PESQUISAR NO GOOGLE

Faça sua busca aqui:
Pesquisa personalizada

PESQUISAR NO BLOG

25 de novembro de 2012

Os vários significados de "sie"

Essa semana postei a foto de um anúncio publicitário do canal de TV alemão ARD depois da sugestão de um amigo meu. Eu já havia tirado uma foto desse cartaz, mas resolvi postar pra ver se os leitores estranhariam algo no cartaz.

"Sie werden sterben. Lasst uns darüber reden"
No meu post do Facebook fiz a seguinte pergunta: "Algum problema neste enunciado"? A pergunta foi formulada de forma proposital. Eu não disse: "Encontre o erro gramatical". Apenas perguntei se alguém estranhava alguma coisa.

Pessoalmente, acho este tipo de exercício um dos melhores testes para perceber quão sólidos estão nossos conhecimentos linguísticos sobre um idioma. Saber reconhecer "falhas" num enunciado requer mais segurança do que apenas capacidade para se comunicar. Foram muitas as respostas e muitas as suposições e/ou convicções. Alguns comentários davam a impressão de serem "tiros no escuro". Mas muitos comentários foram bem fundamentados e alguns davam a resposta com tanta certeza que um estudante iniciante com certeza acreditaria sem pestanejar.

Resolvi escrever este tópico, pois um dos comentários abriu de novo uma ferida que, infelizmente, é algo com que tenho conviver pro resto da vida: o argumento fatal, mortal e cruel vindo da boca de muitos estudantes: "Você não é um falante nativo". Creio que muitos de meus colegas brasileiros que dão aulas de línguas estrangeiras convivem com alegações de que é melhor aprender um idioma com um nativo. Reconheço que meu alemão não é o de um nativo, mas me esforço para ter uma pronúncia impecável, para falar alemão com fluência, para não cometer erros grotescos e, principalmente, para ENSINAR alemão de forma didática. Mas como sei que vez por outra vou ouvir as palavras cruéis "Você não sabe. Minha professora é alemã e ela é quem sabe", sempre contacto meus amigos nativos professores de alemão, estudantes de Linguística, a maioria com doutorado e mestrado em alemão, para não ficar só com a minha opinião sobre os fatos.

Das muitas respostas, selecionei aqui algumas que bateram no pé que no enunciado não há nada de "errado" nem de esquisito.




O Lucas foi o primeiro a perceber algo "esquisito" mais próximo do que meu amigo havia mencionado.

Quando se lê o cartaz de longe, a primeira e única frase que você vê é: "Sie werden sterben". A primeira leitura que a maioria faz é "Você vai morrer". Esta leitura é foi a que eu fiz, mas fiz questão de perguntar a duas amigas minhas alemãs pra saber qual era a primeira leitura delas ao ler o cartaz. Ambas disseram que entendiam como se a mensagem fossem para elas mesmas, para o leitor do cartaz, ou seja: VOCÊ!

Como é conhecido, a palavra SIE em alemão tem vários significados. Ela pode ser a terceira pessoa do singular do gênero feminino (ou seja, ELA). Ela pode ser a terceira pessoa do plural (de todos os gêneros, ou seja, ELES ou ELAS). Ou ela pode ser usada com conjugação idêntica à forma do plural para indicar o tratamento formal, geralmente traduzido em português por "o senhor/a senhora", mas comumente entendido como "você". (Para ler a mais sobre a diferença entre o tratamento formal e informal, clique AQUI). No caso do tratamento formal, a palavra "Sie" (e qualquer uma de suas formas declinadas ou pronomes referentes) devem ser escritos com letra maiúscula. O problema é que no início de uma frase, não se percebe mais a diferença já que toda oração deve ser iniciada por maiúscula. Ou seja, teoricamente a frase "Sie werden sterben" pode ter duas traduções:

1) Sie werden sterben. - Você vai morrer. (O senhor ou a senhora que estiver lendo este cartaz).
2) Sie werden sterben. - Eles vão morrer. (Alguém vai morrer).

Como falei antes, tenho a impressão de que a maioria entende a mensagem como se estivesse sendo para si mesma (impressão esta confirmada pelas minhas amigas, mas não dá pra saber se foi pra todo mundo).

A segunda frase diz "Lasst uns darüber reden".

Ano passado eu fiz um tópico aqui no blog só sobre o verbo LASSEN e seus significados. Num deles eu explico o uso de "lassen" na expressão "lass uns". (Para ler mais clique aqui).

A expressão LASS UNS é usada de forma semelhante à expressão "Let's" da língua inglesa, usada como formadora de imperativo para "nós". Ela pode ser facilmente traduzida como "Vamos" em português e é muuuuuuuuuuuuuuuuuuuito usada no dia a dia alemão.

