PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

6 de outubro de 2012

Ciência sem Fronteiras - onDaF (alemão)

Muitos brasileiros agora têm a chance de estudar no exterior através do programa Ciência Sem Fronteiras do governo federal. Todas as informações sobre este programa você encontra no site oficial: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br

Para aqueles que têm planos de estudar na Alemanha há de se comprovar pelo menos o nível A2 do Quadro Comum Europeu de Referência. [Pra quem não faz ideia do que seja isso, clique aqui]. Sendo bem sincero, o nível A2 é muuuuuuuuuuuuuuito pouco e eu não conseguiria conceber que algum estudante ainda reclame que o nível pedido esteja alto. Com o A2 a pessoa só está apta a não ficar totalmente perdida no país, mas está bem longe ainda de alcançar o nível desejado para fazer faculdade, ler textos científicos ou fazer e apresentar trabalhos em alemão. 

Observe que para se fazer faculdade na Alemanha, atualmente é pedido para que estrangeiros tenham no mínimo o nível B2+ ou C1 [que é o nível do TestDaF]. Mesmo assim, como o programa Ciência Sem Fronteiras é mais voltado pras áreas da Tecnologia, o inglês será uma língua chave nesses cursos. O ideal é que o aluno brasileiro venha com um inglês excelente e alemão suficiente para não ficar perdido, mas com planos de se dedicar ao alemão assim que chegar aqui para aproveitar ao máximo o seu curso. 

Ou seja: o nível pedido é o A2! Se é suficiente ou não, não é decisão minha... vamos falar agora do teste onDaF.

Para comprovar o nível, os estudantes têm que fazer um teste chamado onDaF. Esta prova é apenas escrita e é um C-Test. Há vários tipos de C-Tests, mas, em geral, são pequenos textos com lacunas. Às vezes eles tiram só terminações, às vezes palavras completas. O aluno tem que ler o texto e completar as lacunas de forma que o texto faça sentido no final. Algumas são óbvias, outras mais difíceis.

Um exemplo:

Robert arbei____ jeden T_____, auch a____ Wochenende. Er hat ei_____ Kiosk in der Inne_________. 

Como você vê, pode ser parte de verbos, partes de sustantivos, partes de preposições. A resposta pode ser uma letra apenas ou metade de uma palavra.

Robert arbeiTET jeden TAG, auch AM Wochenende. Er hat eiNEN Kiosk in der InneNSTADT. 

Esse exemplo aqui eu tirei da minha cabeça. Não conferi se apenas esta resposta é possível, mas as pessoas que fazem o onDaF fazem textos onde apenas uma resposta consiga fazer o texto ter sentido. Se houver mais de uma, com certeza, todas serão aceitas. 

Na Internet há inúmeros C-Tests para vários idiomas para treinar. Não vou aqui criticar esse formato de teste e julgar se ele é apropriado ou não para definir o nível de alguém. Já há inúmeros estudos que comprovam a validade dos resultados de C-Tests. Qualquer opinião contra teria que ser muito bem fundamentada e não apenas opinião. 

A prova onDaF tem 8 textos com 20 lacunas cada. Cada lacuna que você responder corretamente te dá um ponto. A pontuação máxima é de 160 pontos. 

Aqui vai uma tabela de pontos (retirada do próprio site do onDaF):

A2: 45-50 pontos
B1: 75-80 pontos
B2: 100-115 pontos
C1: 140-145 pontos

Qualquer pontuação intermediária pode ser classificada pro nível de cima ou de baixo, dependendo do modo como eles avaliam. Eles dão um exemplo de uma pessoa com 64 pontos pode ser classificada como B1 e uma pessoa com 125 pontos pode ser classificada como B2. Vai depender, creio eu, se a pontuação estiver mais próxima de um nível ou de outro. 

Como é um teste computadorizado, o resultado sai na hora. 

