar da música? Eu li que ela foi vetada de receber um prêmio da premiação Echo, acho que em 2006, por conta de sua conotação ofensiva a figura de Deus.

    ResponderExcluir
  15. No site da Associação das Testemunhas de Jeová tem o site em Alemão e periódicos sobre assuntos bíblicos e científicos em alemão, além do áudio book dos periodicos da bíblia e de livros e vídeos todos em alemão, material para pais, crianças e adolescentes, revistas em quadrinhos sobre histórias bíblicas.
    Segue o link:
    http://www.jw.org/de/

    Um abraço a todos...

    ResponderExcluir
  16. O que se percebe é que você nunca entrou em uma igreja "protestante" no Brasil. Com certeza não! ehheheheheh

    ResponderExcluir
  17. vc sabe me dizer se tem igreja de Jesus Cristo dos santo dos ultimos dias(mormon). maps.lds.org

    ResponderExcluir
  18. Além do site as Testemunhas de Jeová tem espalhadas pela Alemanha congregações de Língua Portuguesa onde as reuniões são todas em português. Por lá irá encontrar um ambiente calmo, familiar e agradável onde adultos, idosos, crianças e jovens animados estão sempre presentes =) Os endereços dos locais de reunião estão no link abaixo:

    http://www.jw.org/apps/T_FRNsPnPBrTZGT?selLocation=DEU&selCntctStateID=0&selLanguageID=216&txtSearch=&selMtgType=&selMtgDay=&txtAction=ENTRY&selSortBy=3&txtSetFocus=selCntctStateID

    Ah e ótimo post! Parabéns! :D

    ResponderExcluir
  19. E como se falaria do Espiritismo? É uma religião bastante presente lá ou não tanto?

    ResponderExcluir
  20. Seu texto é espantoso e a objetividade é cinco estrelas!

    ResponderExcluir
  21. Interessante texto...

    Senti falta de indicação de algum site católico.
    Me indicas algum?

    Sobre a Alemanha, eu só tenho interesse em conhecer Munique e Colônia.
    Sabes informar se a catedral de Colônia é católica?

    Grata.

    ResponderExcluir
  22. Olá,gostei muito do texto... só para complementar: temos alguns terreiros Umbandistas e Candomblecistas aqui pela Alemanha sim. E por incrivel q pareca temos mes e pais no santo ,que sao alemaes.. rsrsrs

    Obrigada pelo texto.. Luz e paz no teu camonho. Axé!

    ResponderExcluir
  23. Gostei do seu post, parabéns garoto, apenas a parte sobre o Bolsonaro que não faz sentido, procure ver videos dele sobre o que ele é realmente contra, vídeos editados por opositores a suas ideias não devem ser levadas a sério.

    ResponderExcluir
  24. Muito obrigado pela excelente explicação, eu tinha realmente curiosidade em saber tudo isso, você também arrasou no Pai-Nosso, pois sou católica e aqui não tem missa em português, então eu e meu marido vamos geralmente em missas italianas, mas quando vamos na alemã o Pai Nosso tem que ser de olhos fechados em português pra não engasgar. Sempre pergunto para pessoas que conhecemos, mas ninguém frequenta igreja. Valeu mesmo agora já posso ensair no alemão, mesmo sendo difícil pra mim aprender essa língua. Outro curiosidade seria aprender a oração do credo, pois aqui é a original e mais longa, quem sabe um dia aprendo.
    Parabéns pelo texto e muito obrigado.

    ResponderExcluir
  25. Muito obrigado pela excelente explicação, eu tinha realmente curiosidade em saber tudo isso, você também arrasou no Pai-Nosso, pois sou católica e aqui não tem missa em português, então eu e meu marido vamos geralmente em missas italianas, mas quando vamos na alemã o Pai Nosso tem que ser de olhos fechados em português pra não engasgar. Sempre pergunto para pessoas que conhecemos, mas ninguém frequenta igreja. Valeu mesmo agora já posso ensair no alemão, mesmo sendo difícil pra mim aprender essa língua. Outro curiosidade seria aprender a oração do credo, pois aqui é a original e mais longa, quem sabe um dia aprendo.
    Parabéns pelo texto e muito obrigado.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...