Lass uns gehen! - Let's go!
Lass uns das Thema wechseln! - Vamos mudar de assunto!

É muito mais comum ouvir "Lass uns das Thema wechseln!" do que o famoso imperativo ensinado nos livros "Welchseln wir das Thema!", apesar de ambos serem usados e serem corretos. É como no português: existe o imperativo "Mudemos", mas é comum ouvirmos "Vamos mudar".

Ou seja, não convém traduzir esse "Lass uns" ao pé da letra "Deixe-nos". Se fosse assim, teríamos que traduzir o "Let's dance" como "Deixe-nos dançar" em vez de "Vamos dançar". Mas diferente do inglês, o alemão tem três formas de imperativo: uma para "du" (tu/você, informal singular), uma para "ihr" (vocês, informal plural) e uma para "Sie" (você, o senhor/a senhora, formal singular e plural). Em outras palavras, a expressão LASS UNS, formada com o imperativo do verbo LASSEN pode ter três variações:

Imperativo de "lassen"
Lass! (du)
Lasst! (ihr)
Lassen Sie! (Sie)

Ou seja, LASST UNS é a forma do imperativo de IHR (vocês) da maneira informal. Ou seja, quem entendeu o "Sie" como "Você" estranha o fato de logo depois do tratamento formal "Sie" ser usado o tratamento informal "ihr". Será que está errado?

Essa pergunta, diferente de alguns comentários que li no tópico, não intrigou somente a estrangeiros incapazes de entender alemão corretamente, mas já há na internet várias discussões sobre esta peça publicitária. Em conversa com minhas amigas alemãs, professoras de alemão, recebi a seguinte resposta:

"Hallo Fábio,
also das "Sie" ist meines Erachtens formell gemeint, um die Leute persönlich anzusprechen. "Lasst uns" kann inklusiv oder exklusiv der angesprochenen Person sein, wobei es inklusiv natürlich eigentlich "Lassen Sie uns darüber reden" heißen müsste. Grammatikalisch sinnvoller wäre auch, dass mit "sie" die 3. Person Plural gemeint ist und "uns" exklusiv gemeint ist. Es gibt auch schon ein paar Diskussionen im Internet darüber... ;)
Liebe Grüße und bis bald"


Um dos pontos principais abordados por ela é: a palavra "nós" em português, alemão e vários outros idiomas pode ser inclusiva ou exclusiva. Imaginem a seguinte situação:

Maria, Pedro e Carlos conversam. Carlos diz: "Maria, amanhã nós vamos para a praia, ok?". 

(Nós inclusivo): ele incluiu Maria na conversa: "- Maria, amanhã, Pedro, você e eu vamos para a praia, ok?"
(Nós exclusivo): ele excluiu Maria da conversa: "-Maria, amanhã Pedro e eu vamos para praia, ok? Só estou te avisando"

Como vocês veem, LASST UNS também pode ser exclusivo. Ou seja, a ARD mudou o tratamento pois a segunda frase não se refere mais a "você, Sie, leitor ou leitora do cartaz", mas a um outro grupo de pessoas que a ARD aborda de maneira informal. Mesmo assim, é estranho que um emissora de TV aborde o seus leitores de maneira formal (Sie) e de repente aborde outro grupo de maneira informal (ihr). Quem seria esse outro grupo de pessoas que uma rede de TV trata de maneira informal? Um leitor sugeriu que era como se fosse um Talk-Show onde o apresentador se dirigisse depois à plateia. Mas tentei encontrar algum vídeo de um Talk-Show onde os apresentadores tratassem seu público de maneira informal (por "ihr"). Até agora não consegui encontrar (quem encontrar é só me mandar, sem problemas!). A formalidade é ainda superpresente na TV alemã, tanto ao se dirigirem ao telespectador quanto ao entrevistados e à plateia. É claro que há participantes que são tratados por DU, mas convenhamos que não é muito comum o tratamento da plateia por IHR em programas de TV alemães (apesar de eu não descartar esta possibilidade).

Se a ARD quiser incluir o leitor do cartaz, ela não deveria ter mudado o tratamento formal para informal. O correto seria: "Lassen Sie uns darüber reden". 

Minha outra amiga alemã também entendeu o "Sie" de "Sie werden sterben" como formal. Mas ficou meio na dúvida depois de ler a segunda frase e também ficou pensando que poderia ser "Eles vão morrer", mas não chegou a conclusão nenhuma.