O próprio site também dá um PEQUENO exemplo de como pode ser o teste, só que eles só dão quatro textos, no final dão apenas uma pontuação. Eles avisam que os textos são um pouco mais fáceis do que o onDaF. Clique aqui para fazer o teste [tem que apertar o botão: Beilspieltest starten e tem que aceitar os Pop-Ups]e ver quantos pontos você faria. No final eles não dizem o seu nível, dizem apenas os pontos.

Como se preparar?

O melhor que você pode fazer para se preparar é PRIMEIRAMENTE fazer seu curso ou estudar como se você não estivesse se preparando para o teste. Por quê? O teste onDaF não testa somente conjugações de verbos, ele testa TUDO, até vocabulário. 

Vou dar aqui um exemplo de um dos exercícios do site (se você não fez ainda o exercício do site, deixe pra ler o resto do tópico depois, ou pelo menos tente resolver sozinho antes de ler a resposta):
"Obwohl man Speisen im noch ziem süß, fet oder sal sind, i ein kla Trend zu gesünderer Ernährung erkennbar".

Com este exemplo vemos que o aluno teria que conhecer pronomes (como MANCHE!), expressões como IMMER NOCH e declinações de adjetivos como "klarer", "salzig", mesmo assim ele teria que conhecer vocabulário, pois não adianta saber que "sal-" vem da palavra "salgado", mas não saber como se diz "salgado" em alemão.
A resposta seria: "Obwohl manche Speisen immer noch ziemlich süß, fett/fettig oder salzig sind, ist ein klarer Trend zu gesünderer Ernährung erkennbar". 

(Atualização: Depois que fiz esse texto, um leitor avisou que o número de letras que faltam são sempre iguais às letras que não foram apagadas ou, em caso de número impar, esse número mais 1)

Por exemplo:
A palavra manche tem 6 letras. Eles apagaram três (a metade).
A palavra immer tem 5 letras. A metade seria 2,5, então eles apagam 3.

Então se você vir "FET_____" tem que sempre completar com o número exato de letras não-apagadas (ou seja, 3) ou esse número + 1. A resposta seria então FETTIG.)


Se você conseguir achar na Internet sites com exercícios de completar lacunas em textos, já seria um ótimo treino [tentem procurar por "C-Tests" no Google. Quem achar um bom site para treino, favor colocar aqui]. 

Outro modo de se preparar é LER textos. Como vocês veem, a temática dos textos do onDaF é variada. Não é feita de diálogos sobre coisas do dia-a-dia. É uma linguagem mais jornalística, como se você estivesse lendo um pequeno artigo de jornal/revista sobre um tema corriqueiro: pode ser saúde, comportamento, História etc. Então é importante conseguir um certo vocabulário sobre esses temas.

O que mais devo ter em mente antes de fazer o onDaF?

1) Na hora do teste é muito importante que você RELEIA o texto completo antes de confirmar suas respostas. Veja se você não repetiu letras que já existiam: 

Palma! Palma! Não priemos cânico!
Por exemplo: se a lacuna era "d____ Mann", tome cuidado para não repetir o "d" e completar "dder Mann". Tem que completar só com o que falta "der Mann". 

2) Muito importante: o teste serve pra nivelar uma pessoa até o nível C2. Sendo assim, se você não acertar tudo e se deparar com alguma questão ou palavra onde você pense "Não faço a menor ideia", não se desespere. Talvez aquela palavra só será reconhecida por estudantes de nível mais avançado. Se seu objetivo for alcançar o nível A2 ou B1, o objetivo não será acertar o teste todo, mas atingir a pontuação necessária. Lembre-se disso ao fazer os exercícios. 

Outra maneira de treinar seria pegar livros de alemão no seu nível, pegar textos e pedir pra algum amigo digitá-lo para você treinar (recortar ao digitar o texto no PC, não recortar o livro obviamente hehehe). Depois tente fazer com livros de um nível mais avançado e ver se consegue acertar pelo menos a metade (dependendo do nível). É claro que isso não seria um treino profissional, mas é uma maneira de exercitar. Há escolas que já fazem cursos preparatórios, mas no momento não conheço nenhum livro para indicar.