Um leitor no Facebook sugeriu: "Outra coisa, PUBLICIDADE E MARKETING não se preocupam com gramática, a real função é "atingir' o público de forma rápida e que fixe na cabeça do cidadão!". Correto! Publicidade não se preocupa TANTO com gramática. Às vezes o "erro" gramatical é usado até de forma proposital. A questão aqui é que não é muito comum essa troca de tratamento formal/informal num mesmo contexto. A publicidade só usaria algo "errado" gramaticalmente, caso fosse um "erro" comum, usado de forma proposital para atingir o maior número de pessoas que usam aquela forma. Nos programas de TV alemães, os telespectadores são tratados por "Sie" sem cerimônias. Dependendo do tipo de público e espetáculo, podem ser tratados por DU/IHR. Mas é totalmente incomum que o mesmo interlocutor seja tratado ora por "du", ora por "Sie".

Como disse antes, na Internet estão surgindo vários indícios de que o cartaz deixa o leitor na dúvida sobre o tratamento, não só estrangeiros, mas alemães também.

Aqui alguns exemplos: 

Neste blog, a leitora posta uma foto do cartaz e propõe a mesma forma de correção como "Lassen Sie uns sterben": http://textundsinn.wordpress.com/2012/11/13/sie-werden-sterben/. No dia 18 de novembro a autora escreveu um tópico mais longo sobre o porquê de ela achar que o cartaz tem erros e as diversas sugestões de mudanças no texto com suas possíveis interpretações. Quem quiser ler, aqui vai o link: http://textundsinn.wordpress.com/2012/11/18/wir-werden-sterben-die-2/

Achei um outro link jornalístico que já publicou o texto com a alteração gramatical: http://www.inforadio.de/programm/schema/sendungen/nahaufnahme/201211/181109.html

Na reportagem, eles trocaram "Lasst uns" por "Lassen Sie uns"

Mas acho que essa notícia me abriu um pouco os olhos de quem poderia ser esse grupo de pessoas tratado por "ihr". Será que poderiam ser as crianças? O canal de TV vai fornecer reportagens sobre como tratar do tema "morte" na família e também com crianças. Será que a segunda frase poderia ser uma reprodução da fala de adultos para crianças: "O vovô morreu. Lasst uns darüber reden!"? Fica aqui a pergunta.

Moral da história

1) Acho que poderão surgir muito mais discussões sobre esse cartaz na Internet. Quem sabe até mesmo o famoso Bastian Sick (o Pasquale daqui) publique algo na sua coluna sobre o tema. 

2) O mais importante é saber que os alemães não misturam formas de tratamento como os brasileiros e portugueses. Ou seja, o alemão não costuma usar "Sie" e "du/ihr" numa mesma frase ao se referir à mesma pessoa. Quando isso acontece, imediatamente surgem outras interpretações do enunciado.

3) Há vários tipos de leitores do blog "Quero Aprender Alemão". Há iniciantes, mas também há professores de alemão, brasileiros que já moram há anos na Alemanha, nativos alemães que falam português etc. Ou seja, no Facebook é possível que haja comentários de pessoas pouco experientes na língua, mas há muitos comentários de pessoas que estudam alemão há vários anos, até mesmo comentários de nativos. O bom da discussão é justamente ouvir vozes diferentes e ver que nunca encontraremos um grupo totalmente homogêneo de aprendizes da língua. O bom é discutir, aprender uns com os outros. Eu já fui corrigido aqui no blog, já aprendi com com vários comentários e algumas perguntas me levaram a pesquisar, buscar nos livros e conversar com amigos para encontrar respostas para as dúvidas. Muito obrigado pelas participações.

4) E afinal, qual é o certo neste cartaz? Pra saber, tem que perguntar pra quem fez o cartaz. Mas o mais comum é que o leitor sinta que a primeira frase foi pra ele "Sie werden sterben" (Você vai morrer). A outra interpretação não pode ser excluída, já que "Sie" pode ter vários significados. Chegamos à conclusão que em uma das frases o interlocutor não está claro, não sabemos exatamente para quem a mensagem foi dirigida. Mas podemos chegar à conclusão que a morte é um tema importante de ser debatido e não deve ser um tema-tabu, nem para crianças nem entre adultos.

Para terminar o tópico, deixo para vocês um vídeo lindo que trata sobre esse tema "morte" (em português).

Bons estudos.



7 comentários:

  1. Como em italiano, lei significa ela, mas também como modo formal pode significar senhor ou senhora!!

    ResponderExcluir
  2. Observei o mesmo que a Vannessa aqui em cima. Eu também faço Italiano, mas voltando ao Alemão...
    Também percebi a ambiguidade do enunciado maior e de cara notei que havia algo incoerente, por assim dizer, na segunda frase. Só o print da reportagem que fala inclui crianças no negócio é que dá uma relativa esclarecida. O fato é que, mesmo que a publicidade tenha como único e exclusivo propósito chamar a atenção do expectador para o que está sendo anunciado, penso eu que a mensagem foi mal formulada. Não seria outra característica da boa publicidade a clareza do anúncio? Abre parêntese: Deixando claro que não quero excluir a possibilidade de o anúncio ter sido ambíguo propositalmente - nesse caso, ainda seria melhor haver a clareza a espeito da própria ambiguidade (e isso pode soar paradoxal, mas não é) - fora que a forma de apresentação do dito outdoor não faz qualquer menção a ter um duplo sentido proposital.