Outra dica para fazer isso os leitores do blog no Facebook deram:

O Gabriel Feres disse que usava textos da revista "deutsch perfekt" (já mencionada aqui no blog). Como os textos são divididos também em nível de dificuldade, pode ser também um bom treino. Se você usar textos on-line da revista, dá pra usar um CTRL-C + CTRL-V na ferramenta de criação de C-Tests indicada pelo leitor Pablo Resende, no site da Deutsche Welle. O link está aqui. Basta copiar o texto, escolher quantas palavras serão cortadas [a cada 2, 3, 4 etc. palavras] e o site corta as palavras pra você e faz uma folhinha de exercícios para você imprimir. A única diferença entre isso e o onDaF é que o onDaF deixa o começo e final do texto sem lacunas pra que a pessoa tenha uma ideia do que se trata. Mesmo assim, é um ótimo exercício.

OBRIGADO PELAS DICAS! Estou esperando por mais dicas de vocês!

E você? Tem mais alguma dica para quem vai fazer o onDaF?

28 comentários:

  1. Olá! Fiz o teste OnDaf há 3 anos, na UFMG. Na época pensei em me candidatar a uma bolsa, mas acabei deixando pra lá. Foi só mandar um e-mail pro professor da letras de lá (acho que tinha na lista do site) e ele marcou comigo um horário. Fiz numa salinha mesmo, só tinha eu. Pra mim o maior problema do teste é a velocidade, não dá muito tempo de pensar. E pra piorar esse professor estava com outro alemão na salinha e os dois ficaram batendo papo do meu lado , e como eu já entendia bem alemão, era um tanto quanto desconcentrante - e 5 segundos de distração te faz falta hahaha Consegui o B2 na época, apesar de achar que na época eu já merecia mais - é um teste diferente, existem milhões de modelinhos espalhados na internet pra ajudar. Mas como avaliador de conhecimentos, acho bem meia-boca, não tem como comparar com o TestDaf por exemplo. Me surpeende que aceitem A2 - pra conseguir A2 você pode errar muuuuuuuuuuuuuuita coisa. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Para conseguir A2 nesse teste, basta que o estudante tenha uma noção básica de declinação e preposições...Claro, isso apenas se você não sabe alemão mas tem vontade de ir pra Alemanha mesmo assim e se dedicar no estudo do idioma lá!
    Fiz o OnDaF há um mês mais ou menos...consegui B2 com 104 acertos...vi pessoas com 99 que ficaram com B1...foi por pouco, hehe. Aqui embaixo está o link do blog no qual achei vários exemplos (os links estao no fim da pagina). Abraços e parabéns pelo blog, acompanho faz muuuito tempo.

    http://blog.neschetna.com/2011/09/german-c-test/

    ResponderExcluir
  3. Oi!!!

    Tô pensando fazer o teste OnDaF, mas bate o certo medo que tu não sabe tudo em alemão hehehe, como eu to no básico A1(faço há 8 meses) será que vale a pena tentar fazer a prova e ver o desempenho, para ver ser é possível ganhar a bolsa na Alemanha.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. @Pardal Eu fiz o teste a primeira vez mais ou menos também com uns 8 meses de curso, 1 vez por semana, duas horas. Eu quase não fazia os temas, Hausaufgaben... fiz 11 pontos, dos 160 possíveis. 11 pontos me deixou em A2. Este ano (junho), fiz novamente, fiz 52 pontos, o que continua sendo A2.

    Agora estou na Alemanha, e hoje meio dia surgiu o assunto do onDaf, e aí mostrei o Beispieltest para um nativo, mestre, anos trabalhando na Cisco, e anos trabalhando na área de tecnologia da informação para o governo daqui. O cara fez 80% de acerto só, ficou buzina de brabo, porque no Abitur dele, a maior nota foi Deutsch! Por um ponto não gabaritou.