    ResponderExcluir
  3. Então, mostrei esse anuncio pro meu marido, que é Alemão, e ele me disse que nao tem absolutamente nada errado e que ele entende a mensagem perfeitamente. Discutimos sobre isso por algumas horas, porque eu também acho que lasst nesse caso está errado. Mas seus argumentos foram interessantes: segundo ele, o Sie na primeira frase significa você (formal), mas nesse caso ele é usado para dar um distanciamento. O que ele entende é que a ARD nao quer apontar para você e dizer que você vai morrer, mas quer dizer algo como "todo mundo vai morrer um dia". E o lasst uns, segundo ele, é a forma de mostrar ao mesmo tempo proximidade (ele disse especificamente "um médico em que você possa confiar"), ou seja, informal, mas no plural, porque a mensagem está direcionada a um grande público, e o tema será permeado em diversos programas.
    Nao deixa de ser uma discussão super interessante - como sempre aqui no teu blog :)

    ResponderExcluir
  4. Parabéns por ter proposto a discussão! Confesso que fui ficando mais confusa à medida que mais análises foram aparecendo... mas, fugindo um pouco: existem bons e maus professores, nativos ou não. O não nativo é alguém que, como nós, também teve que aprender e com isso talvez entenda melhor as nossas dificuldades de alunos. O importante é fazer um bom trabalho e isso pode ser visto aqui no blog!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns por ter proposto a discussão! Confesso que fui ficando mais confusa à medida que mais análises foram aparecendo... mas, fugindo um pouco: existem bons e maus professores, nativos ou não. O não nativo é alguém que, como nós, também teve que aprender e com isso talvez entenda melhor as nossas dificuldades de alunos. O importante é fazer um bom trabalho e isso pode ser visto aqui no blog!

    ResponderExcluir
  6. Olá, parabéns pelo blog! Moro na Áustria há 3 anos e ainda peno com o idioma. Já desisti e me frustrei tantas vezes! Mas seu blog me trouxe novo ânimo justamente por tratar de tópicos nos quais eu tinha dúvida, mas que nenhum professor ou livro encontrado por aqui realmente esclarecem (Grandes elogios para os postos da N-Deklination e das diferenças entre Als/Wie/Wenn/Wann).

    A propósito do anúncio tratado neste post, gostaria de adicionar que as propagandas na Áustria muitas vezes contém erros gramaticais e/ou são escritas em dialeto. Por exemplo, uma grande campanha informando sobre as multas para quem apaga gimba de cigarro em via pública/chão ou não recolhe a caca do cachorro nas calçadas/parques traz a frase "Wo samma daham?" (vienense para "Wo sind wir zu Hause?"). Por conta disso não recomendo aos iniciantes quebrarem a cabeça com a gramática vista em publicidade. Acredito que, enquanto vc não está seguro no idioma, ver essas subversões mais atrapalha do que ajuda.

    Tb gostaria de trazer uma curiosidade: na Áustria, têm-se por certo o fato de que os alemães "misturam" tratamento informal e formal indiscriminadamente. Cito isso a partir da experiência de amigos jornalistas (e austríacos nativos!) que vira e mexe reclamam da forma como são abordados por assessores de impresa ou marketeiros alemães. Nesses encontros (mais das vezes via telefone) os alemães nativos iniciariam a conversa com um "Hallo" e a encerrariam com um "Tschüss", mesmo mantendo o tratamento formal Sie durante o papo. Essa mistura é inaceitável na Áustria: vc jamais cumprimente ou se despede de alguém tratado por "Sie" com "Hallo/Tschüss". Se o "Sie" é o pronome de tratamento usado, o aceito para início/fim de conversa é "Guten Tag ou Grüss Gott/Auf Wiedersehen ou Ein schönen Tag noch".

    Então, tendo esse "preconceito" esse mente, a minha interpretação primeira do anúncio neste blog foi: "marketeiro alemão mistura tratamento formal e informal, mas para eles é normal, então o cartaz nem deve causar estranhamento por lá."

    Hehehe. Fico por aqui!

    ResponderExcluir
  7. Bom dia professor Fábio.
    Sou nova no estudo da língua alemã, mas seu blog tem me ajudado muito.
    Obrigada por ser tão generoso.
    Darlene.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...