    Ou seja, bem como diz no post, classifica de A1 a C1, não é fácil não!

    Mas vale a pena fazer, um para se provar, saber o quanto mais tem que se dedicar ao estudo, e dois para se familiarizar com a prova em sí.

    Os textos são bem diversos... no último que eu fiz, tinha um texto sobre espécies de gato selvagem. WTF!! Eu não sei vocabulário relacionado a isso nem em PT!!

    Mas é legal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como fazer 11 pontos te deixou com A2, se o mínimo segundo o site são 45 pontos?

      Eu vou fazer o teste amanha e nos exemplos tenho feito em média 40%, só que nos exemplos são apenas 4 ou 5 textos... Vc tem ideia de qual é a diferença na nota do exemplo pra prova mesmo?

      Abraço

      Excluir
    2. No certificado, pra quem tira menos do que 45 pontos, vem escrito "Unter A2" em vez de A1, talvez seja isso...

      Excluir
    3. Eu fiz 38 pontos no último teste que fiz e tirei nível A2. Esses pontos são muito relativos

      Excluir
  5. Estou morando atualmente na Alemanha, e estou estudando para tentar a universidade, vou ter que fazer o TestDaf certo? Estou com medo de fazer e não passar, quantas vezes posso fazer o TestDaf?

    ResponderExcluir
  6. Eu fiz o onDaF agora no início de janeiro/2.013 e cravei um B1. Venho estudando alemão há um tempo, mas sempre no esquema para-continua. Só fui até a metade do A2, mas antes da prova fiz alguns C-Tests na internet e percebi que o grande lance é: gênero dos substantivos, preposições, declinações dos artigos, declinação dos adjetivos e conjugação dos verbos (terminações). Concentrei nisso durante uns dez dias. Lógico que é bom você saber voz passiva, Konjunktiv II, discurso indireto e outras magias negras, mas isso só servirá para te colocar nos níveis mais altos (lógico, né?) que não são necessários para o CsF.

    Só o fato de não ter prova oral já é uma tremenda mão na roda! Vale a pena fazer, mesmo quem está inseguro. A prova é bem difícil. Oito textos em 40 minutos não dá nem para pensar, mas precisa acertar muuuuuuito pouco para conseguir níveis interessantes. Meu B1 saiu com 64 acertos (40% da prova)!

    Ah, e parabéns ao criador deste blog! Seus textos me ajudaram muito!

    ResponderExcluir
  7. Eu fiz o onDaF agora no início de janeiro/2.013 e cravei um B1. Venho estudando alemão há um tempo, mas sempre no esquema para-continua. Só fui até a metade do A2, mas antes da prova fiz alguns C-Tests na internet e percebi que o grande lance é: gênero dos substantivos, preposições, declinações dos artigos, declinação dos adjetivos e conjugação dos verbos (terminações). Concentrei nisso durante uns dez dias. Lógico que é bom você saber voz passiva, Konjunktiv II, discurso indireto e outras magias negras, mas isso só servirá para te colocar nos níveis mais altos (lógico, né?) que não são necessários para o CsF.

    Só o fato de não ter prova oral já é uma tremenda mão na roda! Vale a pena fazer, mesmo quem está inseguro. A prova é bem difícil. Oito textos em 40 minutos não dá nem para pensar, mas precisa acertar muuuuuuito pouco para conseguir níveis interessantes. Meu B1 saiu com 64 acertos (40% da prova)!

    Ah, e parabéns ao criador deste blog! Seus textos me ajudaram muito!

    ResponderExcluir
  8. Eu acabei de fazer o onDAF na UFMG, e o primeiro lugar que prometi a mim mesmo vir seria aqui! Hahahahahhaha
    Estudo há pouco tempo e estou bastante satisfeito com os quase 50% da prova que obtive. Para quem nunca fez o teste, recomendo estudar declinação, o significado das preposições e se familiarizar com textos de natureza acadêmica.

    Muito obrigado pelo conteúdo, Fábio, foi de grande valia todos os posts do site. Agora é torcer pra parte 2 do meu plano dar certo! :)

    Bis bald!

    ResponderExcluir
  9. Olá, será possivel alguem me informar de quanto custa em euros fazer o teste onDaF aqui na Alemanha?

    ResponderExcluir
  10. Olá, gostaria de saber quanto custa em euros o teste onDaF aqui na Alemanha. Obrigado

    ResponderExcluir
  11. Tenho-lhes uma sugestão. Há vários livros pelo projeto Gutenberg em domínio público em alemão. Por exemplo, baixei » Die Märchen der (Ge)brüder Grimm «. Coloquei no iPad/iPhone no Kindle, p. ex., e no Mac (em qualquer programa), regulei o VoiceOver ou Ditado (no Mac), escolhi a velocidade, e a leitura é praticamente perfeita (considerando a uniformidade da escrita-pronúncia em Hochdeutsch). Isso tavez estimule os estudantes, pois nos próprios programas o Duden Wörterbuch já está embutido e é possível fazer tradução simultânea em caso de dúvida com alguns cliques. Considerando alguns arcaismos identificáveis logo de cara (ortografia, formas verbais, declinações dativas -e e -en), é interessante ter o seu equipamento lendo para você – ainda que sem entusiasmo – contos de fadas clássicos da literatura.

    ResponderExcluir
  12. Olá, pessoas. Tenho-lhes uma sugestão. Há vários livros pelo projeto Gutenberg em domínio público em alemão. Por exemplo, baixei » Die Märchen der (Ge)brüder Grimm «. Coloquei no iPad/iPhone no Kindle, p. ex., e no Mac (em qualquer programa), regulei o VoiceOver ou Ditado (no Mac), escolhi a velocidade, e a leitura é praticamente perfeita (considerando a uniformidade da escrita-pronúncia em Hochdeutsch). Isso tavez estimule os estudantes, pois nos próprios programas o Duden Wörterbuch já está embutido e é possível fazer tradução simultânea em caso de dúvida com alguns cliques. Considerando alguns arcaismos identificáveis logo de cara (ortografia, formas verbais, declinações dativas -e e -en), é interessante ter o seu equipamento lendo para você – ainda que sem entusiasmo – contos de fadas clássicos da literatura.

    ResponderExcluir
  13. Eu estudo alemão a seis meses, sozinho. Estou para prestar o Ondaf nos próximos dias, com expectativas de B1 (no Beispiel Test do site, a pontuação foi um pouco acima de 50%)
    Minha dica para o pessoal estudando alemão, se resume aos seguintes pontos:

    1) aprender vocabulário massivamente é o primeiro passo. Existem livros só disso "do vocabulário mais utilizado no alemão". Eu utilizo um da própria Langenscheidt - "Basic German Vocabulary", que contem as 4000 palavras mais recorrentes. Também há livros como "the big yellow book of german verbs", úteis para decorar verbos importantes
    2)Decorar vocabulário aumenta muito a velocidade da aprendizagem, e é o primeiro passo recomendado pelos linguistas e poliglotas em geral. Mas, para "decorar", aprender métodos eficientes de memorização é fundamental. E existem textos diversos sobre treinamento de memória, dentre os quais eu destaco "Moonwalking with Einstein", do Joshua Foer, que ajudam. Esses livros sobre "super-memória" são, de fato, comerciais, mas existem indícios fortíssimos na neurobiologia e na neurociencia que apoiam essas técnicas mnemônicas sofisticadas de memorização. Aliás, há casos reais - embora curiosos - como o do chinês e do americano que, utilizando estas técnicas, decoraram mais de 50 mil dígitos do PI. São textos dos "memorizadores profissionais". Hoje, depois de 6 meses estudando com esses métodos, meu record de palavras decoradas em um dia foi acima de 100. Vale a pena dar uma olhada.
    3) Em terceiro, gramática é importante. Eu, particularmente, não acho que valha a pena ir nos livros básicos, e sim em "gramáticas para estrangeiros", de nível médio-alto, desde o início. Estudei sempre pela "EM Übungsgrammatik". da Hueber.
    4) no que concerne à audição e à fala, existem inúmeros vídeos espalhados pela internet, além do sistema de notícias da Deutsche Welle, que são mais do que suficientes.

    Em outras palavras, eu não gastei nenhum centavo, estudo a 6 meses (só no ônibus da minha casa para a faculdade - 40 minutos diários), e estou em algo próximo ao nível B1. Já leio notícias, e consigo entender a idéia geral de textos sociológicos e filosóficos. Por isso, recomendo enfaticamente aos interessados não só em aprender alemão, mas também outras línguas, que, antes de tudo, deixem os cursos de lado, que eles só prendem nosso potencial. O curso é bom, sim, num segundo momento, para solidificação e aprimoramento de um conhecimento pré-adquirido, com a ajuda de profissionais e especialistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo, poderia sugerir outros livros / textos sobre memorização?

      Excluir
  14. Olá! Não sei absolutamente nada de alemão e preciso alcançar A2 até dezembro, alguma sugestão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo m__ é mit, se tiver d__ chuta den, todo od___ é oder, todo au___ é auch, todo u__ é und.... por aí vai. E lê alguns textos mesmo sem entender. A2 é fácil de tirar

      Excluir
  15. Esse site tem uns C-tests dá pra ajudar http://www.mein-deutschbuch.de/lernen.php?menu_id=174

    ResponderExcluir
  16. Olá, sou aluno do Ciência sem Fronteiras em Dresden, cheguei aqui com B1 no OnDaf (50% da prova) e depois do curso intensivo em solo alemão consegui certificado B2 num TestDaf, e digamos que com aspirações para C1. Após um semestre letivo o domínio do idioma está muito mais sólido.
    Eu gostaria de compartilhar algumas opiniões.
    Este tipo de teste é tão bom, mas tão bom, que eu fiz um de espanhol para saber qual turma eu faria um curso aqui na Alemanha e tirei 51 de 100, sendo que eu nunca fiz uma aula de espanhol.
    Este padrão de teste não analisa habilidade de fala, escrita e compreensão auditiva, ele avalia apenas a leitura e extrapolação do vocabulário. E é muito fácil com conhecimento mínimo de um idioma preencher artigos, preposições e conjunções que tem até 5 letras. Foi basicamente o que aconteceu no teste de espanhol que fiz.
    Ainda preciso acrescer que nos testes usados pela Universidade para os seus cursos de alemão são, do ponto de vista matemático, mal definidos. Eles dizem que se completa com N/2 caso N par e (N+1)/2 caso N ímpar, todavia, eles não explicam o conceito de "palavra" usada para completar os casos compostos,

    Exemplo: Student ausweis, 7 + 7 = 14
    Se "palavra" é um conjunto de caracteres unidos sem espaços, então Studentausweis no teste deveria aparecer Student_ _ _ _ _ _ _ (não necessariamente com espaços entre os traços).

    Todavia seria bem difícil saber qual é palavra, sendo assim eles decompõe somente a palavra final ficando:
    Studentaus_ _ _ _
    O que fica meio complicado quando se conta 10 letras para metade sendo necessário completar com 10 ou 11 numa primeira inspeção.

    Indepedente desta particularidade que depende de uma boa definição de "palavra", o teste não avalia satisfatoriamente o conjunto de habilidades necessárias para desenvolver assuntos acadêmicos.
    A ideia de pessoas virem com A2, é que após 10 semanas de curso intensivo elas atinjam B2, mas o A2 do OnDaF é, por assim dizer, ilusório.
    Atualmente aceita 20 pontos no OnDaF, considerado pelo programa como A1, para vir para um curso de 6 meses na Alemanha. Particularmente essa é uma forma de mostrar números e não qualidade.

    ResponderExcluir
  17. Olá, sou aluno do Ciência sem Fronteiras em Dresden, cheguei aqui com B1 no OnDaf (50% da prova) e depois do curso intensivo em solo alemão consegui certificado B2 num TestDaf, e digamos que com aspirações para C1. Após um semestre letivo o domínio do idioma está muito mais sólido.
    Eu gostaria de compartilhar algumas opiniões.
    Este tipo de teste é tão bom, mas tão bom, que eu fiz um de espanhol para saber qual turma eu faria um curso aqui na Alemanha e tirei 51 de 100, sendo que eu nunca fiz uma aula de espanhol.
    Este padrão de teste não analisa habilidade de fala, escrita e compreensão auditiva, ele avalia apenas a leitura e extrapolação do vocabulário. E é muito fácil com conhecimento mínimo de um idioma preencher artigos, preposições e conjunções que tem até 5 letras. Foi basicamente o que aconteceu no teste de espanhol que fiz.
    Ainda preciso acrescer que nos testes usados pela Universidade para os seus cursos de alemão são, do ponto de vista matemático, mal definidos. Eles dizem que se completa com N/2 caso N par e (N+1)/2 caso N ímpar, todavia, eles não explicam o conceito de "palavra" usada para completar os casos compostos,

    Exemplo: Student ausweis, 7 + 7 = 14
    Se "palavra" é um conjunto de caracteres unidos sem espaços, então Studentausweis no teste deveria aparecer Student_ _ _ _ _ _ _ (não necessariamente com espaços entre os traços).

    Todavia seria bem difícil saber qual é palavra, sendo assim eles decompõe somente a palavra final ficando:
    Studentaus_ _ _ _
    O que fica meio complicado quando se conta 10 letras para metade sendo necessário completar com 10 ou 11 numa primeira inspeção.

    Indepedente desta particularidade que depende de uma boa definição de "palavra", o teste não avalia satisfatoriamente o conjunto de habilidades necessárias para desenvolver assuntos acadêmicos.
    A ideia de pessoas virem com A2, é que após 10 semanas de curso intensivo elas atinjam B2, mas o A2 do OnDaF é, por assim dizer, ilusório.
    Atualmente aceita 20 pontos no OnDaF, considerado pelo programa como A1, para vir para um curso de 6 meses na Alemanha. Particularmente essa é uma forma de mostrar números e não qualidade.

    ResponderExcluir
  18. Por quanto tempo vale o resultado do Ondaf?

    ResponderExcluir
  19. Alguém sabe me dizer qual é a validade do Ondaf?
    Obrigada

    ResponderExcluir
  20. Olá, fiz o teste hoje mesmo e já venho aqui dar minha opinião haha Primeiro, Fábio obrigada pelo seu blog fantástico, me ajudou muito no estudo.Se eu pudesse dar uma dica de assunto para estudar antes da prova seria declinações dos adjetivos, ajuda bastante tá sabendo isso legal( e no blog isso esta maravilhosamente/exaustivamente explicado). Outra coisa é que eu vi em vários sites secundários ,de centros de língua das universidade alemãs, que o esquema do número de letras vale pras palavras compostas por dois substantivos juntos de maneira diferente, é metade da segunda palavra daí. Por exemplo:Bienenhonig seria Bienenho__ em vez de Bienen__. E eu não achei mais difícil que no BespielText, achei até mais fácil na realidade. Apenas os 2 últimos textos eram mais complicados, o resto era bem tranquilo, com uma palavra ou outra mais difícil. Tanto que eu considero meu nível um B1+ ou B2- haha já que não chega a ser B2 mas é um pouquinho mais que B1 , mas acabei tirando 109 e B2,algo que não esperava, mas obviamente gostei!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...